Floating Points (foto de Dan Medhurst)

Floating Points ao vivo no Vodafone Paredes de Coura

O produtor e DJ britânico Sam Shepherd actuará ao vivo na edição de 2020 do Vodafone Paredes de Coura. Para além de Floating Points vêm também os Daughter.

Sam Shepherd, mais conhecido pelo título do seu projecto de música electrónica e ambiente Floating Points, é a mais recente confirmação do Vodafone Paredes de Coura. Talvez pouco conhecido do público mais alargado, o produtor e DJ britânico é, no entanto, uma das figuras mais proeminentes da música electrónica e ambiente actual.

Lê Também:
Mês em Música | Playlist de Novembro 2019

Sam Shepherd é senhor de uma história multifacetada. Começa por aliar, paradoxalmente (ou não), à sua formação musical clássica em piano, na Chetham’s School of Music, um doutoramento em neurociências e epigenética, pela University College London. Integra ainda um interesse enciclopédico pela tradição funk, soul, R&B e jazz vanguardista, como bem o testemunha a sua escolha de discos no programa What’s In My Bag.

Esta complexa rede de estudo e inspiração resulta num musicalidade versátil, oscilando entre o registo mais dançável do house e techno e composições mais eruditas e contemplativas, geralmente no espaço do mesmo álbum. Depois de uma série introdutória de singles e EPs, Sam Shepherd estreou-se com Elaenia (2015). Lançado este ano, Crush é o seu mais recente, e seguramente até à data melhor, longa-duração e esperamos ouvir algumas das próprias faixas no seu set do Vodafone Paredes de Coura, desde a mais cadenciada “LesAlpx” até à atmosférica e polirrítmica “Environments”, um tema mais na tradição do footwork.

FLOATING POINTS | “LESALPX”

Também confirmada para actuar na praia fluvial do Taboão está a banda londrina Daughter, nascida do projecto a solo da vocalista Elena Torna. A banda de indie-folk, com laivos de emo, gótico e eletrónica, obteve um sucesso estrondoso com o seu If You Leave, lançado em 2013, do qual saiu o icónico single “Youth”, possivelmente uma das canções marcantes da década dos 2010s. Desde então, os Daughter editaram Not to Disappear em 2016 e, no ano a seguir, Music From Before the Storm. Encontram-se neste momento a trabalhar num novo álbum de estúdio, sendo bem provável que toquem temas inéditos do mesmo no seu concerto no Vodafone Paredes de Coura.

DAUGHTER | “YOUTH”

Maria Pacheco de Amorim

Literatura, cinema, música e teoria da arte. Todas estas coisas me interessam, algumas delas ensino. Sou bastante omnívora nos meus gostos, mas não tanto que alguma vez vejam "Justin Bieber" escrito num texto meu (para além deste).

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *