She-Hulk: A Advogada © 2022 Marvel

She-Hulk | À conversa com Tatiana Maslany e a equipa

“She-Hulk: A Advogada” já tem estreia marcada na Disney+ Portugal e como tal tivemos de ir descobrir um pouco mais sobre a série junto da sua equipa. Com a protagonista Tatiana Maslany, e Ginger Gonzaga, a conversa contou ainda com a realizadora e produtora executiva, Kat Coiro, assim como a argumentista principal (e produtora executiva) Jessica Gao.

Uma nova série exclusiva da Marvel Studios para a plataforma da Disney+, “She-Hulk: A Advogada” apresenta-se como um projecto leve, com um toque de comédia e com a promessa que trará nova vida ao universo das séries MCU. Distanciando-se certamente do que já foi feito e apresentado, a nova super-heroína da Marvel tem relação directa com o adorado Bruce Banner/Hulk de Mark Ruffalo e os primeiros teasers antevêm uma história divertida.

SUBSCREVE JÁ À DISNEY+

Tatiana Maslany, que para muitos ficou conhecida pelo seu papel em “Orphan Black”, é a escolhida para interpretar Jennifer Walters. Advogada, e prima de Bruce Banner, acaba por se ver envolvida num novo mundo quando adquire os mesmos poderes que o seu primo e se torna numa super humana gigante e verde. O que a distingue no entanto? Bem, os poderes são relativamente os mesmos, mas com umas características apenas dela, e ao mesmo tempo que é a verdadeira She-Hulk, continua a ser também uma advogada em funções.

De estreia marcada já para 18 de agosto, a Magazine.HD não quis perder a oportunidade e foi descobrir um pouco mais sobre a série. Com Tatiana Maslany presente, o painel contou também com a actriz Ginger Gonzaga, que interpreta a melhor amiga de Jennifer, Nikki, e ainda com as produtoras executivas Kat Coiro – realizadora de vários episódios – e Jessica Gao, a argumentista principal.

She-Hulk Marvel
Tatiana Maslany é Jennifer Walters, a advogada capaz de se transformar em She-Hulk ©2022 Marvel Studios

Jennifer Walters, aka She-Hulk, é uma novidade na MCU e para Tatiana Maslany sem dúvida que é uma entrada entusiasmante neste universo de super-heróis. Pensando na personagem numa perspectiva de ‘saltos’ para Hulk, a actriz realçou o que a fez sentir-se verdadeiramente entusiasmada com a série.

“Ir para o tribunal foi realmente entusiasmante. Foi divertido. Esta série tem todos estes grandes elementos da Marvel, mas ao mesmo tempo lida com muitas outras coisas, como as aplicações de encontros e o swipe. E lidamos com ela [Jennifer Walters], e com ela a ajudar o pai a carregar coisas para a garagem. São esses pequenos (e doces) momentos que me fizeram ficar excitada em aceitar fazer esta série.”

Lê Também:
Marvel Studios e a cronologia da Sacred Timeline

Ainda que a protagonista seja realmente Jennifer, “She-Hulk: A Advogada” dá também particular ênfase à relação de amizade de Jen e Nikki (Ginger Gonzaga). Quando questionada sobre esta dinâmica, Ginger foi muito rápida a revelar o que sentia desta relação; afinal de contas, a actriz iniciou toda a conversa revelando sentir-se muito próximo à personagem de Nikki, sentindo mesmo que ela é uma quase uma extensão da sua própria personalidade.

“Eu adoro que elas sejam duas amigas que realmente se importam uma com a outra, que gostam uma da outra, e que têm algum sentido de maturidade emocional nas suas vidas. Mas também gosto do equilíbrio que existe entre as duas porque a Jen é ‘pelas regras’. Ela é segura e sabe o que está a fazer com a sua vida e tem todos os objectivos traçados. Enquanto que a Nikki é irresponsável e livre, mas de uma maneira divertida. Por isso gosto de saber que sou eu que encorajo a Jen a tornar-se a She-Hulk. Atrás de cada super-herói há um melhor amigo catalisador que o encoraja a meter-se em sarilhos. E além disso, a línguagem de amor da Nikki para a Jen é de sempre tentá-la fazer rir e de não levar tudo tão a sério.”

She-Hulk
Nikki é a melhor amiga de Jennifer, acompanhando-a nesta jornada como She-Hulk | Photo by Chuck Zlotnick. © 2022 MARVEL

Claro que a série nunca teria avançado se não tivesse uma equipa de argumentistas e realizadores que acreditasse no projecto e Kat Coiro e Jessica Gao são duas das grandes responsáveis. Kat Coiro por exemplo, responsável por realizar vários episódios da primeira temporada, é fã da personagem desde pequena. Nós perguntámos sobre a sua paixão de criança e sim, confirma-se, a série é uma sonho tornado realidade.

Kat realça, “eu lembro-me muito vivamente de ser pequena e ver a capa da banda desenhada de She-Hulk no meio de capas de super-heróis masculinos. E sem saber quem era ou a sua história, senti-me ‘tocada’. A ideia de ser grande e estar em controlo, foi algo que ressoou em mim”.

Com os primeiros teasers a revelarem um tom muito mais leve e de comédia em comparação a outros projectos, foi pedido que a própria equipa caracterizasse o projecto. Mas não é fácil, nem mesmo para Kat Coiro. Imensamente envolvida na temporada, a realizadora e produtora executiva não conseguiu caracterizar o género preciso da série. A resposta fácil, segundo ela, é que se trata de uma “comédia legal de meia hora“, mas se formos explorar é na verdade um “enorme escopo cinematográfico com elementos de drama, acção e suspense”.

She Hulk
Mark Ruffalo regressa à MCU novamente como Bruce Banner/Hulk © 2022 Marvel

Pelo meio da conversa torna-se claro que She-Hulk já não é a primeira super-heroína a ganhar destaque dentro da MCU (já nos foram apresentados “Captain Marvel”, “WandaVision” ou “Ms Marvel”), mas não é por isso que se torna menos interessante de ver este novo projecto. Para Jessica Gao, a argumentista, o que a distingue das outras super-heroínas da MCU começa precisamente no tipo de projecto.

“A beleza da televisão, ao contrário dos filmes, é que temos realmente tempo e espaço para nos sentarmos com a personagem e aprendermos sobre ela. E a oportunidade de a conhecer como uma pessoa de carne e osso. E é isso que faz distinguir a Jennifer Walter, She Hulk, e em parte também pela Tatiana Maslany. Pela Tatiana conseguimos sentir que a Jennifer é um ser humano real. Ela viveu uma vida, teve várias experiências, tem relações, uma família e amigos. E também vemos como ela muda e se sente diferente ao longo dos dias. É uma pessoa real que sente coisas, processa coisas e que como a grande maioria das pessoas tem altos e baixos.”

Lê Também:
Marvel Studios | O calendário da Saga do Multiverso

No entanto, para Gao, a importância de “She-Hulk: A Advogada” não está apenas na sua essência enquanto ser humana. Houve pequenos elementos da banda desenhada que se tornaram demasiado importantes para para não serem passados para a adaptação televisiva. A argumentista, que teve nesta série o seu quarto pitch (e finalmente com sucesso) junto da Marvel Studios, realçou que era impensável avançar com a série sem abordar a questão do meta humor, a quebra da quarta parede e a autoconsciência. Todos estes factores foram o que a fizeram apaixonar-se pela personagem e por isso tinham de ser incluídos na adaptação.

“Foi algo tão alegre e divertido e refrescante. Por isso acabou sempre por ser um elemento fundamental. E para mim, porque venho do mundo da comédia na televisão, senti que esse género também era uma prioridade. Mas depois, com um elenco tão incrível, também parece que estamos a fazer batota enquanto argumentistas. Porque eles chegam e personificam estas personagens com tanta humanidade e ‘realidade’. Ficamos a pensar que estavámos tão focados nas piadas que depois eles fazem deles uma pessoa verdadeira.”

Para Kat Coiro, esta dualidade da comédia e da personificação das personagens foi encontrada num equilíbrio perfeito. Afinal de contas, a série continua a ser idealizada para se enquadrar na MCU, não só de um modo visual mas também cinematográfico.

Mas para Jessica e Kat, a quebra da quarta temporada foi realmente o grande trabalho a ser desenvolvido para a entrada de She-Hulk no universo das séries Marvel. Foi uma longa jornada para se perceber quanto é que ela iria falar para a câmara, como é que o iria fazer e em que contexto aconteceria. O objectivo final? Encontrar o equilíbrio entre quebrar a quarta parede e criar uma ligação com a audiência de forma a cativá-la, mas o suficiente para não impedir a conexão à história e ao novo mundo de She-Hulk. E quanto a este tema, talvez o mais falado na nossa conversa, a Magazine.HD assegura: o equilíbrio foi encontrado e os fãs não ficarão desiludidos.

TRAILER | SHE-HULK É A NOVA SÉRIE DA MCU

“She-Hulk: A Advogada” estreia na Disney+ Portugal a 18 de agosto de 2022.

Marta Kong Nunes

Fanática de cinema e séries por pura paixão, sou da geração Disney mas também das Tartarugas Ninjas, Motoratos e afins. Já passei pela obsessão de vários géneros de cinema e apesar de me considerar eclética, nada me tira o gozo de um bom filme de acção (por muito irrealista que seja). Séries também se devoram por cá, mas a magia de um filme, será sempre a magia de um filme!

Marta Kong Nunes has 2775 posts and counting. See all posts by Marta Kong Nunes

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.