Star Wars Battlefront – (PS4) | Análise

 

Sim, vivemos em plena euforia com o regresso de Star Wars. As lojas estão cheias de brinquedos, na internet não se fala de outra coisa, fomos inundados com trailers que pouco revelam e agora chegou a vez de termos um novo Star Wars na nossa consola!

 star wars  

  • Editora: DICE
  • Produtora: Electronic Arts
  • Plataformas: PS4

 

Classificação  [starreviewmulti id=8 tpl=20 style=’oxygen_gif’ average_stars=’oxygen_gif’]

 

Comecemos pelo óbvio: Star Wars Battlefront é uma maravilha gráfica. Em primeiro lugar, ficamos deslumbrados com os cenários, com uma qualidade e um conjunto de detalhes que muito poucos jogos alcançaram até hoje. Perdemo-nos a admirar locais emblemáticos da saga, voamos pelos céus de diversos planetas, ficamos de boca aberta com as explosões, com os efeitos de luz, com as sombras e com o ritmo acelerado em que viajamos por desertos e florestas. Star Wars Battlefront é graficamente um dos melhores jogos algumas vez feitos e o seu único problema a apontar são os movimentos de algumas personagens mais famosas. Quando virem alguns movimentos, por exemplo de Han Solo, perceberão o que vos digo.

Em termos sonoros existe uma mistura de sentimentos. Na parte negativa temos um mau aproveitamento de uma das melhores bandas sonoras de sempre. Sim, a obra prima de John Williams está aqui presente mas o jogo não a sabe aproveitar, o que é pena. Por outro lado, todos os efeitos sonoros e de vozes do jogo estão fantásticos. Sentimos cada disparo, cada viagem numa nave, cada explosão. Sentimos o vento, os nosso pés a correr… estamos perante um excelente trabalho sonoro quase perto da perfeição e que usa muito bem todos os efeitos sonoros dos filmes.

Com esta mistura de grafismo e som, sentimos que estamos naquele universo. Aliás, Star Wars Battlefront por vezes quase que deixa de ser um jogo para ser antes uma deslumbrante homenagem à mais famosa saga do cinema, e isso tem tanto de bom como de mau. Por um lado recordamos momentos dos filmes, sentimos uma emoção extra que nenhum outro jogo nos pode oferecer se formos fãs da saga, mas por outro lado quase sentimos que não estamos perante um jogo em alguns momentos.

E3-2015-Darth-Vader-and-Luke-duel-in-Star-Wars-Battlefront-Multiplayer-Gameplay-footage

O problema deste jogo é a sua longevidade. Apesar dos seus 9 modos de jogo, e de alguns desses serem mesmo muito bons, Star Wars perde o seu fascínio ao fim de umas 15 horas, quando o jogo começa a tornar-se repetitivo. Claro que muitos jogos nem têm esta longevidade, mas a verdade é que estamos perante um jogo com um potencial estrondoso. O facto de não ter um modo campanha e de muito do que este jogo pode vir a receber chegar mais tarde, retira a Star Wars Battlefront a possibilidade de estar entre os melhores jogos do ano.

Em termos de jogabilidade, o jogo também está muito bom, principalmente na forma como pilotamos as naves. Tudo é intuitivo e com resposta imediata. No solo, os nossos personagens também se comportam muito bem, tanto nas suas movimentações como a disparar. A sensação ao fim de várias horas é que nunca fiz nada de errado por causa de falhas na jogabilidade, mas sim pelas minhas falhas enquanto jogador.

star-wars-battlefront-darth-vader-970x546-c

Lamenta-se que alguns cenários estejam algo confusos nos seus caminhos possíveis ou sem a capacidade de nos levar a experimentar tudo o que o jogo nos pode oferecer, e também se lamenta o pouco peso que as naves têm durante os vários modos, mas são problemas menores, principalmente quando estamos nos modos de jogo que mais gostamos.

Com os seus nove modos de jogo e com muito para desbloquear e colecionar, pedia-se que o jogo nos desse uma maior necessidade de evoluirmos os nossos personagens. Tal não acontece, mas por outro lado existe uma necessidade constante de estratégia e trabalho de equipa que nos leva a continuar, a pensar, a sentir a responsabilidade se controlarmos um herói e de ajudarmos a nossa equipa.

star-wars-battlefront-gameplay-970-80

Não querendo divulgar muito mais sobre este jogo, a sensação final é que estamos perante um bom jogo, que poderia ter sido fantástico. Em termos técnicos, muito poucos jogos podem rivalizar com o grafismo e com os efeitos sonoros de Star Wars Battlefront, mas existe uma sensação de repetição que afastará aqueles que não sejam fãs absolutos e que poderiam manter-se no jogo durante meses se existisse mais para fazer. Claro que existirão updates que poderão colmatar todas estas pequenas falhas e por isso Star Wars tem uma boa margem para melhorar e tornar-se fantástico.

Resumindo… todos os que estão curiosos, fãs ou não de Star Wars, devem experimentar este jogo. Trata-se de uma experiência única e que há muito se esperava. É um fantástico regresso ao universo que George Lucas criou. Se poderia ter sido um regresso ainda melhor? Sim, podia, e a expectativa pode ajudar a algumas críticas. Mas que é bom, é! Regressemos então a uma galáxia bem distante, e façamos companhia a Han Solo, Luke Skywalker e Darth Vader! May the Force be with you!

 

Pontos fortes:

  • Luxo gráfico
  • Luxo sonoro
  • Os modos de assalto são frenéticos e estratégicos
  • Controlar Darth Vader, Luke, Solo, etc…

Pontos fracos:

  • Pode tornar-se repetitivo
  • Não tem modo de campanha

Hardware usado pela MHD para teste de jogos:

PS4:

  • PlayStation 4 Glacier White
  • DualShock 4 White
  • Razer Leviathan Sound System

PC:

  • Headphones Razer Carcharias
  • Keyboard Razer Epic Chroma

Luís Pinto

 

Lê Também:
Star Wars revela novos jogos pela Respawn Entertainment

Luis Pinto

Developer de videjogos e inteligência artificial - Autor do canal Luís Pinto - Apaixonado por jogos desde o tempo do Spectrum!

Luis Pinto has 831 posts and counting. See all posts by Luis Pinto

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *