Foto de Antonio Batinić/ © Pexels

Que linguagem de programação devo aprender primeiro?

Quer seja sozinho, num curso ou bootcamp de programação, saiba qual o tipo de linguagem de programação que deve aprender primeiro, para que possam ir evoluindo nos seus conhecimentos e skills dentro da área da programação.

Esta é uma das áreas profissionais mais entusiasmantes do momento não só pelos salários acima da média que oferecem e pela facilidade que o mercado tem em absorver os novos profissionais, mas também pela alta procura por parte dos recrutadores por este tipo de profissionais qualificados.

No entanto a escassez de mão-de-obra qualificada que se tem assistido nestes últimos anos, levou o governo a lançar, em 2018, um programa de captação de talento proveniente do estrangeiro, o Tech VISA e a apostar na formação ou reconversão profissional de milhares de profissionais das mais diversas áreas de conhecimento para fazer face às necessidades.

Outra das consequência da falta de profissionais de TI, está relacionada com o facto dos salários destes profissionais tenham disparado, de acordo com o DN, sendo um risco para as empresas nacionais que veem os seus talentos saírem para empresas internacionais.

Apesar de salários médios anuais que variam, para iniciantes, entre os 25 mil e os 50 mil euros brutos anuais, a programação requer, tal como outras áreas de especialização, o conhecimento de técnicas e linguagens específicas.

Face ao constante desenvolvimento das Tecnologias de Informação (TI), estas linguagens vão sendo aprimoradas e, algumas delas, substituídas por outras mais capazes de resolver os problemas que a sociedade digital vai colocando.

Dito isto, surge a pergunta: qual a linguagem de programação que se deve aprender primeiro? A resposta segue dentro de momentos.

Que linguagem de programação devo aprender primeiro?

Da mesma forma que não aprendemos a ler com um romance histórico, para descodificarmos a programação, torna-se necessário que comece pelo básico e o básico neste caso são linguagens como o HTML, CSS e JavaScript (JS).

HTML, CSS e JavaScript (JS)

Estas linguagens de programação são as mais utilizadas atualmente na construção de software para a Web de modo a que a informação e funcionalidades de browsers e sites possam ser utilizadas por qualquer internauta.

Em termos concretos, a linguagem de programação HTML ajudará a definir os elementos semânticos e visuais que o site apresenta. Por sua vez, a CSS é a linguagem que é aplicada na definição estética dos elementos visuais trabalhados anteriormente pela HTML. Por último, a JavaScript (JS) é a linguagem responsável por permitir a interação entre a aplicação e o utilizador em páginas web HTML.

Por norma, estas três linguagens que são o “abc” da programação, atuam em parceria para que a experiência do utilizador seja o mais fluida e interativa possível. Para ter uma noção mais concreta daquilo que acabamos de dizer, basta que clique como botão direito do rato numa página web e selecione a opção “inspecionar”. Quando fizer esta ação ser-lhe-á apresentado no ecrã a linguagem HTML utilizada para construir o site e a linguagem CSS que foi adotada para concluir a parte estética.

Python

Depois de alguns anos na sombra, a linguagem Python regressou à ribalta com o desenvolvimento da Inteligência Artificial (IA) e da Data Science.

Esta linguagem é muito versátil e pode ser aplicada no desenvolvimento de páginas Web ou de jogos de vídeo.

Para além da versatilidade que a torna muito apetecível, a Python é de simples utilização e possui inúmeras funcionalidades que acabam por facilitar o trabalho em que estão presentes grandes quantidades de dados.

Por exemplo, o aprendiz de programador poderá, entre outras coisas, fazer uso da funcionalidade Numpy para analisar dados ou criar visualizações com o Matplotlib.

Estas quatro linguagens são as mais indicadas para quem está a tentar aprender programação, mas existem muitas mais.

Linguagens de programação avançada

Em fases mais avançadas da formação, entram em cena linguagens como a Ruby ou a PHP para o desenvolvimento de aplicações, a Kotlin ou a Swift para o desenvolvimento de software para dispositivos móveis, a Scala e a Go para computação em nuvem, a C ou a C++ para programação de sistemas ou a C# para Gaming.

Aprender linguagens de programação de forma independente ou num bootcamp de programação?

Pela facilidade em encontrar informação na Internet, muitas pessoas decidem aprender programação de forma independente, mas isto traz uma série de problemas, como a sistematização da aprendizagem, a componente prática, o acompanhamento por especialistas que ajudam a que o erro seja mais facilmente identificado e revisto e a ligação ao mercado de trabalho.

Em alternativa a este “do it yourself”, existem no mercado duas outras soluções: cursos superiores e cursos de formação intensiva.

Apesar de ambas de consubstanciarem em soluções sólidas de formação em programação, o tempo e o dinheiro gasto fazem pender a balança para os cursos de formação em programação e bootcamps de programação que centros de ensino especializado em TI como a Wild Code School oferecem.

Neste ponto destaca-se o bootcamp de programação de 3 meses que, durante o período de formação, oferece aos formandos a possibilidade de aprenderem várias linguagens de programação, entre as quais se contam o JavaScript, HTML, CSS, React, Redux, Node, SQL, NoSQL ou GIT.

Para além da componente teórica, este bootcamp de programação tem para oferecer desafios em contexto real, como os hackatons, eventos de programação que juntam centenas de programadores de toda a Europa, e os projetos com as empresas parceiras da Wild Code School.



Também do teu Interesse:


About The Author


Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *