Scarlett Johansson em "Debaixo da Pele" | © A24

Debaixo da Pele com Scarlett Johansson pode tornar-se numa série de televisão

Uma série de televisão baseada no filme “Debaixo da Pele“, de Jonathan Glazer, pode estar a caminho, mas uma guerra de licitações entre A24 e Silver Reel precisa de ser resolvida primeiro.

Segundo a Deadline, a Silver Reel, a empresa que produziu o filme com a participação de Scarlett Johansson, “Debaixo da Pele”, está à lutar pelos direitos de TV deste, que também foi financiado pela Film4, BFI e Creative Scotland. A A24, que está atualmente a trabalhar com Glazer no seu próximo filme – um drama do Holocausto – também faz parte desta mistura. A notícia também explica que, aparentemente, um spin-off em formato de série de TV está em andamento há anos, sob o comando da Silver Reel, e uma decisão sobre ela deve chegar nas próximas semanas. De momento não é claro qual será o envolvimento de Glazer, bem como, que história a série contará e que estrutura poderá ter.

Jonathan Glazer desenvolveu a versão cinematográfica de “Debaixo da Pele” por mais de uma década, baseado-se vagamente num romance de ficção científica, de 2000, do autor Michael Faber. A história decorre no norte da Escócia e segue um extraterrestre (interpretado por Johansson) que, manifestado um forma humana, conduz pelo interior da Escócia dando boleia a homens, drogando-os e entregando-os ao seu planeta natal.

Lê Também:
Dark Waters: Verdade Envenenada, em análise

O romance, que foi a estreia de Faber, foi selecionado para o Prémio Whitbread de 2000, um dos mais prestigiados prémios literários do Reino Unido. A adaptação cinematográfica de Glazer estreou no Telluride Film Festival em 2013 e foi lançada nos EUA em abril de 2014, após a exibição no 70º Festival Internacional de Cinema de Veneza e no Festival Internacional de Cinema de Toronto 2013.

Grande parte do elenco do filme era composto por pessoas comuns, sem experiência na representação, e muitas das cenas foram filmadas com câmaras ocultas, uma vez que Glazer queria que o filme parecesse o mais realista possível. O filme recebeu elogios pela realização de Glazer, pela performance de Johansson e pela sua banda sonora, composta por Mica Levi e produzida por Peter Raeburn. Embora não tenha sido um sucesso de bilheteira, ganhando apenas 7,2 milhões de dólares em todo o mundo, com um orçamento de produção de 13,3 milhões de dólares, o filme recebeu uma série de elogios e, desde então, que se tornou numa obra de culto.

Quais são as tuas opiniões sobre esta possibilidade? 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *