Chama-me Pelo Teu Nome

Armie Hammer confirma sequela de Chama-me Pelo Teu Nome

Armie Hammer confirma que a sequela de “Chama-me Pelo Teu Nome” é oficial, sendo o resultado de uma parceria entre Luca Guadagnino e André Aciman.

O final de “Chama-me Pelo Teu Nome” deixou muitos fãs a desejar por mais. A história de amor entre Elio (Timothée Chalamet) e Oliver (Armie Hammer) não deixou ninguém indiferente, por isso Luca Guadagnino, realizador do filme, tem vindo a expressar o desejo de continuar a mesma. A ideia será explorar ambos os personagens numa etapa mais tardia da sua vida, adaptando e atualizado o epílogo do romance de André Aciman. James Ivory, que se tornou no domingo passado no vencedor de Óscar com mais idade da história da Academia pelo seu trabalho em “Chama-me Pelo Teu Nome”, comentou que não tinha conhecimento da sequela.

Lê Também:
E os Óscares vão para...

Ao contrário de Ivory, Guadagnino não fala sobre outra coisa. O cineasta tem vindo a partilhar, durante as últimas semanas, pormenores sobre o novo guião, que ao que parece se irá situar nos anos 90. A sequela terá como pano de fundo o auge da crise da SIDA, e promete acompanhar o par por várias partes do mundo. Guadagnino revela ainda que gostaria de voltar a ter a dupla Timothée Chalamet e Armie Hammer, mas numa etapa mais madura das suas vidas reais. Um pouco ao estilo da trilogia de Richard Linklater, “Antes do Amanhecer”, com Julie Delpy e Ethan Hawke.

Na realidade, os dois atores também já tiveram a oportunidade de ler algumas das novas ideias de Luca Guadagnino. Hammer adiantou numa curta entrevista à IndieWire que

Ele [Guadagnino] revelou-nos o guião inteiro. Quer dizer, o argumento ainda não está acabado, mas ele tem um monte de ideias que quer colocar em prática. Luca está muito entusiasmando com a ideia, e, já agora, se ele o vai realizar, penso que nós todos também ficámos muito empolgados.

O ator comentou ainda que, embora espere continuar a ser um dos protagonistas, estaria disposto a regressar para um papel secundário:

Sabe, a experiência de participar no primeiro filme foi tão pura e bela, que não me importa se a minha personagem é principal ou secundária. Se as mesmas pessoas estiverem envolvidas, eu faria tudo outra vez.

Embora, Hammer esteja grato pela época dos Óscares ter finalmente terminado, o actor diz que todos os que estiveram envolvidos em “Chama-me Pelo Todo Nome” estão felizes por terem embarcado no projecto. “Nós apoiámo-nos uns aos outros. Teria sido um processo bastante diferente se não gostássemos uns dos outros”.

TRAILER | REVÊ O VENCEDOR DE UM ÓSCAR DA ACADEMIA, CHAMA-ME PELO TEU NOME

És da opinião que a história de Elio e Oliver deve continuar ou que irá estragar a magia do primeiro filme?

Inês Serra

Cresci a ir ao cinema, filha de pais que iam a sessões duplas...Será genético? Devoro livros e algumas séries. Fã incondicional do fantástico e do sci-fi. Gostaria de viver todos os dias com o mote Spielbergiano - "I dream for a living"

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *