Charles B. Weisser

Green Book | Produtor responde às críticas ao filme

Charles B. Wessler, um dos produtores do filme “Green Book” respondeu às críticas negativas dos jornalistas da NBC e Vanity Fair. 

Charles B. Wessler, produtor do filme “Green Book: Um Guia Para a Vida”, vencedor do Óscar de Melhor Filme parece descontente com as críticas negativas que “Green Book” foi alvo e respondeu com emails raivosos e um pouco desesperados.

Jenni Miller, uma jornalista da NBC, publicou o email de Charles B. Wessler que foi um comentário ao seu artigo para a NBC News intitulado “The Green Book is a movie about racism, made by white people for white people. See the problem?” (“Green Book é um filme sobre racismo, feito por pessoas brancas para pessoas brancas. Vêem o problema?”, tradução livre). O texto publicado no Twitter pode ser visto abaixo.

Lê Também:
Óscares 2019 | Post-mortem da cerimónia

No email, Charles B. Wessler referiu que “Green Book” não é racista e que foi feito tanto por pessoas brancas como pessoas negras. Além disso, disse que os “afro-americanos na maior parte ADORAM este filme”, e acusou Jenni Miller de parecer estar a escrever como uma jornalista da FOX. Não queremos fazer muitos julgamentos quanto ao facto, mas a verdade é que o produtor Charles B. Wessler não tem lá muitos argumentos para se defender das críticas que o seu filme foi alvo.

Eu não vou continuar a dizer o quão errada está, mas a senhora tem uma GRANDE responsabilidade para escrever sobre a VERDADE quando escreve para a NBC. A senhora, por outro lado, está a escrever como uma jornalista da FOX.

No seu artigo, Jenni Miller escreveu que,

Se o ‘Green Book’ quer ser levado a sério como um filme contra o racismo – como se tem posicionado – deve confrontar a realidade racista e as pessoas que foram diretamente afetadas (e ainda afeta) de uma forma profundamente honesta…

Já o crítico K. Austin Collins da Vanity Fair afirmou que também recebeu uma mensagem do produtor de “Green Book”, mas que esta foi ainda mais agressiva.

O e-mail de Wessler é o mais recente caso de polémica a envolver o a equipa técnica por trás do filme vencedor do Óscar de Melhor Filme. O argumentista e produtor Nick Vallelonga, cuja história baseia-se na vida do seu pai, foi forçado a pedir desculpas depois de um tweet anti-muçulmano enviado em 2015, e o realizador Peter Farrelly também teve que se desculpar após acusações de abusos sexuais no ano passado. “Green Book” tem sido repetidamente criticado por sua política racial retrógrada, sendo mais recentemente descrito como “um grande passo para trás” por Joseph Harker do The Guardian.

Afinal não sou o único contra o filme como já havia referido em Óscares 2019 | Post-mortem da cerimónia, artigo de uma avaliação exaustiva sobre a cerimónia decorrida no passado domingo.

O que pensas dos comentários do produtor?

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *