74º Festival de Cannes: de 6 a 17 julho

74º Festival de Cannes já não manterá as suas datas de maio (11-22) e vai ser adiado para em datas de 6 a 17 de julho.

Embora se tenha discutido a possibilidade do 74º Festival de Cannes se realizar no final de junho há efectivamente uma coincidência de datas com o Cannes Lions, o festival anual de publicidade, que ainda está programado para acontecer de 21 a 25 de junho. Um porta-voz do Cannes Lions disse que não é suposto adiar este evento para outubro, como aconteceu no ano passado, antes de ser definitivamente cancelado devido à pandemia. Com o Cannes Lions programado de 21 a 25 de junho, já está tudo preparado para que o 74º Festival de Cannes se realize no início de julho e já está confirmado que será de 6 a 17 desse mês.

cannes
©José Vieira Mendes

Também uma fonte do setor disse que levaria apenas alguns dias ou cerca de uma semana, entre um evento e outro para se organizar o festival de cinema. Também a Associação dos Hotéis de Cannes (Syndicat des hotels de Cannes et du Bassin Cannois) foi informada na semana passada de que o 74º Festival de Cannes provavelmente seria transferido para julho: ‘Era preferível que o festival acontecesse em maio, mas já dissemos que estamos felizes e preparados para receber o festival em julho; as datas que combinamos são entre 5 e 25 de julho. Por isso, o festival pode começar por volta de 5 de julho, ou alguns dias depois’, disse à revista Variety, o proprietário de um hotel localizado perto do Palais des Festivals.

cannes
©José Vieira Mendes

Em condições normais, a realização do festival na cidade em julho teria gerado protestos dos proprietários de hotéis, porque Cannes é uma tradicional e frequentada estância turística da Riviera Francesa. Tanto julho, como agosto são a temporada alta temporada e os hotéis costumam estar repletos de veraneantes, banhistas, turistas e também de todo o tipo de embarcações de gama alta que atracam no seu porto. No entanto, a pandemia atingiu duramente a indústria hoteleira e a restauração e a maioria dos hotéis e restaurantes dentro e em redor da bela Croisette estiveram fechados durante meses. Tanto o Festival de Cannes, como todas as feiras e mercados de negócios — Mipcom, MipTV, Mipim e Cannes Lions — foram cancelados um após o outro em 2020. Contudo o famoso Hotel Carlton, aproveito esta pausa e vai estar encerrado até a próxima primavera de 2023 para reformas de fundo e modernização.

cannes
©José Vieira Mendes

Contudo os organizadores do 74º Festival de Cannes estão também já não consideram uma ligeira extensão do festival tendo em conta à abundância de filmes fortes em desenvolvimento e finalização. O diretor artístico do Festival de Cannes, Thierry Fremaux, em entrevista à revista Les Inrocks, falava de algo que estava em discussão: começar o festival um dia antes e encerrá-lo um dia depois (mais do que 12 dias), o que poderia significar que as secções de Cannes começariam numa segunda e terminariam a um domingo. A questão era se esses dias extras podem ser contemplados no orçamento do festival.

©José Vieira Mendes

Há ainda uma espécie de plano C que foi mencionado anteriormente pelos organizadores de Cannes que envolvia datas alternativas no final de agosto. Mas essa proposta  — que esbarraria de uma forma perversa com o Festival de Veneza — não está sendo seriamente considerada e ainda bem neste momento. No entanto, esta ideia pode voltar acima da mesa, se as limitações provocadas pandemia impedirem que o 74º Festival de Cannes, aconteça mais cedo e nas datas que estão a ser pensadas.

cannes
©José Vieira Mendes

O Festival de Cannes 2020 chegou mesmo a revelar uma Seleção Oficial, mas o  evento em si foi cancelado devido à crise pandémica, que foi recebida com desespero pela comunidade cinematográfica global. Esse cenário em princípio já não irá acontecer novamente este ano. Devido também ao cancelamento da Berlinale, ou antes da sua realização presencial, os organizadores do 74º Festival de Cannes prometeram uma grande edição para 2021. Cannes, que é como se sabe o maior festival de cinema do mundo, poderá tornar-se o primeiro evento internacional do ano no sector e, juntar novamente todos os profissionais, numa grande celebração. Resta saber se haverá ou não limitações sanitárias. Entretanto, o espaçoso e polivalente Palais des Festivals, em Cannes onde as estrelas costumam subir a famosa passadeira vermelha durante as estreias de gala dos filmes, foi transformado num ‘vacinódromo’, onde os moradores locais da cidade podem obter a nova vacina contra o Covid-19. Apesar de tudo estas não deixam de ser boas notícias!

José Vieira Mendes

José Vieira Mendes

Jornalista, crítico de cinema e programador. Licenciado em Comunicação Social, e pós-graduado em Produção de Televisão, pelo Instituto Superior de Ciências Sociais e Políticas da Universidade de Lisboa. É actualmente Editor da Magazine.HD (www.magazine-hd.com). Foi Director da ‘Premiere’ (1999 a 2010). Colaborou no blog ‘Imagens de Fundo’, do Final Cut/Visão JL , no Jornal de Letras e na Visão. Foi apresentador das ‘Noites de Cinema’, na RTP Memória e comentador no Bom Dia Portugal, da RTP1.  Realizou os documentários: ‘Gerações Curtas!?’ (2012);  ‘Ó Pai O Que É a Crise?’ (2012); ‘as memórias não se apagam’  (2014) e 'Mar Urbano Lisboa (2019). Foi programador do ciclo ‘Pontes para Istambul’ (2010),‘Turkey: The Missing Star Lisbon’ (2012), Mostras de Cinema da América Latina (2010 e 2011), 'Vamos fazer Rir a Europa', (2014), Mostra de Cinema Dominicano, (2014) e Cine Atlântico, Terceira, Açores desde 2016, até actualidade. Foi Director de Programação do Cine’Eco—Festival de Cinema Ambiental da Serra da Estrela de 2012 a 2019. É membro da FIPRESCI.

José Vieira Mendes has 571 posts and counting. See all posts by José Vieira Mendes

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.