Inside Out | Estreia no verão de 2015

 

FICHA TÉCNICA

Título Original: Inside Out
Título Nacional: Inside Out: Divertida-Mente
Realização: Pete Docter
Actores: Amy Poehler, Bill Hader, Lewis Black, Mindy Kaling, Phyllis Smith
Argumento: Pete Docter
Produção: John Lasseter, Jonas Rivera

 

SINOPSE

Inside Out é baseado em Riley que se vê obrigada a mudar de cidade quando o pai inicia um novo trabalho em São Francisco. Riley é guiada pelas suas emoções: Alegria (Amy Poehler), Medo (Bill Hader), Raiva (Lewis Black), Repulsa (Mindy Kaling) e Tristeza (Phyllis Smith).

As emoções vivem na Sede, o centro de controlo no interior da mente de Riley. Quando Riley e as suas emoções se esforçam por se ajustar à nova vida em São Francisco, o tumulto toma conta do Quartel-general. Apesar da Alegria, a emoção principal de Riley, tentar manter as coisas positivas, as emoções entram em conflito sobre a melhor forma de navegar numa nova cidade, casa e escola.

 

TRAILER

 

Inside Out: Divertida-Mente estreia nos cinemas portugueses no verão de 2015.

 

PETE DOCTER, REALIZADOR:

Fazendo uma retrospectiva da sua história na Pixar, pode falar um pouco sobre os lugares por onde levou o público a viajar no seu próprio corpo, o que levou a esta história?

Ambientes criados sempre me intrigaram. Lugares como Monstropolis são divertidos de se criar porque nos permitem olhar para o nosso próprio mundo de uma maneira diferente, e tirar proveito do que podemos fazer com a animação. Mas temos que nos manter atentos -se fizerem algo demasiado ambicioso, é fácil confundir as pessoas ou despistá-las, porque elas não têm uma imagem de referência. Quando me surgiu a ideia de um ambiente para filme no interior da mente, tal foi emocionante porque podemos visualizar locais como a memória a longo prazo, o subconsciente, o pensamento abstrato, a produção de sonhos – conceitos que as pessoas já conhecem. “Inside Out: Divertida-mente” dá-nos a hipótese de levar o público para um mundo que todos conhecem, mas onde nunca ninguém esteve.

Descreva como cresceu na Pixar: qual foi o seu primeiro trabalho e o que esperava alcançar? Como é que cresceu enquanto contador de histórias?

Comecei na Pixar em 1990, um dia depois de me licenciar. Comecei como animador, desenhista, guionista… todos fazíamos tudo naquela época, porque éramos poucos. Quando John Lasseter, Andrew Stanton, Joe Ranft e eu começámos a desenvolver “Toy Story”, basicamente não tínhamos ideia do que estávamos a fazer. Muito do que nos inspirou foi o desejo de fazer algo que fosse novo, diferente de tudo o que já tinha sido feito em animação.

Mas quando o estávamos a fazer, descobrimos que o que realmente nos fez preocupar com o que estava a acontecer na história eram as relações entre personagens – especialmente quando as relações evoluiam e se modificavam. Por exemplo, Woody e Buzz não se suportam em “Toy Story”, mas cresceram ao ponto em que um estaria disposto a sacrificar-se pelo outro. Esta mudança na personagem é muito gratificante. Sejam monstros, peixes ou emoções, é realmente isso que procuramos em todos os nossos filmes.

JONAS RIVERA, PRODUTOR

Descreva como começou na Pixar, como se juntou a Pete há tantos anos, que filmes trabalharam e o porquê de esta ser uma boa parceria.

Comecei na Pixar em 1994 como o primeiro estagiário de produção no estúdio, trabalhando em “Toy Story” – estava definitivamente no “lugar certo, à hora certa!” O estúdio cresceu após o lançamento de “Toy Story” e eu prossegui o meu caminho através de vários projectos em produção, em última instância a produzir “Up – Altamente!” e agora no “Inside Out: Divertida-mente”. Pete Docter e eu tornámo-nos amigos desde cedo, já que descobrimos que tínhamos gostos muito semelhantes em filmes, animação e, claro, na Disneyland. Inicialmente trabalhei diretamente com Pete como gerente do departamento de arte em “Monstros e Companhia”, e estou orgulhoso do nosso balanço enquanto parceiros. Pete imagina o tipo de filmes que eu quero ver – o que os torna no tipo de filmes que eu quero produzir.

Como é que os filmes em que trabalhou, contribuiram para o desenvolvimento de “Inside Out: Divertida-mente”?

Aprendemos algo novo em cada filme e trazemos essa experiência para cada projecto novo. A minha experiência de trabalho com Pete tem-me dado um bom sentido de oportunidade em termos de desenvolvimento da história, escrita, casting, etc. A ajuda mútua entre nós, proveniente de filmes anteriores, e esse trabalho de equipa tem sido incrivelmente útil enquanto trabalhávamos no “Inside Out: Divertida-mente”.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.