Hunter Schafer e Zendaya | © Eddy Chen (HBO)

Euphoria é renovada para segunda temporada

A pouco menos de um mês do final da primeira temporada, a HBO anuncia a renovação de “Euphoria” para uma segunda temporada.

Há pouco mais de um mês atrás, um burburinho começou a invadir a internet sobre uma nova série que prometia testar os limites dos espectadores. Com Zendaya na página da frente, “Euphoria” estava a ser apontada como uma versão para a geração Z do filme de culto dos anos 90, “Kids.”

A verdade é que a série não é (até agora) tão chocante ou provocadora como ‘vendido.’ No entanto, a prestação de Zendaya prende-nos em qualquer episódio. Tal como Francesca Orsi, vice-presidente da programação da HBO, refere:

O criador de ‘Euphoria,’ Sam Levinson construiu um mundo incrível composto por um elenco extraordinário, liderado pela talentosa Zendaya. Estamos muito gratos por ele ter escolhido a HBO enquanto a casa para esta série revolucionária. Estamos ansiosos por continuar a acompanhar a evolução destas complexas personagens à medida que as suas viagens continuam por este mundo desafiante.”

Lê Também:
Sex Education, primeira temporada em análise

No início, referimos que a série poderia não ser tão controversa como o filme de Larry Clark, mas talvez mais na linha de “Skins”. Criada por pai e filho, Bryan Elsley e Jamie Brittain, o formato britânico dedicava, de uma forma geral, cada episódio a uma personagem. Aliás, o episódio era intitulado em função da personagem em destaque. É um pouco isto que Levinson está a fazer com “Euphoria,” o que não tem nada de errado e vai aguçando a curiosidade do espectador.

De acordo com a HBO, a série é o conteúdo juvenil mais popular entre os novos dramas da plataforma digital, tendo alcançado o pico no domingo passado, com a estreia do 4º episódio (lançado na segunda-feira por cá). A estreia contou com mais de 5.5 milhões de visualizações nas várias plataformas do grupo.

TRAILER | EUPHORIA PROMETE TESTAR OS TEUS LIMITES

Também já acompanhas a história de Rue?

Inês Serra

Cresci a ir ao cinema, filha de pais que iam a sessões duplas...Será genético? Devoro livros e algumas séries. Fã incondicional do fantástico e do sci-fi. Gostaria de viver todos os dias com o mote Spielbergiano - "I dream for a living"

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *