7 factos que não sabias sobre The Post de Steven Spielberg

Descobre os factos e curiosidades sobre o mais recente projecto de Steven Spielberg, que conta a história da publicação dos Pentagon Papers pelo The Post.

The Post” conta o drama emocionante sobre a improvável parceria entre Katharine Graham (Meryl Streep) do Washington Post, a primeira mulher na liderança de um dos principais jornais norte-americanos e Ben Bradlee (Tom Hanks), o editor do jornal, na corrida com o New York Times para expor um dos maiores encobrimentos de segredos governamentais que durou três décadas e passou por quatro presidentes americanos.

Conheces o episódio verídico que inspirou o filme? Fica a par dos principais factos e curiosidades sobre o recente drama de Spielberg.

1. A verdadeira Katharine Graham

Meryl Streep the post

The Post é centrado na história inspiradora de Katherine Graham (Meryl Streep), que era na altura a única mulher à frente de um jornal norte-americano, e da sua luta até conseguir afirmar-se como uma das personalidades mais respeitadas da História do jornalismo.

2.Times ganha o furo jornalístico

The Post

Na altura em que os Pentagon Papers foram publicados, o Times era o jornal número um nos EUA, com o Washington Post a ganhar terreno, em grande parte graças ao editor Ben Bradlee (Tom Hanks). Na primavera de 1971, Bradlee e a diretora Katharine Graham ouviram rumores que o New York Times estava prestes a publicar uma notícia gigante.

Só a 13 de junho do mesmo ano é que tiveram conhecimento dos Pentagon Papers, designação dada ao relatório secreto “United States-Vietnam Relations, 1945–1967”, fotocopiado por Daniel Ellsberg e entregue ao repórter Neil Sheehan do Times. O relatório continha informações chocantes sobre a verdade da Guerra do Vietnam.

Assim que descobriu o furo que o Times estava a montar, Bradlee organizou a sua equipa e exigiu que encontrassem a sua própria documentação, tendo de engolir o orgulho de ser o segundo jornal a publicar a notícia do ano.

3.The Post deita as mãos aos papéis

Tom Hanks The Post

A 16 de junho, Bradlee conseguiu finalmente deitar mão a uma cópia do relatório classificado, após ter descoberto a fonte inicial, Daniel Ellsberg (Matthew Rhys).

No entanto, The Post encontrava-se numa posição inicial de oferta pública de acções, logo infringir a lei podia comprometer as negociações. Para além do facto de o jornal ter sido criado com a premissa de divulgar notícias para o bem dos americanos, e espalhar segredos nacionais podia ser considerado uma violação desses termos.

Estas acusações criminais também poderiam significar a perda das licenças televisivas no valor estimado de 100 milhões de dólares. A juntar ao facto de que o tribunal já tinha emitido uma ordem judicial contra o Times, pelo que as consequências para o The Post podiam ser bem piores.

Lê Também:
Academia reduz a 10 os candidatos ao óscar de melhores efeitos visuais

4. A resposta do Governo

The Post

O relatório que originou os Pentagon Papers tinha sido autorizado pelo antigo Secretário da Defesa Robert McNamara. O mesmo cobria incidentes ocorridos entre as presidências de Harry Truman e Lyndon Johnson. Apesar da administração de Richard Nixon não ter sido exposta, a Casa Branca odiou ver informação classificada exposta.

A Guerra do Vietnam já não estava a ser vista da melhor forma pela população em geral, pelo que o conhecimento da existência dos Pentagon Papers só veio acrescentar lenha à fogueira. Nixon também repudiava a ideia de ver informação privilegiada sobre a sua administração exposta, já que o próprio não tinha o melhor dos currículos por ter possivelmente interferido com negociações de paz antes de ter ganho as eleições em 1968.

John Mitchell, o Procurador-Geral do caso, avisou o Times que estava a violar a Lei da Espionagem e a comprometer os interesses da defesa dos EUA. No entanto, o jornal recusou-se a parar a publicação, sendo que a mesma só cessou após a recepção da ordem judicial a 15 de junho.

5.The Post publica

The Post publicado

O primeiro artigo do The Post sobre os Pentagon Papers foi publicado a 18 de junho. Tal como aconteceu com o Times, The Post só cessou a publicação após a recepção de ordem judicial.

Com o caso a perfurar o sistema judicial norte-americano, o governo alegou que as publicações estavam a colocar em risco a segurança nacional e relações diplomáticas do país. A dada altura, o Departamento de Justiça solicitou que os advogados do The Post não estivessem presentes durante as audiências, pedido que foi refutado pelo juiz. O sigilo foi, no entanto, mantido com outros procedimentos em salas com a janelas cobertas.

6. A decisão do Supremo Tribunal

Meryl Streep The Post

O Supremo Tribunal decidiu ouvir The Post e o Times em conjunto a 26 de Junho, tendo a dia 30 decidido a favor dos direitos dos jornais em publicar. Esta decisão originou investigações à Casa Branca, cujas descobertas ajudaram a derrubar o governo de Nixon.

A publicação dos Pentagon Papers não só aumentou a reputação nacional do The Post, como, internamente, assegurou a posição e carácter de Katherine Graham.

7. Curiosidades sobre o filme

Steven Spielberg The Post

Spielberg demorou apenas 9 meses a produzir “The Post”. O realizador recorreu a gravações reais da voz do presidente Nixon, divulgadas durante o escândalo Watergate. As gravações revelaram uma série de conversas telefónicas entre o Presidente e diversos membros da Administração. Spielberg também construiu uma réplica da redação do jornal Washington Post, com recurso a imagens da época.

O filme conta ainda com a colaboração de Josh Singer no argumento (vencedor de 1 OSCAR com “O Caso Spotlight”), Janusz Kaminski na direção de fotografia (“A Lista de Schindler”) e com banda sonora de John Williams.

“The Post” tem estreia agendada para 25 de janeiro de 2018. Vais ver?

Inês Serra

Cresci a ir ao cinema, filha de pais que iam a sessões duplas...Será genético? Devoro livros e algumas séries. Fã incondicional do fantástico e do sci-fi. Gostaria de viver todos os dias com o mote Spielbergiano - "I dream for a living"

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *