©PRIS Audiovisuais

O Homem Que Vendeu a Sua Pele | Ganha convites com a MHD

“O Homem Que Vendeu a Sua Pele” chega às salas de cinema nacionais a 24 de Junho.

O FILME | O HOMEM QUE VENDEU A SUA PELE

O homem que vendeu a sua pele
©PRIS Audiovisuais

Lê Também:
Guia de Estreias de Cinema em 2021

O HOMEM QUE VENDEU A SUA PELE | PASSATEMPO MHD

A Magazine.HD, e a PRIS Audiovisuais, têm convites duplos para oferecer para a antestreia do filme “O Homem Que Vendeu a Sua Pele”, no dia 22 de Junho (terça-feira), pelas 20h30.

  • Lisboa – Cinemas UCI, El Corte Inglés –  5 convites duplos
  • Porto – Cinema Trindade –  3 convites duplos

Para te habilitares a um destes prémios basta fazer Follow no Instagram da MAGAZINE.HD e da PRIS Audiovisuais e preencher os dados requeridos no FORMULÁRIO de PARTICIPAÇÃO até 21 de Junho.

VENCEDORES:

Lisboa:

Ricardo Luís Ferreira Morais de Araújo
Inês Filipa das Neves Antunes Ramalhete
Ana Lúcia Martins
Inês Isabel Martins Monteiro
Márcia Cristiana Marques Ferraz

Porto:

Álvaro Júlio Sousa Silva
Pedro Afonso Moreia Gomes
Rita Soares

IMPORTANTE

  • Para a atribuição de qualquer prémio, designadamente convites, dvds, blu-rays, cds, jogos ou livros, serão apenas consideradas participações válidas, aquelas que incluam os dados pessoais solicitados, além da indicação das respostas certas. Os vencedores são selecionados de forma aleatória, sendo que só é válida uma participação por pessoa. 
  • O evento é privado, sendo que a admissão pode ser vetada pelos responsáveis do evento, a qualquer momento do evento.
  • Só é válida uma participação por pessoa. As participações repetidas (com o mesmo e-mail ou cartão do cidadão) serão ANULADAS. No caso do passatempo incluir mais do que um prémio, o leitor pode ter uma participação por prémio. Por exemplo, havendo antestreia do filme em Lisboa e no Porto, o leitor pode participar uma vez para Lisboa, e uma vez para o Porto. Contudo, é necessário ter em atenção que o participante não será vencedor de mais do que um prémio. Por exemplo, se ele receber o bilhete duplo para a antestreia no Porto, ele não poderá ir à antestreia de Lisboa, e vice-versa.
  • No local de levantamento do convite, pode ser pedido pelo Cinema exibidor, identificação via documento adequado designadamente cartão de cidadão. Só são consideradas participações com nome completo.
  • Os convites são pessoais e intransmissíveis, sendo que só podem ser levantados pelos próprios vencedores mediante a apresentação de um documento de identificação dentro do prazo de validade. Não existe opção de fornecer “autorizações” para levantamento.
  • As desistências de última hora às antestreias serão penalizadas. Apenas deve concorrer quem sabe ir poder usufruir, pois o contrário prejudica o Distribuidor Sponsor do passatempo, o Cinema exibidor, a MHD e os restantes participantes que poderiam ter usufruído desse prémio.
  • Salvo indicação expressa em contrário, os portes de envio não estão incluídos.
  • A participação neste passatempo pressupõe que o seu titular aceita lhe seja enviada a nossa Newsletter informativa e de aviso sobre outros passatempos.

João Fernandes

Licenciado em Cinema, venerador de banda desenhada, fotografia e videojogos!

João Fernandes has 1725 posts and counting. See all posts by João Fernandes

One thought on “O Homem Que Vendeu a Sua Pele | Ganha convites com a MHD

  • Assisti a este filme em pré-estreia e, gostei muito. Este filme irá servir de inspiração para um outro filme/documentário que está em fase de produção pela Fundação Geolíngua desde 16-9-2004, quando foi sequestrada do Hotel Sheraton de Lisboa e cujo presidente da Fundação possui os seus dois passaportes, brasileiro e português, apreendidos, até os dias de hoje, pelo Sheraton & Advogados Associados e, com a cumplicidade da Ordem dos Advogados, da Imprensa e do Governo português. A intenção deste filme/documentário é chamar a atenção do mundo para se averiguar como “funciona” a Justiça em Portugal, via os seus juízes, advogados e jornalistas, a “Santíssima Trindade da Justiça”, provavelmente os piores do mundo, desde há 8 séculos, obrigando o Rei D. Dinis a fazer uma lei punindo o povo que cometia perjúrio e os advogados que traiam os seus próprios clientes. Para mais detalhes contactar a Fundação Geolíngua.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *