Black Panther entre os favoritos dos figurinistas de Hollywood

Black Panther”, “Assim Nasce Uma Estrela” e “Bohemian Rhapsody” destacam-se como alguns dos nomeados do Costume Designers Guild, o sindicato de figurinistas de Hollywood.

1 de 11

Depois da torrente dos prémios dos críticos que marca o período que se estende desde o fim de novembro até à primeira metade de janeiro, chegou a vez dos sindicatos da indústria cinematográfica assinalarem os seus favoritos. Como os Óscares são selecionados por um corpo votante formado por profissionais da indústria, os prémios dos sindicatos tendem a ser melhores indicadores do que vai triunfar com a Academia do que os críticos. Os Globos de Ouro, por muito influentes que sejam, são votados por uns meros 90 críticos internacionais, por exemplo.

Os figurinistas do Costume Designers Guild são dos últimos sindicatos a anunciar os seus nomeados, pelo que é mais fácil encontrar padrões e indicadores de preferência generalizada nas suas escolhas que nos SAG que são os primeiros a votar, ainda em dezembro. Aqui vemos, por exemplo, como só um filme tem conseguido ser nomeado por todos os sindicatos de Hollywood, desde os atores aos técnicos de som e figurinistas. Essa obra é “Assim Nasce Uma Estrela”, aqui nomeado para Melhores Figurinos num Filme Contemporâneo. Apesar das suas derrotas nos Globos de Ouro, o drama musical de Bradley Cooper pode vir ainda a afirmar-se como um favorito na corrida ao Óscar de Melhor Filme.

Melhores Bandas Sonoras
ASSIM NASCE UMA ESTRELA afirma-se como o filme favorito entre os sindicatos da indústria cinematográfica americana.

Pela sua contemporaneidade narrativa, contudo, o filme dificilmente será nomeado para o prémio da Academia para Melhores Figurinos. É meio injusto, mas os Óscares raramente nomeiam obras que não sejam ou filme de época ou fantasias vistosas nessa categoria. Isso é particularmente infeliz este ano, pois existem inúmeros guarda-roupas contemporâneos que mereciam o reconhecimento, incluindo os outros nomeados do Costume Designers Guild que se juntam a “Assim Nasce Uma Estrela”. Eles são “Crazy Rich Asians”, “Ocean’s 8”, “Viúvas” e “Mamma Mia! Here We Go Again”. Por estranho que pareça. o filme protagonizado por Lady Gaga é bem capaz de ser o mais fraco entre tão excelente competição. “Crazy Rich Asians” merece o prémio e “Um Pequeno Favor” merecia estar nomeado, diga-se de passagem.

Mais perto dos gostos da Academia são os nomeados para Melhores Figurinos de um Filme de Época. A inigualável figurinista Sandy Powell destaca-se aqui com duas nomeações por “A Favorita” e “O Regresso de Mary Poppins” e, se formos honestos, ela merece a vitória pelas estilizações do filme de Yorgos Lanthimos. Os outros nomeados são “Bohemian Rhapsody”, “BlacKkKlansman: O Infiltrado” e “Maria, Rainha dos Escoceses”. Este último é um nomeado de particular interesse tanto pelo pesadelo de erros históricos do filme e guarda-roupa como pelo facto que Alexandra Byrne, a figurinista em questão, já ganhou um Óscar por desenhar roupas para estas mesmas personagens em “Elizabeth: A Idade do Ouro”.

Lê Também:
As modas extravagantes de Bohemian Rhapsody

A categoria de Fantasia ou Ficção-Científica é marcada pela hegemonia dos super-heróis, sendo que “Black Panther” deverá ser o grande vencedor e o único dos nomeados a repetir a nomeação com os Óscares. Os outros filmes indicados para o prémio são “Aquaman”, “A Wrinkle in Time”, “O Quebra-Nozes e os Quatro Reinos” e “Vingadores: Guerra do Infinito”. Em relação a este último, é interessante ponderar como a figurinista Judianna Makovsky se encontra nomeada por um filme em que grande parte dos figurinos foi desenhada pelos figurinistas dos filmes anteriores do MCU, como Ruth E. Carter de “Black Panther” ou Alexandra Byrne de “Thor”.

De acordo com os especialistas de prognosticação da temporada dos prémios de cinema, estas nomeações solidificam as chances dos filmes mencionados não só na categoria de figurinos, enquanto podem indicar certas antipatias para com outros filmes entendidos como favoritos. “Green Book”, por exemplo, poderia facilmente ter sido nomeado para Melhores Figurinos de Época, mas ficou de fora em prol da aparição relativamente surpresa de “BlacKkKlansman”. Mais importante ainda é a ausência de Colleen Atwood pelo segundo filme da saga “Monstros Fantásticos” pois o original de 2016 valeu-lhe um Óscar. Será que Atwood está fora da corrida para os Óscares?

A resposta é um categórico não. Apesar da importância destes prémios, a sua capacidade para prever os Óscares é bastante dúbia. Nos últimos dez anos, somente na temporada de 2012/13 é que os nomeados da Academia foram todos também indicados para o prémio dos Costume Designers Guild, sendo que normalmente aparece sempre um filme mais obscuro ou esquecido para ceifar uma nomeação. Este ano isso vai provavelmente acontecer outra vez.

Resta só saber qual dos favoritos (“Black Panther”, “Bohemian Rhapsody”, “A Favorita”, “Maria, Rainha dos Escoceses” e “O Regresso de Mary Poppins”) vai ter uma surpresa infeliz no dia das nomeações e que obra esquecida vai triunfar. Será “Monstros Fantásticos: Os Crimes de Grindelwald”, “Green Book”, “Colette”, “Os Irmãos Sister”, “Se Esta Rua Falasse”, “O Primeiro Homem na Lua” ou outro?

Há que mencionar ainda que os prémios do Costume Designers Guild não são somente dados a projetos cinematográficos. Também séries televisivas, anúncios e videoclips têm sua oportunidade de brilhar entre os figurinistas. Aqui deixamos a lista completa dos nomeados, mas resta fazer duas observações. Primeiro, a ausência de “Pose” nas categorias televisivas é um ultraje. Segundo, se pudéssemos votar nestes prémios, as nossas escolhas televisivas, com base nos nomeados, seriam “Sharp Objects”, “The Alienist”, “The Handmaid’s Tale” e “Jesus Christ Superstar Live”.

Lê Também:
O estilo fantasioso de O Quebra-Nozes e os Quatro Reinos

Para leres as listas completas de nomeados, basta seguires as setas.

1 de 11

Cláudio Alves

Licenciado em Teatro, ramo Design de Cena, pela Escola Superior de Teatro e Cinema. Ocasional figurinista, apaixonado por escrita e desenho. Um cinéfilo devoto que participou no Young Critics Workshop do Festival de Cinema de Gante em 2016. Já teve textos publicados também no blogue da FILMIN e na publicação belga Photogénie.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *