Rotterdam 2019 | Domains, em análise

A evolução de um filme desde o guião ao aperfeiçoamento dos atores é o tema principal de “Domains“, um dos filmes japoneses que podes ver no Rotterdam 2019 através do Festival Scope.

Este projeto da Aichi Art School começa de forma bastante peculiar, com o relato do dia em que Aki assassinou a filha da sua amiga de infância, Nodoka. Um advogado confina-se numa sala com Aki e lê o testemunho dado por ela, partilhando com o espectador tudo o que acontecera nesse dia, assim como um pouco dos seus motivos. Logo à partida o mistério e o fim do filme são desvendados mas isto não significa que a obra terminou, pelo contrário.

Domains

Kusano Natsuka mistura elementos de ficção e documentário em “Domains” e isso é visível quando, em vez das cenas do filme, vemos as várias leituras do guião por parte dos protagonistas. Vemos a evolução do argumento, as diferentes versões e o toque pessoal dos atores, depois os testes de câmara já com os planos que se transformariam no filme final, assim como alguns planos de locais importantes.

A narrativa não é linear e apesar de seguirmos os acontecimentos mais ou menos pela ordem “correta”, regressamos várias vezes a partes de diálogo que não foram concluídas anteriormente ou que ganharam leituras diferentes, lidas em momentos diferentes, passado algum tempo – algo confirmado pela forma como os atores já não precisam de seguir tanto o guião, conhecendo já as suas falas.

Lê Também:
Rotterdam 2019 | Catálogo das obras disponíveis em Portugal

Devemos-nos concentrar no que é dito e não nos atores, imaginando a cena a desenrolar-se. Por este motivo, a fotografia não toma um papel principal em “Domains”, seguindo um estilo descontraído durante a maioria do tempo. As repetições são muitas, oferecendo por vezes algo de novo à verdade por detrás da história que aparentemente nos é contada, no entanto, essas mesmas repetições, constantes, são o grande ponto fraco do filme. Ao fim da décima repetição, é fácil perder o interesse pelo que nos é mostrado pois nada de novo é revelado ou adicionado, pelo menos até à parte seguinte da história

Com um objetivo interessante em mente, “Domains” explora um lado mais experimental do cinema e traz-nos uma obra diferente do que encontramos em festivais como o Rotterdam 2019.

Domains, em análise

Movie title: Domains

Director(s): Kusano Natsuka

Actor(s): Shibuya Asami, Kasajima Tomo, Adachi Tomomitsu, Ryu Kenta

Genre: Drama

  • Ângela Costa - 60
60

CONCLUSÃO

O melhor: Um filme que traz algo de diferente ao espaço dos festivais, abordando de forma criativa o modo como nasce uma história e como esta se desenrola.

O pior: Repetição excessiva das mesmas linhas e desenvolvimento demasiado lento.

Ângela Costa

Mestre em Cinema pela Universidade da Beira-Interior, sou apaixonada pelo cinema japonês e toda a cultura que o envolve. Adoro igualmente fotografia e se tiveres curiosidade passa no meu Instagram ;) Música e videojogos são dois outros grandes interesses, assim como fazer parte do Club Otaku!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *