PES 2016 – (PS4) | Análise

 

Esta é a maior luta entre videojogos. Fifa e PES tentam, a cada ano, ganhar a coroa de melhor simulador do desporto Rei. Nos últimos anos a crítica tem olhado mais para Fifa, mas será que temos este ano uma mudança?

 pes 2016  

  • Editora: Konami
  • Produtora: Konami
  • Plataformas: PS4, Xbox One, PS3, Xbox 360, PC

 

Classificação  [starreviewmulti id=8 tpl=20 style=’oxygen_gif’ average_stars=’oxygen_gif’]

Comecemos por indicar uma conclusão que rapidamente percebemos: PES 2016 é um grande salto de qualidade para o jogo da Konami. É verdade que ainda existem problemas, mas os jogos de futebol nunca serão perfeitos. São demasiado complexos e os jogadores têm noção desse facto. Posto isto, será PES um grande jogo de futebol? A resposta é “sim”!

Em primeiro lugar, rapidamente percebemos que PES 2016 apresenta um boost gráfico significativo. As faces dos jogadores estão muito melhores e existe um leque muito maior de jogadores com movimentos personalizados. Nota-se que os jogadores menos famosos, sem movimentos únicos, ainda apresentam algumas movimentações mais mecânicas, mas o número é cada vez menor e facilmente distinguimos muitos dos jogadores mais famosos do mundo. A isso junta-se uma muito interessante animação dos estádios, cada vez mais repletos de vida e com personalização para cada encontro de futebol. Os menus estão mais intuitivos, mais simples e impulsionam o jogador para os seus modos de jogo favoritos, para que não se perca muito tempo sem ser a jogar futebol. No aspeto mais negativo do grafismo estão as animações faciais. Como já tínhamos afirmado, as caras dos jogadores estão muito boas, mas algumas expressões faciais ficam abaixo em termos de qualidade, algo que também se evidencia mais por conhecermos tão bem as expressões de alguns jogadores.

pes

No aspeto sonoro, PES 2016 continua a ser um jogo de altos e baixos. Em termos de efeitos sonoros, PES 2016 está muito bom, com um excelente ambiente nos estádios e com respostas interessantes em relação ao que vai acontecendo no jogo. Todavia, ainda se notam erros nos comentários, com alguns a aparecerem em momentos que pouco têm em comum com o que está acontecer. Para aqueles que gostam de ouvir os comentários, melhorando a experiência de jogo, preparem-se para alguns momentos mais bizarros e também alguma repetitividade. A banda sonora é boa, tal como costuma ser, alegre, viciante e sem retirar a nossa atenção dos menus e gestão da equipa, fazendo o que lhe é pedido num jogo deste género.

No entanto, este é um jogo que se foca nos seus dois pontos mais positivos: inteligência artificial e jogabilidade. 

Começando pela inteligência artificial, PES 2016 está no topo do que este género oferece. Obviamente que este trunfo não é notado nas dificuldades mais baixas, mas aumentem a dificuldade e o jogo torna-se extremamente fluido. Os jogadores defendem as suas posições de forma muito interessante e inteligente, e ainda mais quando têm a bola na sua posse. Com isto o jogo torna-se mais físico, pois cada jogador irá usar os seus trunfos para não perder a bola ou para a recuperar. É sem dúvida um jogo mais inteligente. As movimentações dos nossos adversários são muito mais consistentes com o que está a acontecer, o jogo torna-se um desafio maior, mas também mais realista. Se olharmos de forma mais minuciosa, a inteligência artificial dos que atacam é mais objetiva  e adaptável em relação aos que defendem, mas no global temos aqui um excelente sistema que melhora a experiência de jogo, pois tudo fica menos trapalhão.

pes2016-gameplay2

Outra grande evolução está no sistema de colisões entre jogadores. Nota-se que os jogadores têm mais “peso”. A forma como embatem, empurram e colocam peso nos carrinhos, saltos, etc… está muito melhor. A forma como o corpo do jogador tem de se adaptar para abordar um remate, passe ou carrinho faz diferença na grande maioria das vezes, e tudo isto parece apenas teoria, mas quando começamos a jogar, notamos a diferença.

Tal como nas maiorias dos desportos, o timing é fulcral, e PES 2016 consegue melhorar muito nesse aspeto. O já famoso delay nos passes que o jogo da Konami costumava apresentar está agora bastante reduzido, aumentando o ritmo, retirando frustração ao jogador que agora vê o seu passe ser feito no momento em que quis. Todos estes fatores tornam a simulação muito melhor e apenas podemos apontar o dedo a algumas decisões dos árbitros quando olhamos globalmente para o que acontece dentro do campo.

pes2016-gameplay1

Infelizmente PES 2016 continua a ter muito poucas licenças de equipas, campeonatos e estádios, mas consegue compensar com uma Master League melhorada e um Became a Legend com detalhes interessantes e muito mais viciante.

Globalmente PES 2016 é um jogo de grande nível. Os jogadores sabem quando devem correr, sair da baliza, fazer cortes, abrir espaços, pressionar, atacar, defender… Se olharmos individualmente para cada fator importante neste género, PES 2016 não se destaca em nenhum deles como perfeito, mas o conjunto de todos os fatores consegue criar um jogo mesmo muito bom. PES está vivo e recomenda-se, sendo um grande candidato a melhor jogo de desporto do ano e, provavelmente, o melhor PES de sempre.

Pontos fortes:

  • Novo sistema de colisão
  • Inteligência artificial
  • Ambiente nos estádios
  • Jogabilidade

Pontos fracos:

  • Comentários
  • Alguns erros na arbitragem

 

Hardware usado pela MHD para teste de jogos:

PS4:

  • PlayStation 4 Glacier White
  • DualShock 4 White
  • Razer Leviathan Sound System

PC:

  • Headphones Razer Carcharias
  • Keyboard Razer Epic Chroma

Luís Pinto

 

Luis Pinto

Developer de videjogos e inteligência artificial - Autor do canal Luís Pinto - Apaixonado por jogos desde o tempo do Spectrum!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *