Muzz (foto de Driely S)

“Broken Tambourine” é o segundo single dos Muzz

O novo single dos Muzz, “Broken Tambourine”, foi lançado pela Matador. A promessa de um álbum adensa-se, ao som do crooning de Paul Banks.

Há cerca de quinze dias, os Muzz lançaram anonimamente, por meio do Soundcloud, uma canção intitulada “Bad Feeling”. Pouco se sabia deste novo projecto do vocalista dos Interpol, a não ser que, mais do que uma aventura a solo (e houve várias), era um super-grupo formado por Paul Banks, Josh Kaufman (produtor, multi-instrumentista e um terço dos Bonny Light Horseman) e Matt Barrick (baterista dos Jonathan Fire*Eater, dos Walkmen e da banda de digressão dos Fleet Foxes). A presença dos Muzz fez-se sentir no mundo por meio de misteriosas publicações no Instagram e pela inegável química da banda em “Bad Feeling”.

Lê Também:
Muzz é o novo projecto de Paul Banks, dos Interpol

A canção hoje partilhada, “Broken Tambourine”, veio já com o selo oficial da Matador e acompanhada de um vídeo de animação, cujo argumento e produção são da autoria (como não podia deixar de ser) do próprio Paul Banks. A direcção artística e a animação são de Griffin Frazen. Quanto à canção, a composição, arranjos e interpretação são da responsabilidade de todos os três membros da banda e conta também com as vozes de fundo de Annie Nero e Cassandra Jenkins e Stuart Bogie nos instrumentos de sopro (flauta e clarinete).

Muzz - Broken Tambourine
Capa de “Broken Tambourine”

Segundo um comunicado de imprensa, a banda tem gravações que remontam a 2015, mas “cosmicamente falando” as sementes desta colaboração foram plantadas há já muito tempo atrás. Banks e Kaufman são amigos desde que frequentaram juntos o liceu no estrangeiro, antes de se mudarem separadamente para Nova Iorque para continuar os estudos. Foi aí que cada um por si acabou por se cruzar com Barrick, ao conviverem em círculos musicais comuns. Foram-se mantendo em contacto e colaborando nos projectos uns dos outros: Barrick tocou bateria em Banks & Steelz e algumas das sessões produzidas por Kaufman; Kaufman ajudou Banks no seu primeiro projecto a solo, Julian Plenti. Depois da colaboração em vários demos, de um estúdio em Filadélfia comprado a meias, da troca de vários “e se” ou “devíamos”, quando surgiu finalmente a oportunidade de fazerem música juntos, atiraram-se os três de cabeça.

O resultado, até agora, revela um lado do vocalista dos Interpol que poucos, para além dos fãs mais renhidos, conhecem. “Bad Feeling” e “Broken Tambourine” vêem Paul Banks explorar finalmente no contexto de um projecto principal um gosto pelo crooning que até hoje só se exprimira em lados-B (como “Crimewaves”) ou em covers (como “I’m a Fool to Want You”, no EP Julian Plenti Lives). Os arranjos minimalistas divergem radicalmente das texturas muito densas favorecidas por Banks na maioria do seu trabalho a solo, acusando o real contributo dos restantes membros da banda na composição das canções. Paradoxalmente, é no dar espaço à voz e ao lirismo de Banks que a sua presença mais se afirma. “I watch you sleep and it’s heavenly/ I watch you dream, it’s heavenly”, canta Banks em suave crooning. É mesmo.

MUZZ | “BROKEN TAMBOURINE”

Maria Pacheco de Amorim

Literatura, cinema, música e teoria da arte. Todas estas coisas me interessam, algumas delas ensino. Sou bastante omnívora nos meus gostos, mas não tanto que alguma vez vejam "Justin Bieber" escrito num texto meu (para além deste).

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *