Pack Ruben Östlund (Filmin) | Passatempo MHD

O Quadrado” foi uma das grandes estreias independentes deste ano e para o celebrar foi lançado um pack do realizador Ruben Östlund!

1 de 2

A FILMIN

Direcionada a todos os amantes de cinema, a Filmin é uma plataforma VoD (video on demand) portuguesa focada no cinema independente. O projeto nasceu de uma iniciativa de colaboração e diálogo entre as distribuidoras e as produtoras nacionais, e críticos, festivais e instituições culturais nacionais e internacionais. A Filmin é muito fácil de usar, acessível a todos, e uma grande oportunidade de vermos aquele filme que tanto queremos ver mas que já não se encontra em estreia – tudo em alta-definição. A sua base de dados permite ainda ao utilizador pesquisar as obras que deseja ver e adicioná-las a uma “lista de favoritos” ou “lista de desejos” que pode consultar em qualquer lado, seja no computador, no smartphone ou no tablet.

PACK RUBEN ÖSTLUND:

Play

“Certa tarde, dois miúdos passeiam num centro comercial para comprar um jogo de vídeo, entretanto, um grupo de crianças negras intercepta-os e acusa-os de terem um telemóvel que lhes pertence e que lhes tinha sido roubado. Os dois amigos ficam assim, semi-sequestrados pelo grupo que vai tecendo acusações e fazendo jogos psicológicos, tudo para ficar o telemóvel. Uma narrativa densa que, sem nunca se transformar em violência explícita, deixa facilmente o espectador com um nó na garganta.A trama, imaginada por Östlund a partir de histórias reais passadas em Gotemburgo entre 2006 e 2008.”

Força Maior

“Uma família sueca viaja para os Alpes Franceses para desfrutar de uns dias de esqui. Durante o almoço num restaurante na montanha, uma avalanche vai provocar o caos. Com os comensais a fugir em todas as direções, a mãe Ebba chama pelo seu marido Tomas, enquanto tenta proteger os seus filhos. Tomas, entretanto, está a fugir para se salvar… Nomeada para os Globos de Ouro, injustamente ignorada nos Óscares, foi um grande triunfo no Festival de Cannes. Um dos melhores relatos sobre a crise de casal que temos visto nos últimos tempos.”

Involuntary

“Ruben Östlund, um dos protagonistas de Cannes 2017, debruça o seu olhar insubmisso pela sociedade sueca, no seu filme Involuntary (2008), que se centra no tema do poder da sociedade sobre o indivíduo.Apresentado na secção Un Certain Regard no Festival de Cannes de 2008, a segunda longa metragem de Ruben Östlund, oferece-nos cinco episódios que constituem um retrato da sociedade sueca ao estilo de Roy Adersson. Cada episódio questiona o papel do indivíduo face à sociedade, num estilo que privilegia os planos prolongados, apanágio do realizador, e enquadramentos pouco convencionais. Um anfitrião de meia idade de classe média que num jantar para amigos se fere com um fogo de artifício e se recusa a tratar-se, um motorista de autocarro que para numa estação e se recusa a avançar enquanto algum dos passageiros não confessar ter partido o varão da cortina da casa de banho, uma professora que adverte os alunos quanto à importância de respeitar o que a maioria quer, mas que simultaneamente sofre do mesmo problema na sala de professores. Estas e outras histórias servem de mote a uma crítica da conformidade sueca e do seu respeito absoluto pela autoridade.”

1 de 2

Ângela Costa

Mestre em Cinema pela Universidade da Beira-Interior, sou apaixonada pelo cinema japonês e toda a cultura que o envolve. Adoro igualmente fotografia e se tiveres curiosidade passa no meu Instagram ;) Música e videojogos são dois outros grandes interesses.