Richard Attenborough, Laura Dern, e Sam Neill em "Parque Jurássico"

21 Curiosidades que provavelmente desconhecias sobre Parque Jurássico

1 de 21

Passaram 25 anos desde que Steven Spielberg nos transportou para um mundo repleto de dinossauros, conhecido como o Parque Jurássico.

Foi em 1993 que Steven Spielberg se atreveu a mostrar-nos um mundo nunca antes visto no grande ecrã. Depois de  “Encontros Imediatos do 3º Grau”, “Tubarão“, e “E.T. – O Extra-Terrestre“, o cineasta preparava-se para surpreender mais uma vez o público. Desta vez, o tema escolhido havia sido a exibição de animais com cerca de 240 milhões de anos, com um detalhe e realismo muito avançado para a época. Quem viu “Parque Jurássico” aquando a sua estreia não lhe ficou indiferente. Se cresceste entre as décadas de 80/90, de certo que o T-Rex de Spielberg te assombrou durante algum tempo, não?

Lê Também:
10 Coisas que (possivelmente) Não Sabias sobre Mundo Jurássico

O mundo dos dinossauros de Spielberg acabou por se tornar num franchise, com alguns altos e baixos. Mas foi em 2015 que Colin Trevorrow decidiu revisitar o imaginário do icónico realizador, levando-nos de volta à Ilha Nublar. O filme acabou por dar início a uma nova saga intitulada de “Mundo Jurássico“, contando com o próprio Steven Spielberg como produtor executivo.

Neste artigo, o nosso foco será no original “Parque Jurássico”, o qual nos foi apresentado pelo falecido Richard Attenborough, ou como nós o conhecemos, pelo Dr. Hammond. Na celebração dos seus 25 anos, reunimos 21 curiosidades sobre o filme, será que já as conheces?

1. BLOCKBUSTER

Parque Jurássico 25º aniversário
25º Aniversário de “Parque Jurássico”

Sabias que foi o “Parque Jurássico” que ajudou a definir o conceito de blockbuster moderno? O monstruoso êxito de Steven Spielberg estreou no Verão de 1993, atraindo multidões para as salas de cinema. Com um elenco repleto de estrelas e com efeitos especiais nunca antes vistos, o filme tornou-se um pioneiro dentro da indústria da 7ª arte.

1 de 21

Inês Serra

Cresci a ir ao cinema, filha de pais que iam a sessões duplas...Será genético? Devoro livros e algumas séries. Fã incondicional do fantástico e do sci-fi. Gostaria de viver todos os dias com o mote Spielbergiano - "I dream for a living"

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *