Sandy Powell Oscares 2019

Óscares 2019 | Quem é Sandy Powell?

Com 14 nomeações e três Óscares já ganhos, Sandy Powell, a figurinista de “A Favorita” e “O Regresso de Mary Poppins”, é uma das mais prestigiadas cineastas do cinema contemporâneo.

1 de 27

Bradley Cooper, Lady Gaga e Alfonso Cuarón não são as únicas pessoas com múltiplas nomeações nesta edição dos Óscares. Entre os cineastas menos célebres que também alcançaram várias honras entre os indicados para os Prémios da Academia de 2019, destaca-se aquela que é a rainha dos figurinistas contemporâneos. Referimo-nos à designer inglesa que já ganhou três Óscares e este ano celebra as suas 13ª e 14ª nomeações, a inigualável Sandy Powell.

Desde Robin Williams na Antiguidade Clássica até Elle Fanning como uma donzela extraterrestre, passando por comédias na corte de Isabel I, ação sanguinária na Escócia seiscentista, o século XVIII com Tilda Swinton, aventuras vampíricas no reinado da Rainha Vitória, o glamour da Velha Hollywood, o excesso do glam rock londrino e o excesso de Wall Street nos anos 90, Sandy Powell é capaz de retratar qualquer época em qualquer tipo de registo cinematográfico. Este ano, as suas nomeações reconhecem a criação de uma versão mágica da Londres de 1934 em “O Regresso de Mary Poppins” e as intrigas da corte da Rainha Anne da Grã-Bretanha no início do século XVIII em “A Favorita”.

Lê Também:
O Regresso de Mary Poppins, em análise

Os dois projetos receberam muitas nomeações, sendo que “A Favorita” é o grande campeão numérico ao lado de “Roma”, com um total de dez nomeações individuais, incluindo Melhor Filme. Quem sabe se esse prestígio e adoração geral vão resultar em mais uma vitória para Powell? A sua maior adversária será Ruth E. Carter e seus memoráveis trajes para “Black Panther”, mas, como se sabe, os Óscares tendem a dar muito mais valor a roupas de época do que a ficção-científica e cinema de ação. A própria Sandy Powell já se queixou de tais preconceitos e injustiças.

Quando ganhou o terceiro Óscar, em 2010, ela usou o seu discurso para recordar como nem todos os figurinistas têm oportunidade de trabalhar em faustosos filmes de época e não é por isso que seus esforços são menos valiosos. Enfim, uma coisa é certa, se voltar a ganhar bem podemos esperar que Sandy Powell suba ao palco para dizer que não precisa de mais uma estatueta e fá-lo-á muito mais bem vestida que qualquer uma das grandes celebridades presentes.

Sandy Powell com os seus três Óscares, ganhos em 1999, 2005 e 2010.

Para Sandy Powell, a moda representa algo de extrema importância na vida, como se vê tanto no seu estilo pessoal como na multiplicidade de referências estilísticas em todos os seus projetos. Contudo, quando chegou a altura de estudar e se enveredar no mundo profissional, ela virou as costas ao mundo da moda, preferindo seguir a sua paixão pelo teatro, cinema e a realidade necessariamente colaborativa dessas artes. De facto, em termos de estudos superiores, Powell começou a licenciatura em Design de Cena para Teatro na Central School of Art and Design de Londres.

Desde então, ela nunca abandonou o mundo das artes performativas, quer estas se manifestem nos palcos londrinos ou na ribalta de Hollywood. O primeiro realizador com que Powell trabalhou foi Derek Jarman, um autor vanguardista inglês famoso por suas propostas punk e experimentais. Essa colaboração ditou o rumo da carreira da figurinista que tem vindo a reunir uma coleção de cineastas de renome que, sempre que podem, vestem os seus filmes com as criações desta designer. Martin Scorsese, por exemplo, desde 2002 que depende dos talentos de Powell e o mesmo acontece com Todd Haynes, Mike Figgis e Neil Jordan. Para encantar tantos mestres do cinema, há que se ser uma mestra também.

Lê Também:
A Favorita, em análise

Acima de tudo, Sandy Powell é uma artista e até está disposta a sacrificar a sua segurança financeira em nome de liberdade criativa. Note-se como ela se foca em cinema de autor e sempre recusou qualquer trabalho em blockbusters de super-heróis. Para a figurinista, é uma escolha simples, pois não está disposta a dedicar meses da sua vida a um projeto do qual não se vai orgulhar e que, enquanto espectadora, ela mesma não teria interesse em ver. Não é uma snob, simplesmente uma cinéfila exigente que aplica os mesmos critérios de espectadora ao seu trabalho.

Com tudo isto dito, convidamos-te a descobrir connosco as maravilhas de Sandy Powell numa viagem pela sua filmografia desde o começo em cinema de autor vanguardista até à glória dos orçamentos gigantes da Disney e consagração do Óscar. Acredita que é um grande festim para os olhos ver a beleza das suas criações. Basta seguires as setas para comprovar isso mesmo e ver as próximas páginas.

1 de 27

Cláudio Alves

Licenciado em Teatro, ramo Design de Cena, pela Escola Superior de Teatro e Cinema. Ocasional figurinista, apaixonado por escrita e desenho. Um cinéfilo devoto que participou no Young Critics Workshop do Festival de Cinema de Gante em 2016. Já teve textos publicados também no blogue da FILMIN e na publicação belga Photogénie.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *