Entrada para o Parque Mayer com o Teatro Maria Vitória, vista da Avenida da Liberdade | 69joehawkins, via Wikimedia Commons

O Parque Mayer faz 100 anos

Considerado um ex-libris da cidade, o Parque Mayer celebra 100 anos de existência e tem preparada uma programação especial para o mês de julho. Parabéns Parque Mayer!

Após o fim da I Guerra Mundial, a maioria dos países do ocidente, marcados pela dor e a perda, entram numa luta frenética para recuperar a alegria de viver. A euforia chega sob a forma dos aclamados Loucos Anos 20, o período onde o mexer das ancas servia para afastar os maus pensamentos deixados pelo conflito armado. Enquanto os EUA se concentram em arranjar bares clandestinos que fujam à Lei Seca, Lisboa arranja um local que se torna o epicentro da vida artística e cultural, o Parque Mayer.

A 15 de junho de 1922 nascia então aquele que se viria a tornar no verdadeiro ex-libris da cidade, o Parque Mayer. Construído nas traseiras do Palácio Lima Mayer, o atual consulado de Espanha, surge como um espaço que recria o ambiente das antigas feiras populares, onde saltimbancos se misturavam com as “aberrações” que eram exibidas no recinto, no qual havia barraquinhas de tiro e zonas de restauração. Desde logo este se tornou num espaço que combinava o entretenimento com o glamour de uma das principais avenidas da capital, a Avenida da Liberdade.

Lê Também:
Julho no teatro: Lisboa

Transformado num dos maiores polos culturais da grande metrópole, rapidamente o Parque Mayer incorporou o teatro no seu longo rol de atividades de entretenimento. A 1 de julho de 1922 era inaugurado o Teatro Maria Vitória, o espaço cultural que, a muito custo, tem sobrevivido à passagem do tempo, chegando agora a celebração do seu 100º anivesário. Muito mais que uma sala de espetáculos, o Teatro Maria Vitória, em homenagem à atriz homónima que popularizou o conhecido “Fado do 31”, tornou-se o berço de um novo género teatral, a Revista à Portuguesa.

Conhecido pela forma como satiriza a situação sociopolítica do país, o Teatro de Revista tem como objetivo fazer uma sumarização dos acontecimentos mais marcantes da atualidade, usando o humor e a canção para acentuar a crítica social. Rapidamente os números musicais que surgiam nas peças encenadas no Parque Mayer ficavam gravadas na memória do povo, sendo cantadas de geração em geração, espalhando-se pelas ruas de Lisboa e do resto do país.

Vamos ao Parque - Teatro Maria Vitória
Vamos ao Parque, via Teatro Maria Vitória

A popularidade deste novo género teatral gerou a necessidade de alargar a oferta de salas de espetáculo dentro do Parque Mayer e, a 6 de julho de 1926 era inaugurado o Teatro Variedades, por onde passaram nomes como Vasco Santana e Costinha. Mais tarde, em 1931, houve a abertura do primeiro cineteatro do local, o Capitólio, reconstruído recentemente. Por fim, em 1956 era a vez de o Teatro ABC abrir portas, tornando-se o palco onde Ivone Silva se viria a estrear.

Com o fim do Estado Novo e o término da censura, o Teatro de Revista foi perdendo o seu vigor e, infelizmente, o Parque Mayer entrou num período de decadência, culminando com o atual parque de estacionamento que invadiu o espaço outrora de excelência do povo lisboeta. Mas a luta pela devolução dos anos gloriosos ao Parque Mayer jamais cessou e a celebração dos 100 anos deste polo cultural marca o início do revivar do ex-libris da cidade.

Durante o mês de julho, o Parque Mayer vai contar com um conjunto de atividades que trarão de novo o espírito cosmopolita que sempre caracterizou este espaço cultural. Desde noites de fados, tertúlias com grandes nomes que pisaram os palcos dos teatros do Parque Mayer, passeios temáticos pelos percursos mais emblemáticos e noites de bailaricos com as danças mais comuns do passado. Esta é uma iniciativa da Câmara Municipal de Lisboa que promete trazer de volta um pouco da magia que sempre se viveu no Parque Mayer. A programação pode ser consultada aqui.

DOCUMENTÁRIO | O PARQUE MAYER COMEMORA 100 ANOS DE EXISTÊNCIA

Já tiveste oportunidade de visitar o Parque Mayer? Gostavas de ver revitalizado este espaço cultural?

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.