© Filmin

A Promessa | Filme de António de Macedo em estreia na Filmin

Descobre a versão digitalizada de “A Promessa” com a Filmin e não percas esta oportunidade de mergulhar no cinema de António de Macedo.

António de Macedo, um dos grandes nomes por detrás do do Novo Cinema Português, foi responsável por levar Portugal à selecção oficial do Festival de Cinema de Cannes, pela primeira vez, há 50 anos atrás. O autor com obra contínua no campo do fantástico e que aliás já teve direito a uma homenagem no Madeira Fantastic FilmFest em 2022, poderá voltar a ser descoberto com a estreia de “A Promessa” na Filmin.

Integrado do Plano de Digitalização do Cinema Português, a Cinemateca Portuguesa- Museu do Cinema realizou o processo de digitalização do filme “A Promessa”, aquela que é porventura a obra mais icónica do realizador, marcada pela sua irreverência devido às temáticas tocadas e pela forma de apresentação dos corpos no grande ecrã – foi a primeira obra portuguesa a mostrar dois corpos nus.

“A Promessa” inspira-se na obra teatral homónima de Bernardo Santareno e assenta num trabalho de investigação sociológica levado a cabo nas aldeias piscatórias em que decorre a acção, com produção do Centro Português de Cinema. Eis a sinopse em baixo:

Maria do Mar e o seu marido, José, são jovens recém-casados que vivem numa aldeia de pescadores, Palheiros de Tocha, entre Aveiro e Figueira da Foz. A sua intimidade é no entanto perturbada por um voto de castidade que fizeram em consequência de uma tempestade que provocou o naufrágio do barco do pai do José, que conseguiu salvar-se, ficando aleijado de uma perna. Ambos vivem em permanente tensão, originada pela presença do Labareda, um cigano recolhido pelo casal, na sequência de uma disputa em que foi esfaqueado.

Nenhum outro cineasta do Cinema Novo utilizou o cinema como ferramenta para fazer passar problemas e mensagens da sociedade. Assim  “A Promessa” ressalta uma “dimensão social marcada no realismo documental das imagens da aldeia e dos pescadores e o confronto do cineasta com o tema da alienação religiosa, uma das constantes da obra de Macedo”.

Lê Também:   O Amor Segundo Dalva, a Crítica | O filme de Emmanuelle Nicot recebido em Cannes
A Promessa
© FILMIN

Celebrando a diversidade do cinema português para um novo público, a Cinemateca Portuguesa irá digitalizar mais de 1000 filmes portugueses de longa e curta-metragem, no âmbito do Plano de Digitalização do Cinema Português. O projeto visa levar o património cinematográfico às gerações actuais e futuras, e irá, certamente, transformar a nossa compreensão colectiva do Cinema Português, seja por restabelecer o acesso a filmes caídos no esquecimento, por recuperar obras conhecidas através da disponibilização de cópias digitais de qualidade, ou por fomentar novas sinergias de programação.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *