Diet Cig (foto de Emily Dubin)

Os Diet Cig dão o seu melhor em “Night Terrors”

Lançado o álbum de estreia há já dois anos, os Diet Cig estão finalmente de volta com um single, “Night Terrors”, e uma série de datas de digressão.

Depois de um EP, Over Easy, os Diet Cig estrearam-se no campo dos longa-duração em 2017, com Swear I’m Good At This. O anúncio hoje de uma série de datas de digressão por Inglaterra, Canadá e Estados Unidos, acompanhado de um novo single lançado por meio da Frenchkiss, “Night Terrors”, pode bem ser o prenúncio de um novo álbum a caminho. Venha ou não aí o sucessor do debute, o single que já temos entre mãos é razão suficiente para celebrar.

Lê Também:
"Fire" é o single principal do novo álbum de Waxahatchee

O duo de Nova Iorque é formado pela voz e guitarra infecciosas de Alex Luciano e pela bateria irrequieta, em perpétuo movimento, de Noah Bowman. Juntos, os Diet Cig fabricam um pop-punk lo-fi, febril, vivaz e longe de muitos dos clichés do género. O novo single, “Night Terrors” é composto por uma melodia vocal entre o infantil e o irresistível, ao som de guitarras vibrantes. Sem desbravar novo território, devolve-nos o familiar com o renovado cunho de um carisma inegável. Tudo sobre o lençol de uma bateria que, tanto nas suas arritmias quanto na sua pacífica turbulência, nos contagia ao som do primeiro acorde.

Quer no movimento que gera, quer no boicote a esse movimento, numa atmosfera de sonho e vulnerabilidade, o instrumental sublinha o tema da luta com os horrores nocturnos: “I’m doing my best to/ Keep it in check but/ It’s out of my control/ It’s the only thing/ In my life I/ Haven’t outgrown”. Fazer o melhor que se pode não chega e não tarda, por isso, o pedido de empatia e ajuda: “I know that you feel it too (…) I want you to wake up next to me”. Acerca deste tema, disse Alex Luciano num comunicado de imprensa:

“Esta canção gira em torno das minhas, bem reais e frequentes, experiências com terrores nocturnos e outras formas de bizarra sonolência. Todo aquele que esteve suficientemente próximo de mim, a partilhar um quarto, sabe do que estou a falar. Esta canção é para eles. A ideia de terrores nocturnos também representa o facto de que, não interessa quão fortemente eu tente curar uma certa perfeita versão de mim mesma, aquelas partes embaraçosas, estranhas, repugnantes estarão sempre ali também. As pessoas de quem sou mais próxima acabarão por vê-las, quando saírem inevitavelmente disparadas de mim, tal como os meus terrores nocturnos a meio da noite. Esta canção é sobre agarrar-me àquela esperança de que os verdadeiros amigos gostarão de mim apesar de todas estas coisas esquisitas latentes em mim. Mesmo quando estou a gritar com eles a meio do sono, do outro lado do quarto de hotel.”

DIET CIG | “NIGHT TERRORS”

Maria Pacheco de Amorim

Literatura, cinema, música e teoria da arte. Todas estas coisas me interessam, algumas delas ensino. Sou bastante omnívora nos meus gostos, mas não tanto que alguma vez vejam "Justin Bieber" escrito num texto meu (para além deste).

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *