Fontaines D.C. lançam “The Cuckoo Is A-Callin'”

Os Fontaines D.C., banda de pós-punk irlandesa que anda a dar que falar na terra natal e não só, lançou hoje “The Cuckoo Is A-Callin”, o lado-B do seu grande single “Too Real”.

Podemos ouvir hoje o lado-B de “Too Real”, o single que a Partisan Records vai lançar no próximo mês. O tema, intitulado “The Cuckoo Is A-Callin’”, é um pouco mais lúdico do que a canção principal. Ao início, pode-nos afastar o desconfortável, elástico ruído de estática, mas vale a pena não ficar pela primeira impressão, pois esta é logo esquecida ao som da voz melódica de Grian Chatten, que nos transmite a jovialidade da banda.

No último ano e meio, os Fontaines D.C., banda de pós-punk e rock de garagem de Dublin, conseguiram suscitar um vasto burburinho na Irlanda natal, mas também na Europa, só à base de alguns singles que têm vindo a lançar. Estrearam-se com o irresistivelmente dançável “Liberty Belle,” seguido do angustiante “Hurricane Laughter” e do duplo lado-A “Chequeless Reckless”/“Boys In A Better Land”, com o primeiro a situar-se claramente na órbita do pós-punk mas o segundo a oscilar já na direcção do britpop. Com ritmos fortemente propulsivos e a voz de Grian Chatten a evocar fantasmagoricamente a alma dos The Fall, Mark E. Smith, estes singles manifestam de forma evidente as simpatias e identidade musicais dos Fontaines D.C.. Mas este mais recente single da banda revela novos e promissores traços, mais difíceis de rastrear.

Fontaines D.C. - Too Real - The Cuckoo Is A-Callin
Capa do single “Too Real”/ “The Cuckoo Is A-Callin'”

“Too Real”, o lado-A de “The Cuckoo Is A-Callin’”, foi lançado a semana passada, por meio da Partisan Records, que anunciou também, nesse mesmo dia, que assinara contrato com a banda. O tema envolve o ouvinte na sua desconcertante, frenética agitação só para o precipitar várias vezes em instrumentais quedas livres, ganhando momento até explodir num clímax em que o vocalista Grian Chatten pergunta impositivo: “Is it too real for ya?” A canção veio acompanhada de um vídeo realizado por Hugh Mulhern. Chatten pronunciou-se sobre as origens literatas de “Too Real” e do seu vídeo.

Lê Também:
Earl Sweatshirt anuncia Some Rap Songs e lança novo single

“Tinha andado a ler uma data de poesia, particularmente os Preludes de T.S. Eliot – ele faz com que a mente divague romanticamente só para depois a chamar repentinamente à realidade – e lembro-me que saltei da cadeira e escrevi o primeiro verso (“None can pull the passion loose from youth’s ungrateful hands”). Depois, quando fui ter com a banda com o esboço de toda a letra, o nosso baixista Diego interpretou-a como relacionada com a espécie de estrutura cíclica surrealista e idiossincrática do Finnegan’s Wake do James Joyce. […]

Por isso, a natureza circular da canção e do vídeo reflectem a estrutura circular do livro, mas também num certo sentido a surreal repetição da vida. Penso que algo de estranho acontece à alma quando se experimenta alguma coisa que já antes se experimentou. Desejamos sempre que cada passo na vida seja novo e evolutivo. Aceitar que certas coisas se mantêm sempre as mesmas quebra qualquer coisa por dentro. É aí que entra o surrealismo. O refrão da canção é acusatório, e também queríamos poder olhar, do palco, as pessoas cara a cara e cantar-lhes isto.”

Fontaines D.C. - Too Real - The Cuckoo Is A-Callin
Fontaines D.C.

A versão física do single “Too Real”/“The Cuckoo Is A-Callin’” será lançada no dia 21 de dezembro, por meio da Partisan Records, e podes encomendá-la aqui. Entretanto, podes ouvir abaixo as versões digitais de ambos os temas.

FONTAINES D.C. | “TOO REAL”

FONTAINES D.C.| “THE CUCKOO IS A-CALLIN”

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *