Livros a não perder | Seleção de fevereiro 2018 by MHD

Seja romance, policial, histórico, biográfico, de mistério ou de ficção-científica, a Magazine.HD apresenta-te os livros a não perder em fevereiro.

2 de 59

Factfulness

‘FACTFULNESS’, de Hans Rosling (Círculo de Leitores)

Sinopse Oficial: O hábito redutor do stress e que consiste em adotar apenas as opiniões que se fundamentem em factos sólidos.

Quando fazemos perguntas simples acerca de tendências globais – qual a percentagem da população mundial que vive na pobreza; qual a razão pela qual a população mundial está a aumentar; quantas raparigas completam os estudos – obtemos respostas sistematicamente erradas. Tão erradas que um chimpanzé que escolhesse as respostas ao acaso faria melhor do que professores, jornalistas, investidores e laureados com o Prémio Nobel.

Neste livro, o professor de Saúde Internacional e fenómeno global das conferências TED, Hans Rosling – juntamente com os seus colaboradores de longa data, Anna e Ola –, propõe uma nova explicação radical da razão pela qual aquilo acontece.

Revelam os dez instintos que distorcem a nossa perspetiva – desde a nossa tendência para dividirmos o mundo em dois campos (em geral, uma versão do «nós e eles») até à forma como consumimos os média (onde domina o medo) e como percecionamos o progresso (acreditando que a maior parte das coisas está a piorar).

O nosso problema é não sabermos o que não sabemos, e mesmo as nossas conjeturas são determinadas por preconceitos inconscientes e previsíveis. Afinal de contas, o mundo, com todas as suas imperfeições, está em muito melhor estado do que aquilo que poderíamos pensar. Isso não significa que não existam preocupações reais. Mas, quando nos preocupamos com tudo a todo o momento, em vez de adotarmos uma visão do mundo baseada em factos, podemos perder a nossa capacidade para nos focarmos nas coisas que mais nos ameaçam.

2 de 59

Luis Telles do Amaral

Escritor de O Diário da Pandemia, administrador do blogue Para Lá da Kapa e a licenciar-se em Microbiologia. Considero-me um devorador de livros nato e fã assíduo do grande ecrã.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *