© Warner Brothers Entertainment

Suicide Squad: Kill the Justice League, a Crítica | O regresso ao mundo de Batman e ao universo de Arkham

“Suicide Squad: Kill the Justice League”, O universo DC regressa às consolas para um jogo cheio de ação, muitos tiros, diferentes poderes e focado no online. Convence?

O Universo DC continua a expandir a sua pegada no mundo dos videojogos e agora chega “Suicide Squad: Kill the Justice League”, que analisámos numa PlayStation 5 e que claramente tem pontos positivos, mas outros negativos que tornam a experiência boa para alguns jogadores, mas não para todos.

Num jogo que se divide entre o modo Campanha e o Online, comecei pela história para tentar perceber como as várias personagens se iriam encaixar no enredo mas também na jogabilidade. Indo direto ao assunto, a história é talvez o ponto mais alto do jogo. Apesar de o título revelar muito do que será o jogo, a verdade é que as personagens estão bem desenvolvidas, a história faz sentido e alguns diálogos estão muito bem pensados, levando a bons momentos e a algumas decisões difíceis. O problema é que a jogabilidade não acompanha esta qualidade. “Suicide Squad: Kill the Justice League” não puxa pelo jogador nem pelo que as personagens podem fazer.

Lê Também:   Final Fantasy XVI, em análise

Um dos problemas do jogo está na sua dificuldade, neste caso baixa e que não nos obriga a evoluir nem a fazer nada de novo. A isto junta-se um conjunto de missões que na sua base são demasiado parecidas, o que nos empurra para um gameplay em que iremos fazer sempre o mesmo, perdendo-se um pouco a diversão que o enredo foi criando. Com boas performances dos atores e boas cut-scenes, “Suicide Squad: Kill the Justice League” merecia ter uma continuidade e a verdade é que se perde.

Enquanto exploração, este é um jogo com muito loot, o que é bom apesar de por vezes confuso. O problema é que uma vez mais, “Suicide Squad: Kill the Justice League” não nos obriga, devido à sua baixa dificuldade, em explorar este mesmo loot com grande variedade. No entanto, o que me fez começar pela modo Campanha foi acreditar que a construção das missões me levaria a perceber o que distingue cada personagem em termos de jogabilidade, e aqui falhou. Este é um shooter que podia ser algo mais. Temos vários poderes mas demasiado do tempo ficamos bem apenas a disparar e disparar. Isto agradará a alguns jogadores, mas falhará para outros. Vamos recolhendo armas cada vez mais poderosas e está feito. Com isto, a intensidade da ação não baixa, mas perde-se a intensidade da tensão emocional. A maior diferença está mesmo na movimentação de cada personagens e que na maioria dos casos está bem pensada e executada.




suicide squad 2
© Warner Brothers Entertainment

Tecnicamente, salientar um bom trabalho de vozes, uma banda sonora que não compromete e efeitos sonoros que ajudam a criar aquele ambiente de adrenalina que só não tem mais impacto porque a dificuldade é baixa.

De um ponto de vista gráfico é um jogo que não falha, tem boas texturas e gosto bastante do design. Contudo, uma vez mais falha em alguns aspetos, sendo o mais óbvio a enorme falta de vida na cidade. Não existem carros ou pessoas, falta ambiente. O outro aspeto que mais acaba por chocar ao fim de umas horas é que todo o jogo é feito nos telhados da cidade, não existindo gameplay dentro de edifícios, o que é um desperdício para uma cidade grande e bem construída.

Lê Também:   Corsair Vengeance DDR5 64GB, em análise

Com isto, temos um modo campanha onde a falta de desafio não nos obriga a explorar o que o jogo, loot e personagens podem dar. Torna-se repetitivo e que quebra um jogo que é intenso e divertido. Na componente online estas falhas não são tão óbvias, apesar de este modo não trazer nada de novo. Posto isto, “Suicide Squad: Kill the Justice League” tem de evoluir na componente online para aguentar uma comunidade de fãs DC que claramente quererão ter aqui uma excelente experiência de jogo mas que nesta fase não está bem pensada o suficiente e que precisará de atualizações para aguentar os seus jogadores iniciais.

TRAILER | NOVO JOGO DE SUICIDE SQUAD

Já tiveste a oportunidade de experimentar “Suicide Squad: Kill the Justice League”? Qual a tua opinião do novo jogo do Universo DC?

  • Gráficos - 71
  • Enredo - 77
  • Som - 80
  • Jogabilidade - 70
  • Modo Online - 70
74
Sending
User Review
1 (1 vote)

Leave a Reply