© 2019 Metro-Goldwyn-Mayer Pictures

A Família Addams | Do cartoon ao grande ecrã

Pela primeira vez, vamos ver os Addams numa longa-metragem, em versão animada! A família mais macabra e divertida chega esta semana ao grande ecrã.

Misteriosa, peculiar e macabra, eis que a Família Addams está de regresso, após 26 anos longe do pequeno e grande ecrã, e com uma estreia! Esta será a primeira vez que a criação de Charles Addams salta para o grande ecrã em formato animado.

Ao longo das suas várias aparições, podemos dizer que os Addams alcançaram um mausoléu na história da cultura do terror “pop,” o que só por si é algo estranho. Ao contrário de Drácula, Frankenstein, Lobisomem ou até mesmo dos assassinos em série, esta família tem sido difícil de esquecer e igualmente difícil de ressuscitar. Como é que eles entraram nesta estranha bolha? Apanha a boleia do nosso Packard V-12 e vamos até 0001 Cemetery Lane…

1 de 5

O PAI ADDAMS

charles addams
Charles Addams | © Flickr

Seria fácil assumirmos que Charles Addams provavelmente não terá tido a mais exemplar das famílias. No entanto, tal presunção não poderia estar mais longe da verdade. Addams, nascido em 1912 em Westfield, Nova Jersey, cresceu num ambiente com muito amor e carinho, proveniente dos seus dedicados pais. A título de curiosidade, o seu pai vendia pianos, objeto muito presente na sua criação.

Talvez fosse mais interessante se tivesse tido uma má infância – acorrentado a uma cama de ferro e alimentado a sopa enlatada todos os dias. Mas sou uma daquelas pessoas estranhas que realmente tiveram uma infância feliz.” – Addams em Charles Addams: A Cartoonist’s Life, de Linda H. Davis

Contudo, nem tudo tem de ser explicado por um episódio de “The Mindhunter” ou “Criminal Minds.” Ainda que tenha tido um crescimento perfeitamente normal, o cartonista sempre teve uma queda para o macabro: explorar cemitérios, entrar em casas abandonadas ou desenhar vários cenários de morte do último Kaiser alemão, Wilhelm II, de uma forma muito gráfica…

A sua paixão pelo desenho consolidou-se no liceu, sendo um dos poucos artistas que viveu apenas deste ‘sustento.’ O The New Yorker foi sempre a sua primeira casa, especialmente depois da publicação do seu clássico de 1940, “The Downhill Skier.” Foi nesta revista que Charles apresentou ao mundo os lunáticos que partilham o seu apelido, ainda que nesta altura “A Família Addams” representasse uma pequena parte do seu trabalho.

Na realidade, dos 1300 cartoons que Charles Addams desenhou para o The New Yorker, apenas 58 eram da peculiar e ainda sem nome família. Só a partir dos anos 40/50 é que os Addams saíram do anonimato, com a estreia da sua primeira adaptação televisiva.

1 de 5

Inês Serra

Cresci a ir ao cinema, filha de pais que iam a sessões duplas...Será genético? Devoro livros e algumas séries. Fã incondicional do fantástico e do sci-fi. Gostaria de viver todos os dias com o mote Spielbergiano - "I dream for a living"

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *