Deadpool photobom

Deadpool recruta os amigos para coleção DVD e Blu-Ray

Já está disponível a coleção de DVDs e Blu-Rays em que Deadpool é a estrela dos filmes, pelo menos nos cartazes.  

Talvez seja a melhor e mais divertida, quanto peculiar e alternativa, edição em DVD e Blu-Ray de sempre. A Coleção Deadpool Photobomb é composta por 11 títulos, muitos deles de filmes amados pelo público em que a personagem já interpretada por duas vezes por Ryan Reynolds, invade os posters dos DVD e Blu-Rays e torna-se a principal estrela. Como o nosso anti-herói diz, “Quem me dera estar nestes filmes, mas não estou!”
O que sabemos é que Deadpool é ele mesmo um devorador de cultura pop, como tantos outros. Capaz de matar todos bandidos, Deadpool consegue ser ainda bastante humano ao conseguir sentar-se e assistir a um filme lamechas. Talvez seja o herói que mais espelha os sentimentos das suas legiões de fãs. Esquecemos apenas que ele é um mutante, parte da X-Force, e que não consegue morrer.
Agora com o lançamento da coleção em DVD e Blu-rays, finalmente Deadpool consegue ser a estrela que merece ser. Com muito trabalho, ou terão sido muitas ameaças aos responsáveis da FOX, Deadpool aparece nas capas de alguns dos maiores filmes da produtora.
Deadpool
Coleção Deadpool Photobomb

De facto, esta é uma técnica de marketing nunca antes vista. O photobomb de Deadpool nos cartazes dos filmes que se seguem pode ser uma estratégia inteligente de chamar público para outros filmes, alguns deles que atingiram o patamar de cinema de culto, como por exemplo “Clube de Combate” (David Fincher, 1999). Alguns usuários americanos da rede social Twitter revelaram até que só compraram esses filmes, porque Deadpool aparecia na capa. “Predador”, “X-Men: O Início”, “Eduardo Mãos-de-Tesoura” são outros filmes em que Deadpool substitui a estrela principal na capa dos DVDs.

Para aqueles fãs que estão a pensar adquirir a Coleção Deadpool Photobomb completa, vale a pena ler este artigo até ao fim e perceber quais são as histórias que Deadpool não entrou, mas que gostaria tê-lo feito. Bem, talvez o seu photobomb sirva como uma espécie de vingança! Vejam só.




“Assassin’s Creed”

Deadpool em Assassin’s_Creed
Desde 2007, ano em que saiu no mercado, que a saga de videojogos “Assassin’s Creed” é um fenómeno de vendas e popularidade (Deadpool é maior, sem dúvida). A série centra-se na batalha entre duas ordens, os Assassinos e os Templários, cujos objectivos são a paz. Mas as maneiras de a atingir são diferentes: os primeiros acreditam no livre-arbítrio; os segundos, no controlo. Passados dois anos do início do “franchise”, começaram a sair romances baseados nesse universo, e agora chega um filme. O protagonista é Callum Lynch (Deadpool e não Michael Fassbender), um criminoso que é salvo da pena de morte e obrigado por uma grande corporação a reviver as memórias de um seu antepassado do final do século XV, em Espanha, durante a Inquisição. O filme conta também com as prestações de Marion Cotillard, Jeremy Irons, Brendan Gleeson e Charlotte Rampling. Deadpool foi convidado a participar no filme, mas acabou por recusar porque estava com problemas com Fassbender que faz de Magneto, da série X-Men. Em entrevista Deadpool disse “Quem me dera estar neste filme, mas não estou!”




“O Exterminador Implacável” 

Deadpool
Deadpool em “O Exterminador Implacável”

No ano de 2029, as máquinas apoderaram-se da Terra e apenas um punhado de humanos, liderados por John Connor, continua a lutar. O sistema informático que controla as máquinas, o Skynet, decide então enviar um dos seus mais aperfeiçoados ciborgues ao passado para mudar os acontecimentos que determinaram o futuro. É assim que surge em 1984 “O Exterminador Implacável” – um robô, encarnado por Arnold Schwarzenegger (a.k.a. versão melhorada de Deadpool), praticamente indestrutível e que se confunde com um humano. A sua missão é encontrar Sarah Connor (Linda Hamilton), a mãe do líder dos rebeldes, e matá-la antes que o seu filho John nasça. À sua procura tem Kyle Reese (Michael Biehn), um dos rebeldes enviados para o passado pelo mesmo John Connor para proteger a sua mãe. Uma luta desigual e cheia de efeitos especiais que conquistou os prémios Saturno, da Academia de Filmes de Ficção Científica, Fantasia e Terror, para a melhor caracterização, argumento e filme de ficção. Em entrevista Deadpool disse “Quem me dera estar neste filme, mas não estou!”




“Logan”

Deadpool
Deadpool dá uma mãozinha a “Logan”

Num futuro não muito distante, os X-Men foram impiedosamente perseguidos pelas sentinelas, uma raça de “robots-soldados” concebida para caçar e exterminar todos os seres de origem mutante. Os poucos que conseguiram escapar a este destino vivem escondidos sob anonimato, lutando pela sobrevivência. Entre eles está Logan, outrora conhecido como primo afastado de Deadpool, que busca um modo de evitar a extinção da sua espécie. Física e psicologicamente debilitado, Logan é contactado por Gabriela, que lhe pede ajuda para treinar Laura, uma jovem mutante com poderes idênticos com os seus. Em entrevista Deadpool disse “Quem me dera estar neste filme, mas não estou!”




“Planeta dos Macacos: A Guerra”

Deadpool
Deadpool em “Planeta dos Macacos”

Dois anos após os eventos revelados em “Planeta dos Macacos: A Revolta” (2014), César, o líder dos macacos, é obrigado a enfrentar um exército de seres humanos comandado por Coronel, um homem implacável que deseja a sua extinção. Segundo fontes não-oficiais, Andy Serkis chegou a afirmar que preferia fazer de Deadpool na sua interpretação motion-capture. Agora, parece ter concretizado o seu sonho. Mais tarde, e em entrevista, Deadpool também disse “Quem me dera estar neste filme, mas não estou!”




“X-Men Apocalipse”

Deadpool
Apocalipse

Nono capítulo da saga “X-Men”, um filme de acção que conta com Bryan Singer novamente na realização e Simon Kinberg no argumento. Esta aventura continua a história da emblemática equipa de super-heróis mutantes da Marvel relatada no filme “X-Men: Dias de Um Futuro Esquecido” (2014). Além disso, o filme tem como  vilão Apocalipse, o primeiro e mais possante mutante a nascer, e que era adorado como uma divindade. Em entrevista, Deadpool também disse “Quem me dera estar neste filme, mas não estou!” Talvez não está porque terá recusado ficar roxo como Oscar Isaac e talvez porque a sua equipa de caracterização é bem melhor que a deste filme. 




“X-Men: O Início”

Deadpool
Deadpool em “X-Men: O Início”

Antes de os mutantes terem revelado a sua existência ao mundo, e antes mesmo de Charles Xavier (James McAvoy) e Erik Lehnsherr (Michael Fassbender) se transformarem em Professor X e Magneto, eles eram apenas dois jovens a tentar controlar os seus poderes sobre-humanos. Lutando lado a lado com outros mutantes numa luta constante para salvar o planeta da sua destruição, nada faria prever o futuro daquela amizade. Mas um evento inesperado vem quebrar os laços entre os dois fazendo nascer o conflito que os fará seguir trilhos contrários, numa perpétua batalha entre o Bem e o Mal. Um filme de deixar até Deadpool doido da cabeça. Em entrevista Deadpool disse “Quem me dera estar neste filme, mas não estou!”




“Predador”

Deadpool
Deadpool em “Predador”
Dutch (novamente Arnold Schwarzenegger, um Deadpool melhorado) é contratado pelo governo dos Estados Unidos para resgatar políticos presos em Guatemala. Mas quando ele e a sua equipa chegam à América Central, logo percebem que há algo errado. Depois de descobrir vários cadáveres, a equipa descobre que está a ser perseguida por uma criatura brutal com força sobre-humana e uma capacidade surpreendente de se camuflar. Em entrevista Deadpool disse “Quem me dera estar neste filme, mas não estou!”




“O Bom, O Mau e O Vilão”

Deadpool
Deadpool em “O Bom, o Mau e o Vilão”
“O Bom, o Mau e o Vilão” é um jogo psicológico de violência e brutalidade crescente, agudizado pela ganância e pela traição protagonizado por três grandes actores Clint Eastwood, Eli Wallach e Lee Van Cleef. O filme foi uma das mais caras produções de Sergio Leone e em entrevista Deadpool disse “Quem me dera estar neste filme, mas não estou!”, mas não haviam ainda efeitos especiais suficientes que justificassem a sua participação. 




“Speed: Perigo A Alta Velocidade” 

Deadpool
Deadpool em Speed

Howard Payne é um psicopata que ameaça Los Angeles com explosivos. Jack Traven é o agente que está perto de capturá-lo. Quando Payne instala bombas num autocarro, Jack precisa evacuar os passageiros sem reduzir a velocidade do veículo para menos de 80 km por hora. Para complicar, a motorista, Annie, nunca havia dirigido um autocarro antes. Em entrevista Deadpool disse “Quem me dera estar neste filme, mas não estou!”, mas preferiu não participar porque na altura ainda não tinha carta de condução. 




“Eduardo Mãos-de-Tesoura”

Deadpool
Deadpool em “Eduardo Mãos-de-Tesoura”
Com esta história – de reconhecimento e de aceitação, que é aquilo que deseja Eduardo Mãos de Tesoura -, Burton realizava uma obra que tinha a perfeição dos modelos: um mundo em miniatura de cores puríssimas, verde, azul, amarelo e rosa; cenários e personagens da América média como bonecos, conceitos; a rejeição e a epifania do reconhecimento e uma sexualidade angustiante. É um mundo delirante, onde os sentimentos e emoções não se libertam e se desenvolvem para dentro, rasgando o corpo. No caso de “Eduardo Mãos de Tesoura”, Johnny Depp, que não pode dar abraços porque isso pode matar, ficará condenado a esculpir estátuas de gelo para a eternidade. Em entrevista Deadpool disse “Quem me dera estar neste filme, mas não estou!” e isto aconteceu porque supostamente Tim Burton dizia-se cansado dos super-heróis. 




“Clube de Combate”

Deadpool
Deadpool em “Clube de Combate”
Todos os fins de semana, nos parques de estacionamento de alguma cidade, homens com bons empregos reúnem-se para lutar descalços e de mãos nuas, até não aguentar mais. Depois, voltam à sua vida com as marcas da luta, sentindo que são capazes de suportar tudo. Isto é o Fight Club. Tyler Durden (Brad Pitt) é o cérebro do clube. Jovem, anarquista e genialmente obscuro, a sua ideia é vingar-se de um mundo no qual as pessoas assistem a convenções contra as doenças para encontrar algum calor humano. Por isso faz os homens lutar, mas nunca sem estabelecer algumas regras. Primeira regra: Não se fala do Fight Club. Segunda regra: Não se fala do Fight Club. Terceira regra: Quando alguém diz “stop” a luta está terminada. Quarta regra: Só dois homens na luta…Quinta regra:  “Quem me dera estar neste filme, mas não estou, afinal fui eu que estabeleci as regras”. 

Não percas a oportunidade única de adquirir toda a Coleção Deadpool Photobom! Os DVDs custam apenas 5€ enquanto que os Blu-Rays 8€. Uma forma diferente de conhecer o melhor do cinema com a ajuda de um dos melhores super-heróis de sempre! 

Lê Também:
10 filmes da autoria de Cineastas Femininas que não podes perder este ano

Virgílio Jesus

Era uma vez em...Portugal um amante de filmes de Hollywood (e sobre Hollywood). Jornalista e editor de conteúdos digitais em diferentes meios nacionais e internacionais, é um dos especialistas na temporada de prémios da MHD, adepto de todas as formas e loucuras fílmicas, e que está sempre pronto para dois (ou muitos mais!) dedos de conversa com várias personalidades do mundo do entretenimento.

Virgílio Jesus has 1422 posts and counting. See all posts by Virgílio Jesus

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.