© Prime Video

Glendyn Ivin revela os desafios de The Lost Flowers of Alice Hart | Entrevista

Glendyn Ivin, o realizador de “The Lost Flowers of Alice Hart”, esteve à conversa com a Magazine.HD e revelou todos os segredos da nova série da Prime Video.

“The Lost Flowers of Alice Hart” chegou ao catálogo da Prime Video em agosto de 2023 e manteve-se no top 10 em vários países à volta do mundo. Com Sigourney Weaver e Alycia Debnam-Carey no elenco principal, o drama acompanha a história da pequena Alice que se vê obrigada a ir viver com a sua avó June numa quinta de flores após perder os pais num incêndio. Ao longo dos anos, Alice descobre os segredos que a sua avô foi guardando, acabando por ser confrontada com a dura realidade do passado. Este é um emotivo drama que toca em temas sensíveis como a violência doméstica, a mentira e as aventuras da juventude.

Lê Também:   Malvino Salvador e Barbara Reis revelam os segredos por trás da nova série brasileira da Prime Video

Após a estreia de “The Lost Flowers of Alice Hart”, a Magazine.HD esteve à conversa com Glendyn Ivin, o realizador da nova série da Prime Video, que nos revelou todos os segredos desta produção, bem como os desafios resultantes dos longos períodos de gravações. Para além disso, Glendyn falou-nos sobre a sua experiência ao trabalhar com o elenco da série australiana.




Magazine.HD: Quais é que foram os maiores desafios de “The Lost Flowers of Alice Hart”?

Glendyn Ivin: Bem, houve muitos desafios no “The Lost Flowers of Alice Hart”! Eu acho que o maior desafio é a fisicalidade de fazer uma série. Eu dirigi todas as sete horas, o que significa que foram cerca de 108 dias de filmagem. Portanto, há muita exaustão mental e física nisso e é algo que nunca pensamos quando vamos fazer filmes. Eu acho que o maior desafio para mim é como te preocupas tanto com “The Lost Flowers of Alice Hart” no dia cem como te preocupas no primeiro dia.

Além disso, esta é uma história contada através de uma enorme passagem de tempo, ao longo de vinte anos, e isto exige uma enorme fisicalidade. Quando começámos a filmar, estava um frio gelado e chovia, e quando terminámos, estávamos no deserto e fazia 40ºC, estava muito quente. Então, é um desafio físico, mas é uma experiência ótima quando levas um elenco e uma equipa maravilhosos contigo e compartilhas essa experiência com todos eles. No fim, todos se apoiam uns aos outros, todos encontram uma maneira de ajudar uns aos outros em tudo.

The Lost Flowers of Alice Hart
© Prime Video



Magazine.HD: Como é que foi o processo de produção desta série? Foi semelhante ao de outros projetos dos quais tenha feito parte?

Glendyn Ivin: Eu tenho o meu próprio processo de trabalho e trabalhei com os produtores desta série anteriormente, por isso nós conhecemos mais ou menos a maneira de trabalhar uns dos outros. Eu tenho uma maneira bastante espontânea de trabalhar, acho eu [risos]. Gosto de planear muito, mas no dia, posso mudar de ideia rapidamente e sigo com o que está à minha frente, e isso pode depender do clima ou do efeito que as luzes estão tendo, e coisas assim. Eu gosto de capturar as coisas de forma bastante espontânea.

Quando estás a fazer um grande programa como este, principalmente com um elenco maravilhoso com a Sigourney Weaver e Asher Keddie, que é uma atriz maravilhosa aqui na Austrália, é realmente interessante vê-los passar dos sets aos quais estão acostumados – como a Sigourney que trabalhou em grandes sets de Hollywood – para algo que eu descreveria como muito mais solto. É este o jeito que eu gosto de trabalhar aqui na Austrália, e sim, ela [Sigourney Weaver] realmente abraçou e gostou muito de todo o processo, por isso é bom saber que ela não achava que eu e o resto da equipa éramos loucos pela forma que queríamos trabalhar [risos].

The Lost Flowers of Alice Hart
© Prime Video



Magazine.HD: O Glendyn descreveu o elenco como ‘maravilhoso’. Como é que foi trabalhar com estes atores e atrizes?

Glendyn Ivin: Uma das coisas que eu acho realmente interessantes no elenco de “The Lost Flowers of Alice Hart” é que temos uma atriz verdadeiramente experiente no topo, a Sigourney Weaver, e nos primeiros episódios, estamos a trabalhar com uma criança de onze anos, que fez algumas coisas mas é claro que não tem a experiência da Sigourney. E foi tão lindo ver as duas atrizes juntas no ecrã a suportarem-se uma à outra no drama e mesmo fisicamente. Há uma presença linda que é compartilhada entre eles no ecrã e adoro isso.

É um elenco diversificado e, enquanto diretor, eu acho que cada ator é diferente e é preciso saber falar com cada um deles. É quase como se fosse preciso falar um idioma diferente com cada pessoa quando os estou a dirigir, e é preciso descobrir como cada pessoa deseja ser tratada. No “The Lost Flowers of Alice Hart”, eu senti que todos confiavam uns nos outros, estávamos todos a fazer o mesmo programa, estávamos todos lá pelas mesmas razões. Enquanto realizador, isso é tudo o que queremos. Foi uma experiência maravilhosa trabalhar com este elenco.

The Lost Flowers of Alice Hart
© Prime Video



Magazine.HD: Sente que também cresceu com este elenco?

Glendyn Ivin: Eu gosto de tentar aprender algo com todas as pessoas com quem trabalho, seja o showrunner ou a Sigourney Weaver [risos], porque eu acho que cada um traz a sua própria experiência. Definitivamente, aprendi coisas com a Sigourney e aprendi algumas coisas com a jovem Alyla também. É incrível quando me sento e observo as pessoas a trabalhar e vejo como elas funcionam. Estou sempre a absorver isso e a fazer uso disso na próxima cena, ou na próxima semana, ou no ano seguinte. É sempre uma jornada contínua de aprendizagem.

Com a Sigourney, em particular, eu gosto mesmo do jeito dela e gostei de ver o seu relacionamento com a sua personagem June, porque é uma personagem muito complicada. Ela faz muitas coisas que a maioria das pessoas pensaria que são erradas, ela conta mentiras, conta histórias, retém informações que podem arruinar a vida das pessoas e, ainda assim, a June acredita que o que ela está a fazer é 100% certo porque, no final das contas, será o melhor para aquela pessoa. E foi realmente fascinante ver a Sigourney lidar com isso como pessoa e como atriz, e a forma como a Sigourney aceitou o que June estava a fazer no ecrã e como ela justificou tudo isso. Foi um processo realmente fascinante de assistir!

the lost flowers of alice hart
© Prime Video



Magazine.HD: Como é que o Glendyn se sente ao ver o seu trabalho a chegar a mais de 240 países?

Glendyn Ivin: Eu acho que só estou realmente a pensar nisso agora. Tu não podes pensar nisto quando estás a fazer algo, porque torna-se debilitante. Quando eu estou a dirigir e a fazer uma produção, eu só consigo pensar em como eu me sinto a respeito disso e talvez no que algumas pessoas muito próximas que fizeram parte do processo pensam sobre isso. Porque se eu começar a pensar nos 240 países diferentes e os milhões de pessoas que irão colocar os olhos deles na série, acho que tomaria decisões diferentes, mas estou muito animado por termos uma série que fizemos na Austrália com um elenco incrível e uma equipa incrível que está agora a ser lançado no mundo. Estou animado para ver como as pessoas vão reagir a isso!

TRAILER | THE LOST FLOWERS OF ALICE HART JÁ ESTÁ DISPONÍVEL NA PRIME VIDEO

Já assististe a “The Lost Flowers of Alice Hart”? Qual a tua personagem preferida? Qual o teu trabalho preferido de Sigourney Weaver?

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *