Wolf Parade (foto de Pamela Evelyn e Joseph Yarmush)

Thin Mind será o novo álbum dos Wolf Parade

A expectativa existia, lançado um single o mês passado, e a confirmação chegou agora. Thin Mind será o quinto álbum dos Wolf Parade e vem acompanhado de “Forest Green”.

Bem amados graças ao seu clássico de 2005, Apologies to the Queen Mary, a banda canadiana regressou de um longo hiato em 2016, lançando nesse ano um EP homónimo e, no ano seguinte, o seu quarto álbum de estúdio, Cry Cry Cry, uma das nossas preferências pessoais de 2017. Felizmente, para já parece que os Wolf Parade não voltaram apenas para uma aventura esporádica, mas para ficar pelo menos nos próximos tempos. Thin Mind chegará às lojas de todo o mundo no dia 24 de Janeiro, por meio da Sub Pop, e às do Canadá por meio da Royal Mountain.

Do novo álbum consta “Against the Day”, single lançado no mês passado, “Julia Take Your Man Home”, canção já estreada em algumas atuações ao vivo da banda, e “Forest Green”, o novo tema que chega agora com o anúncio do disco e cujo videoclipe lírico podes ver mais abaixo. Thin Mind foi produzido por John Goodmanson (Bikini Kill, Sleater-Kinney, Unwound), nos estúdios Risqué Disque na ilha de Vancouver, misturado também por Goodmanson nos estúdios Bogroll, em Seattle, e masterizado por Noah Mintz em Lacquer Channel Mastering, na cidade de Toronto.

Lê Também:
Wolf Parade de volta com Against The Day

O álbum Thin Mind assinala o regresso ao trio original de Dan Boeckner, Spencer Krug e Arlen Thompson, após a amigável partida do multi-instrumentista Dante DeCaro, em 2018, uma vez terminada a digressão mundial de promoção de Cry Cry Cry. Passado um mês, o trio reuniu-se no Risqué Disque, um velho celeiro de pedra transformado em estúdio, na ilha de Vancouver, de onde saiu com um álbum sobre fazer sentido do presente enquanto se fazem as contas com algumas visões do futuro.

Wolf Parade - Thin Mind
Capa de Thin Mind

Diz o comunicado de imprensa que “cada momento gasto a contemplar os nossos ecrãs está saturado de conteúdo, um ciclo cada vez mais acelerado de notícias a condicionar os nossos cada vez menores períodos de atenção; a luta para se manter presente e vislumbrar um futuro claro e sustentável é bem real”. Segundo o teclista Spencer Krug, “Thin Mind refere-se ao modo como a convivência com demasiada tecnologia enfraqueceu a nossa focagem”. O guitarrista Dan Boeckner acrescenta que se trata daquele “abrir mais uma página, descer à procura de mais uma coisa” e da “estranha, vazia sensação de automatismo que se retira disso”. Para o baterista Arlen Thompson, este álbum é muito pessoal, provindo de um sentimento generalizado de ansiedade: “Como lidar com a permanente corrente das nossas opiniões onduladas de um lado para o outro por todos estes diversos actores cuja identidade e propósito desconhecemos?”

Esta angústia exprime-se em “Forest Green” numa voz categórica, vinda do alto e sublinhada por aquele baixo pulsante e aqueles estridentes sintetizadores rotatórios a que os Wolf Parade tanto nos habituaram. Esta voz, cantada aqui por Dan Boeckner, clama por um paraíso pastoril, cuja luz acorda em nós saudades ao mesmo tempo que revela, acusadora, as trevas da nossa subterrânea vida citadina, à qual nos agarramos mesmo quando é outro o lugar que “feels like home”.

WOLF PARADE | “FOREST GREEN”

THIN MIND | Alinhamento do álbum

1. Under Glass
2. Julia Take Your Man Home
3. Forest Green
4. Out of Control
5. The Static Age
6. As Kind as You Can
7. Fall Into the Future
8. Wandering Son
9. Against the Day
10. Town Square

Maria Pacheco de Amorim

Literatura, cinema, música e teoria da arte. Todas estas coisas me interessam, algumas delas ensino. Sou bastante omnívora nos meus gostos, mas não tanto que alguma vez vejam "Justin Bieber" escrito num texto meu (para além deste).

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *