Transformers: O Último Cavaleiro, em análise

Michael Bay traz ao grande ecrã mais uma história repleta de explosões e momentos insólitos que irão fazer as delicias dos fãs da adaptação cinematográfica de Transformers.

O mundo mudou muito desde a primeira vez que vimos Transformers no cinema. Inicialmente vistos como aliados dos Humanos e a última esperança do nosso planeta, os Transformers são em O Último Cavaleiro tidos como uma ameaça que deve ser travada. As criaturas, outrora heroínas, são caçadas e mortas pela TRF, possuindo um estatuto de “ilegal” no planeta terra. Isto excetuando, claro, em Cuba onde por alguma razão eles vivem livres e na companhia, como não podia deixar de ser, de Simmons (John Turturro).

Fora do paraíso de Havana, Decepticons e Autobots correm constante perigo e cabe a alguns humanos, salvá-los. Um desses heróis é Cade Yeager (Mark Wahlberg) que está de volta para mais um filme. A personagem aparece no meio de uma cena de ação, mostrando a sua breve evolução desde Era da Extinção. Esta sequência é marcada pelo retorno de Cade, pela apresentação de Izabella (Isabela Moner), uma personagem que será certamente mais explorada no próximo capítulo, mas também pela morte de dois Transformers nas mãos da TRF – uma unidade militar que teme estes extraterrestres e que os elimina sem dó nem piedade. O inicio de um Transformers nunca foi tão sério, dramático e emotivo.

Transformers o ultimo cavaleiro critica

Os Transformers que Cade consegue salvar são levados para um ferro-velho que serve de disfarce e porto-seguro. Entre caras conhecidas como o novo “líder” dos Autobots Bumblebee (Erik Aadahl), Drift (Ken Watanabe), e Hound (John Goodman) estão o novo parceiro do protagonista, Jimmy (Jerrod Carmichael), um T-Rex comedor de carros (e ocasionalmente de pessoas, Jimmy que o diga), e Transformers bebés que criam alguns momentos de humor. E momentos de humor são bem-vindos.

Confere: Monstros Assombrosos do Cinema by MHD | Xenomorfo

Mais do que um Transformers este é afinal um filme sobre uma guerra caótica onde tudo parece dar errado. A Terra está destruída. Existe um conflito sem fim à vista entre Transformers e Humanos e os próprios Transformers lutam entre si. Em simultâneo, a Rainha de Cibertron Quintessa (Gemma Chan) viaja em direção ao nosso planeta. Salvar o dia não será fácil e mesmo que consigam, não há garantias de que algo realmente mude para melhor.

Cage precisa de ajuda e esta vem de Sir Edmund Burton (Anthony Hopkins). Ele é o último membro de uma ordem antiga (protegida pelo fiel Cogman) que remonta ao tempo do Rei Artur. O seu propósito é o de proteger um bastão e de se prepararem para “o fim do mundo”. Para além de ser ele que nos conta tudo o que precisamos de saber (incrivelmente sem demasiada exposição), é Burton que rapta a peça final desta narrativa, e a última esperança da humanidade, a destrambelhada doutora, professora e filósofa Vivian Wembley (Laura Haddock).

EMBARCA NA NOVA AVENTURA DE TRANSFORMERS

Narrativa de lado, a ação é o que o espectador pode esperar de um Transformers. Explosões por todo o lado, montagem rápida, mais explosões. De modo semelhante, a fotografia é predominantemente em tons escuros. Ressalva a um 3D bem utilizado e um exemplo de como esta técnica pode ser uma mais valia num filme.

Lê ainda: Mulher-Maravilha, em análise

Mergulhamos agora nos pontos menos positivos que para um fã da adaptação cinematográfica do franchise podem ser secundários e pouco importantes mas que constituem elementos que poderiam sim ser melhorados. O primeiro são personagens irrelevantes como o grupo de Decepticons que morre rapidamente e cujas falas são essencialmente piadas velhas, ou a equipa da NASA que é basicamente um “capitão óbvio” e totalmente irrelevante. O segundo é o facto de esperarmos um Nemesis Prime que durasse mais do que cinco minutos, para não falar de uma resolução que não faz qualquer sentido, pelo menos aos não leitores dos comics, isto esperando que exista uma razão lógica na obra original.

Apesar dos problemas habituais, o Último Cavaleiro é provavelmente o melhor Transformers até agora. A história é cativante e os fãs não vão querer perder.

Transformers: O Último Cavaleiro, em análise
transformers poster critica

Movie title: Transformers: The Last Knight

Director(s): Michael Bay

Actor(s): Mark Wahlberg, Anthony Hopkins, Josh Duhamel, Laura Haddock, Santiago Cabrera, Isabela Moner, Jerrod Carmichael

Genre: Ação, Aventura, Sci-Fi

  • Ângela Costa - 65
  • Daniel Rodrigues - 30
48

CONCLUSÃO

O Último Cavaleiro é provavelmente o melhor Transformers até agora. A história, ainda que possua os seus típicos problemas, é cativante e apoiada por vários momentos dramáticos. Mais do que um filme dos Transformers, este é um filme sobre a guerra e os fãs não vão querer deixar de ver.

O MELHOR:Melhoria em relação ao seu predecessor e a introdução de personagens cativantes que regressarão provavelmente no próximo capítulo.

O PIOR:Existência de personagens irrelevantes e buracos graves na narrativa.

Sending
User Rating 2.14 (7 votes)
Comments Rating 0 (0 reviews)


Sobre Ângela Costa

Mestre em Cinema pela Universidade da Beira-Interior e apaixonada por cinema japonês e videojogos!