Óscares 2016 | Andy Nelson, Star Wars e A Ponte dos Espiões

 

Andy Nelson é um dos mais bem-sucedidos sonoplastas do cinema de Hollywood, tendo este ano alcançado duas nomeações pelo mais recente Star Wars e A Ponte dos Espiões.

<< Ennio Morricone, Os Oito Odiados | Sian Grigg, The Revenant >>

Parece que poucas pessoas conhecem a diferença entre as duas categorias de som nos Óscares. Mesmo votantes da Academia parecem estar completamente iludidos do porquê desta diferenciação, tal como pode ser verificado por alguns reveladores artigos anualmente publicados no Hollywood Reporter. Basicamente Sound Editing refere-se aos efeitos sonoros individuais, sendo que a categoria antes tinha mesmo a palavra Effects no seu nome, enquanto Sound Mixing se refere à sonoplastia de todo o filme, representando a modulação e organização dos efeitos sonoros, do diálogo, dos sons do plateau e da própria banda-sonora. Andy Nelson este ano alcançou algo que é usualmente raro nos Óscares, uma dupla nomeação em Sound Mixing, pelo seu trabalho em A Ponte dos Espiões e Star Wars: O Despertar da Força.

Este engenheiro de som iniciou a sua vida profissional como um projecionista em Londres, marcando desde cedo a sua invariável ligação para com o mundo do cinema. Depois disso, Nelson aventurou-se no mundo da música, tendo feito parte de vários projetos musicais desenvolvidos nos circuitos artísticos da capital do Reino Unido antes de começar a trabalhar para Ken Russell, um dos mais ousados e estilisticamente agressivos autores do cinema inglês nas décadas de 60, 70 e 80.

 

Andy Nelson
Star Wars: O Despertar da Força

 

Apesar das suas raízes profissionais estarem fixamente cimentadas no mundo mais underground do cinema de intenções artísticas, Nelson depressa se começou a envolver em produções de dimensões e projeção imensamente maior, sendo que, em 1988, acabou por receber a sua primeira nomeação aos Óscares pelo seu trabalho em Gorilas na Bruma, um filme biográfico sobre o trabalho e a vida de Jane Goodall.

Lê Também: A Ponte dos Espiões, análise e curiosidades

A partir da sua filiação com os Todd A-O Studios em Hollywood e mais tarde com a Fox, Andy Nelson teve a impressionante oportunidade de trabalhar com alguns dos mais populares realizadores do cinema mainstream, assim como em alguns dos mais célebres e lucrativos filmes das últimas duas décadas.

 

a ponte dos espiões Andy Nelson
A Ponte dos Espiões

 

A sua relação profissional com Steven Spielberg tem sido especialmente frutífera no que diz respeito a prestígio e sucessos financeiros e críticos, sendo que foi precisamente por um filme do realizador que Andy Nelson ganhou o seu primeiro Óscar em reconhecimento do seu trabalho em O Resgate do Soldado Ryan. Ao todo, Nelson já acumulou 20 nomeações aos Óscares, tendo arrecadado dois, com o seu segundo a ser uma vitória bastante recente por Les Miserables.

Depois de décadas a trabalhar com Steven Spielberg, o sucesso de A Ponte dos Espiões certamente que não deverá ter sido uma surpresa e tendo em consideração o seu trabalho em filmes como Avatar e Star Trek, o triunfo sonoro do mais recente filme da saga Star Wars também não deverá ter surpreendido ninguém com a sua excelência. Resta saber se a Academia lhe irá atribuir um terceiro óscar por um destes dois triunfos.

<< Ennio Morricone, Os Oito Odiados | Sian Grigg, The Revenant >>

 

Cláudio Alves

Licenciado em Teatro, ramo Design de Cena, pela Escola Superior de Teatro e Cinema. Ocasional figurinista, apaixonado por escrita e desenho. Um cinéfilo devoto que participou no Young Critics Workshop do Festival de Cinema de Gante em 2016. Já teve textos publicados também no blogue da FILMIN e na publicação belga Photogénie.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *