Óscares 2016 | Jenny Beavan, Mad Max: Estrada da Fúria

 

Jenny Beavan foi a responsável pelo bizarro vestuário do elenco de Mad Max que foi uma clara aventura estilística para esta figurinista que se tem especializado em elegantes filmes de época.

<< Roger Deakins, Sicario | Jack Fisk, The Revenant >>

Jenny Beavan terá sido seduzida para o mundo dos figurinos depois de ver uma produção de A Noite de Reis em criança e, desde então, que tem dedicado a sua vida à arte e técnica de construir figurinos e guarda-roupas, quase exclusivamente para cinema. Depois de completar os seus estudos em design na década de 70, Beavan começou a trabalhar como uma assistente de variados figurinos, sendo que foi precisamente a partir desses trabalhos de assistente que Beavan teve o seu primeiro contacto com a equipa de produtor e realizador que iriam mudar por completo a trajetória da sua carreira, Ismail Marchant e James Ivory.

 

Jenny Beavan
Um Quarto Com Vista Sobre a Cidade

 

Depois de trabalhar em alguns filmes desse duo do cinema independente, Beavan alcançou alguma relevância e notoriedade ao assistir a figurinista Judy Moorcroft na criação do guarda-roupa de The Europeans de 1979, pela qual Moorcroft arrecadou uma nomeação para o Óscar. Alguns anos depois, Merchant e Ivory decidiram contratar Beavan como principal figurinista de um dos seus numerosos projetos de época, The Bostonians, e a partir daí foi precisamente esse tipo de filme, modesto, independente e elegantemente situado num período passado que veio a caracterizar a carreira de Beavan.

Lê Também: Mad Max triunfa nos Costume Designers Guild Awards

Com The Bostonians, Jenny Beavan alcançou também aquela que seria a sua primeira nomeação para os Óscares, sendo que dois anos depois, com a sua segunda nomeação, Beavan viria mesmo a ganhar o tão desejado galardão por Um Quarto com Vista sobre a Cidade. Ainda no cinema de James Ivory, Beavan viria a conseguir indicações pelo seu trabalho em Maurice, Regresso a Howards End e Os Despojos do Dia. Neste momento, Beavan tem uma impressionante coleção de 10 nomeações.

 

Jenny Beavan
O Discurso do Rei

 

O método de trabalho desta figurinista é particularmente interessante quando posto em direta comparação com a metodologia de muitos dos seus colegas de profissão, como por exemplo os restantes três nomeados ao Óscar de Melhor Guarda-Roupa deste ano. Beavan não desenha esboços na sua criação, preferindo construir os seus guarda-roupas a partir de cuidada pesquisa, detalhadas anotações sobre o guião e um processo de constante experimentação. Muitos dos seus guarda-roupas são criados a partir de peças pré-existentes, muitas vezes originárias de armazéns como a CosProp, mas também de alguns elementos construídos muitas vezes diretamente sobre o corpo do ator.

 

Mad Max: Estrada da Fúria Jenny Beavan
Mad Max: Estrada da Fúria

 

Esse curioso e experimental processo de trabalho terá certamente sido uma mais-valia para Beavan quando se aventurou no seu mais atípico e impetuoso projeto, os figurinos de Mad Max: Estrada da Fúria. O registo de fantasia pós-apocalíptica cheia de rudes texturas e grotescos detalhes é uma completa reviravolta numa carreira dominada por agradáveis visões de renda e elegância britânica em contextos de época. A própria figurinista será a primeira a apontar quão diferente do seu estilo habitual é o guarda-roupa deste épico de ação de George Miller, sendo que foi isso mesmo que Beavan apontou em dois dos seus discursos desta Awards Season, nos BAFTAs e nos Costume Designers Guild Awards.

Será que os Óscares vão reconhecer a brilhante e impetuosa visão de Beavan, ou irão escolher uma obra mais tradicionalmente elegante e visualmente agradável?

<< Roger Deakins, Sicario | Jack Fisk, The Revenant >>

 

Cláudio Alves

Licenciado em Teatro, ramo Design de Cena, pela Escola Superior de Teatro e Cinema. Ocasional figurinista, apaixonado por escrita e desenho. Um cinéfilo devoto que participou no Young Critics Workshop do Festival de Cinema de Gante em 2016. Já teve textos publicados também no blogue da FILMIN e na publicação belga Photogénie.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *