Brave (PS3) em análise

 

 
Editora:
Disney Interactive Studios
Produtora: Disney

 

Género: Plataformas

 

Plataformas: PlayStation 3, Xbox 360, PC, DS, Wii

 

Classificação Etária: 12+

 

 

Enredo: 6/10
Jogabilidade: 7/10
Gráficos: 5/10
Som: 8/10
Nota Final: 7/10

 

Brave é o último grande filme da Disney/Pixar e será, provavelmente, um dos filmes de animação mais vistos do ano. Agora chega-nos o jogo e rapidamente percebemos o quanto a história está próxima do produto original.

 

Enredo: Necessitando, obviamente, de alterações para se tornar um jogo, o enredo do filme está presente no jogo em toda a sua extensão. Merida, a personagem principal, é uma rapariga de cabelos ruivos, altamente treinada no seu arco, e que salvará o reino de uma misteriosa maldição.

 

Jogabilidade: O jogo é claramente virado para o público juvenil, talvez até demasiado, pois a sua complexidade é baixa, não oferecendo grande desafio ao público mais adolescente. O jogo, sempre na terceira pessoa e bastante linear, não nos dá grande espaço de manobra, não sendo um jogo que nos deixe explorar. No entanto não é este o objetivo do jogo e, como tal, percebe-se alguma desta linearidade. Um ponto a favor neste jogo é o facto de a evolução da personagem ser fácil e constante, existindo sempre algo novo que a nossa personagem pode fazer. Iremos utilizar vários elementos da natureza, como água e fogo, e que terão mais ou menos efeitos consoante o momento em que seja usado, levando a que o combate, apesar de fácil e rotineiro, seja divertido para qualquer criança. No entanto, esta rotina nos combates dependerá bastante de cada jogador, pois os vários tipos de ataque tornarão a experiência mais apelativa para quem tiver espírito para experimentar algo novo a cada combate.

Gráficos: todo o design é retirado do filme e mostra a sua coerência, nunca se notando que algum cenário não encaixava. Os gráficos nunca deslumbram, sendo o habitual neste tipo de jogos. No entanto, este jogo consegue uma variedade interessante de cenários, com temáticas diferentes, que o tornam visualmente mais atrativo para o público mais jovem. Lamenta-se no entanto os problemas que por vezes a câmara nos cria quando saltamos entra plataformas.

 

Som: Tal como em qualquer filme da Disney, o som é um dos pontos fortes e, neste caso, é provável que seja o melhor. As músicas são boas, criam ambiente e são diversificadas. As vozes estão boas, e não há nada a apontar.

 

No geral, Brave é um jogo apenas para o público mais jovem. Para os adultos, este jogo será repetitivo, fácil, curto e com alguns problemas de jogabilidade. Mas se olharmos para este jogo, como algo para uma criança (naquela fase da nossa vida em que temos paciência para os bugs que este jogo apresenta), então temos aqui um jogo que certamente irá divertir os fãs do filme, com alguns pormenores interessantes, principalmente nos enigmas, e que colocarão uma criança a pensar. Dá para rir, para aprender e a jogabilidade algo monótona e os cenários mais lineares não serão problema para este público-alvo.

 

Como tal, se a olhássemos para este jogo como algo para adultos, a sua nota seria baixa, mas para uma criança, este jogo é uma boa escolha.

 

Pontos fortes:

  • História agradável e contada de forma simples
  • Cenários variados e com temas interessantes
  • Toda a parte sonora (vozes, música, efeitos) está boa
  • Do ponto de vista juvenil, o jogo é sempre divertido

 

Pontos fracos:

  • Gráficos datados
  • Por vezes a câmara atrapalha saltos e lutas
  • Curta duração

LP

Lê Também:
Marvel | Tudo o que se sabe sobre as série da Disney+

Luis Pinto

Software developer - Autor do canal Tek Test - Apaixonado por jogos desde o tempo do Spectrum!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *