Selena Gomez e Woody Allen

Novo filme de Woody Allen com dificuldades de distribuição

O novo filme de Woody Allen “A Rainy Day in New York” enfrenta problemas ao nível da distribuição no seguimento da entrevista polémica a Dylan Farrow. 

Woody Allen continua a ser um dos nomes mais escrutinados relativamente ao movimento Time’s Up e #MeToo. Tudo sucede depois de uma entrevista dada pela sua filha Dylan Farrow ao canal norte-americano CBS. Na entrevista, Dylan Farrow revelou detalhes sobre o incidente e acusou vários atores de defenderem o movimento, muito embora tenham colaborado com Allen.

Depois disso, vários foram os artistas que trabalharam com Woody Allen e que expressaram arrependimento sobre as colaborações, chegando a doar os seus salários. Essa lista inclui os nomes de Timothée Chalamet, Selena Gomez, Griffin Newman e Rebecca Hall que participam no próximo filme de Allen. Este regresso à baila da polémica de abuso sexual que envolve um dos cineastas mais respeitados do mundo pode trazer problemas quando à distribuição do seu novo projeto.

“A Rainy Day in New York” tinha estreia prevista para este ano, mas pode não ser lançado. O filme arrisca-se a não chegar aos EUA ou sequer a ser distribuído noutros mercados. Em alternativa o filme pode ser lançado discretamente pela Amazon Studios, mas o número de cinemas em que estaria em exibição seria bastante limitado.

Isto acontece porque os executivos da Amazon Studios, responsáveis inicialmente pela distribuição e direitos do filme, temem exatamente o ressurgimento da controvérsia. “A Rainy Day in New York” conta como terceira colaboração entre Woody Allen e o serviço de streaming. O estúdio já mostrou ser capaz de aplicar consequências severas para aqueles envolvidos em assédio, ao retirar o ator Jeffrey Tambor da série “Transparent”.

SERÁ O FIM DE WOODY ALLEN?

Woody Allen
Jesse Eisenberg, Kristen Stewart e Woody Allen na rodagem de Café Society

Woody Allen pode também enfrentar outra situação inesperada: não conseguir encontrar elenco para o seu próximo projeto. Como habitual na sua carreira, Allen inicia o processo de casting das suas futuras produções muito antes de finalizar o filme em que trabalha. Ainda não houve qualquer anúncio oficial por parte da Amazon relativo às situações.

Entretanto, Alec Baldwin tem também sido notícia, mas por defender Woody Allen. Foi através da rede social Twitter que o ator de “Para Roma com Amor” criticou Dylan Farrow de aproveitar-se do movimento. O ator comparou-a a uma das personagens do livro “To Kill a Mockingbird”, que mente sobre as acusações de assédio.

Uma das coisas mais eficazes que Dylan Farrow tem no seu arsenal é a “persistência da emoção”. “Tal como Mayella em [” To Kill a Mockingbird “], as suas lágrimas são para envergonhar as pessoas na crença da sua história. Mas eu preciso mais do que isso antes de destruir alguém, independentemente do seu estrelato.

Alec Baldwin relembrou que Moses Farrow (irmão mais velho de Dylan Farrow) negou, há cerca de vinte anos, qualquer tipo de abuso. Também Letty Aronson, irmã de Allen, está do lado do realizador e mostrou-se triste perante as palavras de Dylan Farrow, acusando-a de capitalizar o movimento #MeToo e de lucrar pelo mesmo.

Ainda tens curiosidade de seguir o próximo filme do cineasta?

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *