Depois de Leonardo DiCaprio, é hora de uma previsão aos Óscares 2017

Agora que a cobertura da cerimónia de 28 de fevereiro acalmou está na altura de fazer uma análise muito, muito antecipada aos possíveis candidatos aos Óscares do próximo ano.


PARTE 2 >>


À primeira vista parece cedo demais para uma previsão, mas a verdade é que os indicados às estatuetas não são difíceis de identificar. As produções tem elementos comuns: tópicos socialmente relevantes, atores com várias nomeações, realizadores conhecidos e, claro, um estúdio mundialmente reconhecido. É claro que há exceções, mas as surpresas são poucas. Por exemplo, já era previsível que “Spotlight“, “A Rapariga Dinamarquesa” e “The Revenant: O Renascido” seriam indicados aos Óscares mesmo antes destes estrearem.

Embora a maioria dos candidatos estrearem apenas no final do ano, depois de serem apresentados em Cannes, Veneza, Toronto, Berlim e Nova Iorque, o festival de Sundance e o buzz que rodeia algumas produções servem de indicadores para os potenciais concorrentes.

Lê também: Os melhores e os piores momentos dos Óscares 2016

 

óscares

SILENCE

Desde 2000, que cinco dos seis filmes de Martin Scorsese arrecadaram indicações para Melhor Filme. Posto isto, é passível de afirmar que qualquer trabalho do cineasta é material para os prémios da Academia, e com o muito antecipado “Silence,” seria insensato deixar o realizador de fora.

O filme, baseado no romance de Shusaku Endo, acompanha dois padres jesuítas portugueses que enfrentam uma perseguição violenta, quando se deslocam para o Japão, para procurar seu mentor, e espalhar os ensinamentos do cristianismo, durante o século XVII. Andrew Garfield (apontado desde já como um dos favoritos para Melhor Ator), Adam Driver e Liam Neeson são os principais nomes do elenco. Tem estreia prevista para dezembro.

Lê Também:
Óscares 2020 | As maiores supresas e snubs entre os nomeados

 

óscares

A UNITED KINGDOM

O biopic britânico conta a história verídica de Seretse Khama, o rei do país que se tornaria no Botswana que foi forçado a renunciar ao trono depois de casar com uma mulher inglesa. Esta obrigação causou alvoroço no Reino Unido e em África do Sul, o que levou a que Khama regressasse e se tornasse no primeiro líder democrático da nova nação.

“A United Kingdom” é uma história extraordinária, adequada para a cineasta Amma Asante (Belle) que conta com David Oyelowo e Rosamund Pike no elenco. Baseado em factos reais, o drama histórico que apresenta um amor que ultrapassou preconceitos raciais e políticas internacionais, tem estreia para 25 de setembro no Reino Unido. Vê o trailer.

 

Consulta ainda: Quem são os atores com mais nomeações aos Óscares?

óscares

BIRTH OF A NATION

Com a polémica sobre a falta de diversidade nos prémios da Academia como pano de fundo, o drama sobre a revolta dos escravos em 1831, em Virgínia, liderada por Nat Turner foi o filme sensação de Sundance. “Birth of a Nation” retrata uma sangrenta revolta de escravos na América do século XIX que é baseado num dos mais importantes momentos na história da escravatura em território americano.

A produção de Nate Parker venceu o grande prémio do júri e o prémio do público. Além destes galardões, a longa-metragem também conquistou um recorde na história do festival. Com Nate Parker, Armie Hammer e Penelope Ann Miller no elenco, a longa-metragem estreia a 27 de janeiro em Portugal. Vê o trailer.

 

Lê Também:
Óscares 2020 | As maiores supresas e snubs entre os nomeados

óscares

THE GIRL ON THE TRAIN

Este filme pode ser o novo “Gone Girl” ou “Room”, ou talvez uma mistura dos dois. Baseado no thriller homónimo de sucesso, “The Girl on the Train” conta a história de Rachel, cujo comboio passa na casa de um casal aparentemente feliz, e casado, que ela não conhece. Um dia ao passar pela residência, Rachel testemunha algo que muda a sua perceção sobre o casal. Quando a mulher desaparece, Rachel pensa que ela está de algum modo relacionada com o desaparecimento.

O elenco conta com Emily Blunt, no papel principal, Rebecca Ferguson, Haley Bennett, Justin Theroux, Luke Evans, e Édgar Ramírez. Realizado por Tate Taylor (“As Serviçais“), o filme estreia a 5 de outubro. Vê o trailer.

 

Vê também: Óscares 2020 consolidam mudanças históricas

óscares

MANCHESTER BY THE SEA

A outra grande sensação de Sundance deste ano, “Manchester By The Sea” foi considerado o melhor filme do festival e a interpretação de Casey Affleck tem recebido muitos elogios pela crítica. O ator dá vida a um homem que regressa à cidade natal depois da morte do seu irmão para cuidar do sobrinho. Além de Affleck, Michelle Williams, Kyle Chandler, Gretchen Mol e Kara Hayward completam o elenco principal.

Apesar de estes elementos não serem garantias para uma vitória nos Óscares, a história promete ser um murro emocional. Na sequência de críticas no festival, Amazon comprou a longa-metragem por 10 milhões de dólares. O filme tem estreia prevista para janeiro. Vê o trailer.

 

Concordas com os principais candidatos aos Óscares do próximo ano?


PARTE 2 >>


 

Catarina Fernandes

Mestre em Ciências da Comunicação e fotógrafa amadora. Seriófila compulsiva e apaixonada por literatura, assim como pelo cinema e pela sua história. (Extremamente) Viciada em música e concertos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *