Persona 5 (PS4) | Análise

Depois de muito tempo de espera, Persona 5 chega finalmente às lojas e não é apenas o melhor jogo da série, é também um dos melhores JRPGs dos últimos anos.

 

persona 5  

  • Editora: Koch
  • Produtora: Atlus
  • Plataformas: PS4

Classificação 

Enredo
Jogabilidade
Gráficos
Som
Nota Final

 

Persona 5 é um JRPG puro, mas vamos por partes. Começando pela parte gráfica, este é um jogo exuberante, com um design único onde muito acontece no ecrã ao mesmo tempo quando estamos em combate ou na história, mas que também consegue ser calmo e cheio de detalhe nos momentos de exploração. Com um design único, Persona 5 explora a cultura japonesa e mistura a tendência anime com bons jogos de luz e sombra nos cenários que iremos enfrentar. A variedade dos cenários é brutal, encaixando perfeitamente num enredo que assim o exigia e que leva o jogador a sentir que está sempre a experienciar algo diferente, quer seja em cidades, labirintos, masmorras, etc. O resultado final é um conjunto de cenários que nem parecem pertencer ao mesmo jogo, mas que funcionam na perfeição quando ligados entre si.

 

 

A história desvenda-se lentamente e ao início até se pode estranhar. A típica narrativa adolescente dos animes é aqui exposta num jogo de uma forma que nunca antes vimos. O normal grupo de adolescentes durante o dia, mas que à noite se transforma num conjunto de heróis, é aqui elevada a um outro nível, graças a tudo o que podemos fazer. Aliás, quase tudo o que podemos fazer durante o dia, por mais banal que possa parecer, serve para alguma evolução do nosso personagem, e com isso torna-se fundamental gerir o tempo do nosso personagem até regressar a noite e nos transformarmos novamente nos heróis que queremos ser.

Existe muito para se fazer e as missões secundárias dão um excelente contributo ao enredo principal, não só na exploração das personagens, mas também do próprio enredo e do que aconteceu antes sequer do jogo começar. Este é um jogo que pede para ser explorado ao máximo, pois apenas assim iremos conhecer e compreender as nossas personagens, que são um dos grandes trunfos deste jogo. É fácil gostarmos do nosso grupo de heróis mas é quando as conhecemos que o jogo melhora. Conhecer traumas, objectivos, crenças… tudo isto torna o jogo mais coerente e abrangente.

 

Lê também: Top Jogos | Os 100 melhores jogos de sempre

A crítica social é poderosa e nem sempre direta, mas é gerida com inteligência. O enredo é movido por esperanças e ingenuidades, e lentamente torna-se mais negro e profundo, sem nunca parecer forçado. O resultado final é simples: dificilmente esqueceremos estas personagens e muitas das suas decisões.

 

 

Persona 5 é um jogo diferente dos outros grandes jogos de grande qualidade ou grande orçamento. Não é um jogo perfeito, tem algumas falhas de jogabilidade e a camera não é perfeita, mas consegue ter um sistema de batalha por turnos que vicia todos aqueles que cresceram a jogar este estilo. Tem muito para evoluir e ao fim de 90 horas de jogo parece que ainda falta fazer muita coisa. Com um enredo que o torna no melhor Persona até hoje, Persona 5 é um dos melhores JRPGs da década e deve ser jogado por todos os fãs deste género.

 

HARDWARE USADO PELA MHD PARA TESTES DE JOGOS

PS4:

  • PlayStation 4 Glacier White
  • DualShock 4 White
  • Razer Leviathan Sound System

PC:

  • Headphones Razer Carcharias
  • Keyboard Razer Epic Chroma
  • Mouse Razer Naga Epic Chroma

 

Luís Pinto


 



Sobre Luis Pinto

Software developer - Autor do blog Ler y Criticar - Apaixonado por jogos desde o tempo do Spectrum!