© LEFFEST

LEFFEST ’19 | Balloon, em análise

De regresso à competição da 13ª edição do LEFFEST com o chinês “Balloon”, de Pema Tseden. O filme foi exibido duas vezes, ontem em Sintra e hoje, pelas 16h15, no Espaço Nimas em Lisboa. 

A acção de “Balloon” situa-se no Tibete rural, tratando-se de um drama familiar, que se foca na vida simples e serena de Darje e Drolkar. Até ao momento em que os detalhes sobre a sua vida sexual se tornam um pouco mais públicos junto do seu núcleo doméstico, o que acaba por criar tensões e levantar bastantes questões, especialmente quando a irmã de Drolkar, monge tibetana, regressa a casa.

Lê Também:
LEFFEST ’19 | O Que Arde, em análise

O filme coloca inúmeras questões sobre vida e morte, sobre gerar vida e sobre o seu fim, e para o efeito faz-se servir de imagética diversa e de uma clara inclinação para o simbolismo. À medida que os dilemas se vão intensificando, a harmonia familiar é progressivamente colocada em causa. O ciclo da vida e morte tem uma outra barreira, a da importância da reencarnação, na qual os protagonistas acreditam piamente.

Leffest Ballon
A orientação familiar de “Balloon” | © LEFFEST

Tseden apresenta-nos um interessante e complexo jogo de contrastes. Por um lado, estamos num meio rural fechado, conservador, que segue valores religiosos e sociais bastante restritos e tradicionais. Acredita-se nas mesmas divindades, respeita-se os antepassados e a religião budista acima de tudo. Contudo, os personagens não esquecem, nem podem esquecer, que este é também o mundo da contracepção, por muito difícil que seja falar dela, e que é também o mundo dos avanços tecnológicos, e no caso da China, da limitação à reprodução. Difícil de imaginar na velha e envelhecida Europa, mas um quarto filho transforma-se num forte problema moral para uma mulher com pouco controlo sobre o seu corpo.

O realizador não esquece esta contradição que rege a cultura chinesa. À medida que esta sociedade se integra cada vez mais na lógica de mercado, é ainda assim difícil colocar de parte os valores que sempre foram centrais a toda uma estrutura societária. Este choque tem no filme consequências adversas.

leffest Pema Tseden
© LEFFEST

Uma das principais questões aqui colocadas pelo autor de “Balloon” relaciona-se com a sexualidade feminina. Não tentando parecer redutora, para um filme realizado e, acima de tudo, escrito por um homem, “Balloon” tem uma sensibilidade feminina notável. Aqui se traça uma crítica social forte ao papel da mulher na sociedade chinesa e, neste caso, mais especificamente na sociedade tibetana. A mulher é aquela que serve, aquela que obedece sem se questionar e aquela que assume responsabilidade por questões pertinentes como protecção no âmbito sexual, as que simultaneamente parece ter pouco controlo sobre o que lhe acontece.

No filme, somos confrontados com uma personagem particularmente enigmática, a da irmã da protagonista. Shangchu Drolma, a irmã, dedicou-se à religião, sabemos que devido a um desgosto amoroso. Temos algumas dicas, pequenos indícios acerca do motivo do seu desgosto, e o porquê de procurar exaustivamente e durante toda a sua vida fazer reparações através do campo espiritual. Contudo, e lamentavelmente, esta que é a parte mais estimulante da narrativa acaba por ficar envolta em dúvida, e coloca muito mais perguntas do que respostas.

O que é também curioso é o retrato do homem no seio familiar. Este é mais bruto, menos polido, mais impulsivo, por vezes cruel e tem ausente grande parte da sensibilidade e tacto que encontramos nas mulheres que compõe esta narrativa. É traçada uma clara crítica no que diz respeito aos rigorosos papéis de género, o que eleva em muito um filme bastante simples como “Balloon”.

Lê Também:
A Volta ao Mundo em 80 Filmes

Apesar de não ser uma grande obra, tem sem dúvida o mérito necessário para se inserir nesta secção competitiva, depois de ter já passado por inúmeros festivais de alto gabarito como Toronto, Varsóvia, Chicago ou ainda nos Estados Unidos, o famoso AFI, entre outros. Em Veneza, onde estreou, recebeu uma menção honrosa e em Toronto recebeu o Prémio de Melhor Argumento, realmente a parte mais marcante de um filme com uma realização bastante simples e sem grandes elementos identificativos.

“Balloon” mostra-nos uma outra perspectiva, muito própria, sobre a sociedade chinesa. Por aí, tiveram oportunidade de ver o filme? 

Balloon
Balloon

Movie title: Balloon

Date published: 2019-11-20

Director(s): Pema Tseden

Actor(s): Sonam Wangmo, Jinpa, Yangshik Tso

Genre: Drama

  • Maggie Silva - 83
83

CONCLUSÃO

“Ballon” é estudo societário compreensivo e estimulante, uma história que nos transporta para um universo tão distante e ao mesmo tempo tão universal.

O MELHOR: O tratamento da figura da mulher.

O PIOR: A falta de especificidade nalgumas das temáticas mais misteriosas do filme.

Sending
User Review
0 (0 votes)
Comments Rating 0 (0 reviews)

Maggie Silva

Comunicadora de profissão e por natureza. Dependente de cultura pop, cinema indie e vítima da incessante necessidade de descobrir novas paixões. Campeã suprema do binge watch, sempre disposta a partilhar dois dedos de conversa sobre o último fenómeno a atacar o pequeno ou grande ecrã.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Sending