Os melhores e piores posters da semana (03/07-09/07)

Um alienígena andrógino, divina tecnologia e uma planta profética são as imagens mais marcantes dos melhores posters desta semana.

Com o verão e os filmes dos grandes estúdios a invadir as salas de cinema, começamos já a ver alguns dos cartazes iniciais para os projetos blockbuster para o ano que vem. Pode parecer prematuro, mas é assim que tem funcionado o marketing de cinema contemporâneo. A Disney, por exemplo, está já a aliciar os cinéfilos com pequenos vislumbres dos seus futuros projetos, enquanto produções mais pequenas, direcionadas para o fim do ano e a temporada dos prémios, vão também começando a plantar as primeiras sementes da expetativa com cartazes igualmente valiosos.

 


 

OS MELHORES POSTERS DA SEMANA

Começamos pela seleção dos melhores posters da semana onde, tal como na semana passada, temos o aparecimento de cartazes para a reposição de um filme nos cinemas.

 

melhores posters david bowie

melhores posters david bowie

Desta vez, em vez do Blood Simple dos irmãos Coen, temos The Man Who Fell To Earth, uma psicadélica obra-prima de Nicolas Roeg, onde David Bowie encarna um extra-terrestre humanoide que se deixa levar pelos excessos hedonistas que encontra no nosso planeta. Capitalizar na imagem de David Bowie menos de um ano depois da sua morte pode parecer de mau gosto, mas há que admirar a beleza destes cartazes que colocam a magnificência alien desse artista visionário como centro absoluto desta campanha de marketing, enfatizando mesmo os seus célebres olhos e compondo todo um cartaz para que as linhas de perspetiva convirjam na virilha da estrela.

Lê Também: Adeus David Bowie (1947-2016)

 

melhores posters

melhores posters

melhores posters

Temos também os novos cartazes para Lo and Behold: Reveries of the Connected World, o novo documentário de Werner Herzog sobre a relação do Homem com suas criações tecnológicas. Tal como com o primeiro teaser poster, estas novas imagens mostram perfeitamente o negro e irreverente sentido de humor de Herzog, com especial destaque para o cartaz que evidencia um processador de informação como um monólito no meio do deserto a la 2001: Odisseia no Espaço.

 

melhores posters

Por fim, temos um poster que é completamente previsível, mas não por isso menos impactante. Ao invés de utilizarem as faces do seu impecável e famoso elenco, a Disney optou por utilizar a rosa encantada como primeira imagem para o cartaz da nova versão de Bela e o Monstro. O design muito dependente do CGI, o uso de cores escuras e a feia saturação de detalhes barroquistas são um pouco demais, mas há algo de inegavelmente maravilhoso e mágico nesta imagem. Nem que seja, simplesmente, o descarado apelo à nostalgia de quem cresceu com essa sublime criação dos estúdios de animação Disney.

 


 

OS PIORES POSTERS DA SEMANA

Ao contrário do que acontece com os melhores posters da semana, na seleção dos piores fica-se por um singular exemplo e desonra.

 

melhores posters piores The Intervention

Para um filme independente que foi premiado e agraciado com adoradoras críticas aquando da sua estreia no Festival de Sundance deste ano, o poster de The Intervention é tão pouco original que parece ser uma paródia de si mesmo. Basta passarmos uma vista de olhos pelos últimos anos de comédias românticas e dramas independentes para encontrarmos centenas de cartazes que usam esta mesma composição de fotos dos atores distribuídas em secções horizontais separadas por branco. O pior de tudo, é que para além de ser terrivelmente genérico, este é um cartaz feio e imensamente aborrecido. Este filme merecia melhor.

Lê Ainda: Sundance Film Festival | Filmes com Distribuição Assegurada

 


Será que a Disney ou Werner Herzog voltam a aparecer na seleção da próxima semana, ou teremos ainda outro visionário artístico a mostrar a sua magnificência alienígena?


 

Cláudio Alves

Licenciado em Teatro, ramo Design de Cena, pela Escola Superior de Teatro e Cinema. Ocasional figurinista, apaixonado por escrita e desenho. Um cinéfilo devoto que participou no Young Critics Workshop do Festival de Cinema de Gante em 2016. Já teve textos publicados também no blogue da FILMIN e na publicação belga Photogénie.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *