© Square Enix

Marvel’s Guardians of the Galaxy vai ter modo streamer

Parece que vais poder fazer streams de “Marvel’s Guardians of the Galaxy” à vontade, sem te preocupares com os direitos de autor galáticos.

Numa entrevista a Mary DeMarle, diretora sénior de narrativa de “Marvel’s Guardians of the Galaxy”, a Square Enix confirmou ao VentureBeat que será incluída uma alternativa, que permitirá que tanto os streamers como os criadores de conteúdo, que desliguem a música licenciada que lhes possa, eventualmente dar problemas. Embora DeMarle não tenha dado mais detalhes, um representante de Relações Públicas esclareceu este toggle um pouco mais a fundo.

Lê Também:
Os Melhores Jogos de Sempre

Ainda durante a entrevista, falou-se também sobre a natureza aditiva da música licenciada no jogo. Disse ela: “Uma vez que nós, na nossa história, decidimos que Peter Quill foi raptado nos anos 80, uma criança dos anos 80, presa nos anos 80, sabíamos que tínhamos de obter as grandes canções dos anos 80. Fizemos um excelente trabalho. Temos mais de 30 canções licenciadas. Tudo, desde Iron Maiden a Rick Astley, KISS, Wham a Blondie”.

A música vai aparecer enquanto se passeia pelo navio Milano, mas também aparecerá durante segmentos especiais de combate. Parece que a Eidos Montreal está a ir longe na busca pela nostalgia dos anos 80, para conseguir passar a melhor experiência possível de Peter Quill ao jogador.

guardians of the galaxy
©Square Enix

No entanto, isto complica as coisas para os streamers que têm estado sob reivindicações DMCA cada vez mais estritas sobre o seu conteúdo, o que poderia ameaçar fechar canais inteiros. Este tipo de opções têm-se tornado cada vez mais populares à medida que as empresas de jogos e os streamers tentam encontrar soluções para evitar questões como os ataques de direitos de autor sobre a música.

Contudo, como a inclusão das canções parece compor uma grande parte do tom de “Marvel’s Guardians of the Galaxy” (e da personagem principal), é uma verdadeira pena. Este elemento vai etar inacessível para qualquer pessoa que esteja a transmitir e para o seu público, ficando indisponíveis em plataformas em plataformas como Twitch, Facebook, e outros serviços, o que é lamentável.

Este tipo de questão não parece estar para desaparecer tão cedo. Até pelo contrário, uma vez que os relatos de reivindicações DMCA mais agressivas e automatizadas estão a crescer à medida que as empresas reprimem e tentam proteger os seus IPs. É uma falha fundamental do streaming nos últimos anos, e soluções como esta terão provavelmente de ser consideradas por cada vez mais desenvolvedores que se pretenderem unir com a crescente comunidade de streaming.

Achas que esta opção devia de estar disponível em mais jogos?

André Silva

Host do podcast "Duplo Sentido". Provavelmente o jogador mais azarado do mundo, o fanático por tecnologias e videojogos conseguiu vingar no pequeno grande mundo dos eSports (mesmo que por pouco tempo).

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *