Os Agentes da S.H.I.E.L.D., terceira temporada em análise

“Os Agentes da S.H.I.E.L.D.” é agora uma série obrigatória para todos os amantes do Universo Marvel.

Os Agentes da S.H.I.E.L.D. terceira temporada em análise

O modelo episódico de “Os Agentes da S.H.I.E.L.D.” é um dos mais interessantes no mundo dos super-heróis na televisão. Em detrimento do vilão da semana, a série da Marvel transcreve a sua história numa fórmula cinematográfica de várias horas, enfatizando as várias personagens deste grupo de espiões e Inumanos para salvar o mundo e todos os que nele habitam. A chegar ao fim do seu terceiro ano, a série parece ter encontrado um solo bastante firme para manter os fãs cativados, fornecendo informação suficiente sobre a pequena parte do mundo em que estão inseridos no Universo Marvel, conseguindo até em partes superiorizar-se às versões cinematográficas do mesmo.

Consulta : TOP 10 Personagens do Universo Marvel

O sucesso da terceira temporada merece créditos e menções por parte dos fãs – com sucesso, a nova aventura mesclou compostos das temporadas passadas para culminar num dos capítulos mais dramáticos e espectaculares do lado televisivo da Marvel. Phil Coulson (Clark Gregg) e a sua equipa de espiões letais e cientistas incríveis enfrentaram a nova ameaça de um Inumano Ancestral, vindo de outro planeta a funcionar como líder da HYDRA. Até ao confronto, houve ainda uma excelente dose de páginas por percorrer, incluindo últimos adeus e histórias originais, dando foco ao elenco secundário de toda a série e que em muito merecem mais do mesmo.

Os Agentes da S.H.I.E.L.D. terceira temporada em análise

Lê Também: Daredevil | Segunda temporada em análise;

As emancipações de personagens como Jemma Simmons (Elizabeth Henstridge) e Leo Fitz (Iain De Caestecker) são alguns dos pontos fortes desta nova temporada – o arco do seu romance inclui em particular um dos melhores episódios desta época televisiva. A combinação de drama, intriga e senso claustrofóbico tornou a visita de Simmons ao planeta deserto Maveth, um dos mais ambiciosos e cativantes arcos da personagem na série. Felizmente o foco pôde ser partilhado com as despedidas prematuras de Bobby (Adrianne Palicki) e Hunter (Nick Blood), que injetaram uma saída emocional de dois favoritos numa série que necessitava de tomar decisões difíceis. É esta despedida que aumenta a parada de todos os membros da equipa e assim marca o rumo para a excelente segunda metade da terceira temporada.

Lê Também:
Funidelia: Um kit Geek para o teu Verão | Passatempo MHD

Os Agentes da S.H.I.E.L.D. terceira temporada em análise

Vê ainda: E se os heróis e vilões das BDs fossem pintados por Picasso?

“Os heróis serão sempre tão bons quanto os seus vilões”, uma frase aceite por toda a comunidade e que se aguenta em “Agentes da S.H.I.E.L.D.”, com a introdução de HIVE no corpo de Grant Ward (Brett Dalton). O actor veterano tem sido sempre um ponto positivo da série desde que demonstrou a sua real faceta, e como o vilão principal não desapontou. Num palco preparado para a sua melhor performance, Ward é forçado a dividir a temporada em duas versões diferentes da personagem e nas duas caras, protagoniza momentos dramáticos e sádicos capazes de o tornar o nosso vilão favorito em séries de super-heróis para este ano.

Um dos pontos negativos é o ênfase dado a Daisy Johnson (Chloe Bennett). Sem desvalorizar a performance da actriz, a verdade é que torná-la o centro das atenções ao longo de todas estas temporadas, tem-lhe reduzido em muito o valor. Uma pesquisa ao seu passado, uma mudança de identidade, uma mudança de lados e um acréscimo de super-poderes é história suficiente para várias temporadas – mas tudo apressado para estas evoluções forçadas, acaba por desgastar. Infelizmente a quarta temporada parece uma nova história centrada em Daisy (desta vez conhecida como Quake) e não podíamos estar mais em desacordo.

Lê Também:
Tom Holland não descarta um Homem-Aranha gay

Os Agentes da S.H.I.E.L.D. terceira temporada em análise

Consulta também: As 15 Melhores Séries Que Não Podes Perder Este Verão;

No geral a série da ABC, transmitida pela Fox Portugal, consegue a sua melhor e mais constante temporada neste terceiro capítulo. Para aqueles que teimavam em dar uma hipótese, agora é a altura de recolherem os louros pela dedicação e, para os outros, deixamos uma guia de episódios que merecem ser vistos e revistos, caso queiram dar uma hipótese à quarta temporada:

  • Episódio 5 – “4,772 Hours”;
  • Episódio 10 – “Maveth”;
  • Episódio 13 – “The Parting Shot”;
  • Episódios 21 & 22 – “Absolution & Ascenscion” – Season Finale

Vão reparar que o tom dramático em muito mudou desde a temporada de introdução, incluindo ainda os efeitos especiais e as performances do elenco. A terceira temporada convence e eleva a série a um novo patamar, ignorando alguns pequenos detalhes, acaba por manter um argumento inteligente em vias de cumprir o objectivo final.

Agentes da S.H.I.E.L.D. | Estreia a terceira temporada na FOX Portugal a 22 de Junho.


Agentes da S.H.I.E.L.D. terceira temporada em análiseTítulo Original: Agents of S.H.I.E.L.D.
Showrunner:  Jed Whedon, Maurissa Tancharoen e Jeffrey Bell
Elenco: Clark Gregg, Chloe Bennet, Ming-Na Wein, Iain De Caestecker, Elizabeth Henstridge, Nick Bloo
[starreviewmulti id=19 tpl=20 style=’oxygen_gif’ average_stars=’oxygen_gif’]
 


MM

 

Marcos Mendes

Um membro representante da cultura geek, criativo e apaixonado pela sétima arte. Sigam-me no Facebook para mais comentários e opiniões sobre o mundo do cinema e televisão.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *