Ta'ang, um dos filmes do DocLisboa em 2019 | © DocLisboa

DocLisboa 2020 tem presença no Museu do Oriente

O DocLisboa de 2020 já começou e um dos locais por onde estará é o Museu do Oriente. Conhece a programação especial do mês de fevereiro.

O DocLisboa 2020 já começou e em fevereiro terá sessões especiais de cinema documental no Museu do Oriente, em Lisboa. Com títulos que se enquadram no tema do exílio, as sessões DocLisboa terão lugar todos os domingos de fevereiro, às 17H00, sendo a entrada sempre gratuita.

O programa do DocLisboa que estará patente no Museu do Oriente foca-se no exílio e na deslocação, enquanto condições permanentes de uma parte da humanidade, segundo cada momento histórico. Partindo de histórias de vida concretas, retratos relacionados com a primeira metade do século que ressoam no presente, de forma surpreendente e muitas vezes irónica. O ciclo irá estar dividido em 2 partes, sendo que a segunda metade do programa irá por sua vez acompanhar o movimento em relação com os território

Lê Também:
European Film Challenge | Entrevista à vencedora do desafio Berlinale 2020

Co-organizado pela DocLisboa, as sessões estarão abertas ao público todos os fins-de-semana e os bilhetes deverão ser levantados no próprio dia da sessão.

2 fevereiro – “Memory Is Our Homeland”

Canadá 2016 Jonathan Kolodziej Durand 90′, sem intervalo

Sinopse: O destino dramático de quase um milhão de polacos que, durante a Segunda Guerra Mundial, foram deportados para os campos de trabalho siberianos, antes que milhares deles desaparecessem, ao caminho de um exílio na África, passando pelo Irão e pela Índia. Suportado pelo testemunho da avó, Durand revela uma aspecto voluntariamente apagado da História e interroga-se sobre a natureza de uma identidade baseada no exílio.

Ganhou o prémio do público em Montreal, no RIDM Film Festival 2018, e esta é a sua estreia em Portugal

9 fevereiro – “Eldorado”

Suíça/Alemanha 2018 Markus Imhoof 91′, sem intervalo

Sinopse: A actual crise dos refugiados constitui a maior deslocação em massa de pessoas desde a Segunda Guerra Mundial. Imhoof leva-nos numa viagem por navios de guerra italianos da Operação Mare Nostrum, por campos de refugiados no sul de Itália e por audiências de asilo com autoridades suíças. Uma crise causada por desigualdades económicas que transformam os países ricos do Norte no ‘eldorado’ que tantos desfavorecidos tentam alcançar a todo o custo.

Lê Também:
DocLisboa '19 | Vencedores e balanço final

16 fevereiro – “Ta’ang”

Hong Kong/França 2016 Wang Bing 147′, sem intervalo

Sinopse: Os ta’ang, uma minoria étnica birmanesa, encontram-se entre uma guerra civil e a fronteira com a China. Desde 2015, violentos combates obrigaram milhares de crianças, mulheres e idosos a um êxodo além-fronteiras, para a China. Ta’ang acompanha o quotidiano desses refugiados, forçados a deixar as suas casas, mas esperando regressar a breve prazo.

Ganhou o International Nuremberg Human Rights Award em 2017

23 fevereiro – “Babylon”

Tunísia 2012 Youssef Chebbi, Ismaël eala Eddine Slim 119′, sem intervalo

Sinopse: Pessoas chegam a um território virgem, numa zona selvagem. Rapidamente, constrói-se uma cidade do nada. Habitada por várias nacionalidades, as pessoas que aí vivem falam línguas diferentes. Esta nova Babilónia, rodeada de árvores e animais, ganha rapidamente a forma de uma cidade, ao mesmo tempo banal e extraordinária.

Costumas acompanhar os programas do DocLisboa?

Marta Kong Nunes

Fanática de cinema e séries por pura paixão, sou da geração Disney mas também das Tartarugas Ninjas, Motoratos e afins. Já passei pela obsessão de vários géneros de cinema e apesar de me considerar eclética, nada me tira o gozo de um bom filme de acção (por muito irrealista que seja). Séries também se devoram por cá, mas a magia de um filme, será sempre a magia de um filme!

Marta Kong Nunes has 2000 posts and counting. See all posts by Marta Kong Nunes

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *