Lady Bird © IAC Films

Melhores Filmes para o Regresso às Aulas 2019

Para começar o mês de setembro, preparámos uma lista dos melhores filmes para o regresso às aulas, com um toque bastante especial. 

Sentes que o calor do verão está a chegar a terminar e tudo parece o fim do mundo? As férias estão mesmo a acabar e (in)felizmente tens de preparar o regresso às aulas. Tens que ouvir as lições aborrecidas dos professores, as tagarelices dos teus colegas ainda tens de chegar a casa e lidar com as tarefas domésticas, e com os estudos. Mas tem lá calma, porque apesar da temporada alta do ano estar a terminar, não queremos que desanimes.

Com o regresso às aulas preparamos uma lista de filmes muito especial, na qual te recomendamos os melhores títulos associados aos cursos que certamente frequentas.

Booksmart, regresso às aulas
Beanie Feldstein e Kaitlyn Dever no filme sobre o fim das aulas: “Booksmart” (2019) |© NOS Audiovisuais

A lista inclui filmes muito diversos entre si, de diferentes pólos do mundo, cada qual com as suas próprias particularidades e géneros. Na verdade, não quisemos destacar filmes onde a escola ou a faculdade fossem os principais espaços (como vemos em “Booksmart”, a comédia realizada por Olivia Wilde e estreada este ano). A MHD optou por marcar a diferença e destacar filmes onde os espaços são outros, aqueles que só os que frequentam determinado curso é que entendem.

Os melhores filmes para o regresso às aulas 2019 estão dispostos a seguir consoante a ordem alfabética do curso aos quais são recomendados.




“Avatar” (2009) | Curso – Designer Gráfico e Animação Digital

regresso às aulas
Avatar © WETA – Twentieth Century Fox

Teremos que começar com um dos filmes mais vistos nas salas de cinema em Portugal: “Avatar”, associado a um curso que a própria obra fez certamente crescer nas universidades: o curso de Designer Gráfico e Animação Digital.

Filme pioneiro nos efeitos visuais mais modernos (da responsabilidade da Weta Digital) que influenciaram outras longas-metragens como “A Vida de Pi” (2012), “Gravidade” (2013), “Interstellar” (2014) ou os filmes da série “Avengers” da Marvel, “Avatar” marcou pelo seu lado técnico, que consequentemente arrecadaria 3 Óscares da Academia.

Quanto à história, seguimos  Jake Sully (Sam Worthington), um ex-marine, agora sucumbido a uma cadeira de rodas recrutado para uma missão a Pandora, um corpo celeste que orbita um enorme planeta gasoso, para explorar um mineral alternativo chamado Unobtainium, usado na Terra como recurso energético. Porém, devido ao facto de a atmosfera de Pandora ser altamente tóxica para os humanos, é usado um programa de avatares híbridos, que possibilita a transferência da mente de qualquer humano para um corpo nativo.

Como as relações entre as duas raças tem estado em crise, Jake, já no seu corpo avatar, é também incumbido de tentar infiltrar-se naquela sociedade e encontrar uma forma de a dominar. Mas após ter sido salvo por Neytiri (Zoe Saldana), uma bela nativa, e perceber que afinal as ordens da Terra não vão ao encontro daquilo em que sempre acreditou, Jake questiona as razões. Ao ver-se dividido entre os pacíficos Na’vi e as forças que estão empenhadas em destruí-los, Jake vai tomar uma posição que fará colidir os dois mundos.



“O Milagre do Rio Hudson” (2016) | Curso – Aviação

regresso às aulas
Sully © Flashlight Films

UmHerói da avião Chesley Chesley “Sully” Sullenberger salvou 155 pessoas da morte em 2009, quando fez aterrar um aviação de emergência no Rio Hudson. Para si, uma experiência traumática, para os estudantes dos cursos de Aviação das faculdades portugueses, um exemplo das decisões a tomar em sub-pressão.

Neste filme realizado por Clint Eastwood, o papel do homem que se tornou um herói americano está a cargo do duas vezes vencedor do Óscar Tom Hanks. No elenco estão ainda Laura Linney e Aaron Eckhart.




“A Odisseia” (2016) | Curso – Biologia Marinha

regresso às aulas
L’Odyssée © Wild Bunch Distribution

Documentarista, oceanógrafo, escritor e inventor, o francês Jacques-Yves Cousteau (1910-1997) ficou mundialmente conhecido pelas suas aventuras a bordo do “Calypso”, o famoso navio transformado em laboratório móvel para mergulho e filmagens marítimas com que deu a volta ao globo. Com o seu documentário “Mundo do Silêncio” (1956), co-realizado pelo cineasta Louis Malle, Cousteau foi distinguido com a Palma de Ouro no Festival de Cannes e com um Óscar da Academia, que voltaria a premiá-lo por “O Mundo sem Sol” (1964).

Anos mais tarde, a série “O Mundo Submarino de Jacques Cousteau”, que foi apresentada pelo canal BBC entre 1968 e 1975, transformou-o numa estrela televisiva que semanalmente encantava milhões de espectadores de todo o mundo com as suas histórias sobre o fundo do mar. Por isso mesmo, “A Odisseia” é a nossa recomendação para os amantes de Biologia Marinha.

Escrito e realizado por Jérôme Salle (“Anthony Zimmer”, “Largo Winch 2 – Conspiração na Birmânia”), “A Odisseia” relata algumas das mais importantes aventuras da carreira de Cousteau, mas também momentos cruciais da sua vida pessoal, ao longo de cerca de 30 anos. Neste filme, o espectador acompanha-o numa viagem intimista com a sua equipa de colaboradores, assim como a mulher e os dois filhos. Para além de Lambert Wilson no papel principal, estão no elenco Pierre Niney, Laurent Lucas, Benjamin Lavernhe e Audrey Tautou.




“Os Chapéus-de-Chuva de Cherburgo” (1964) | Curso – Canto

regresso às aulas
Les parapluies de Cherbourg © Parc Film

Existem filmes musicais, existem filmes sobre música e depois existem os filmes cantados, como é o caso de “Os Chapéus-de-Chuva de Cherburgo”, do pai do musical francês Jacques Demy, que arriscou a fazer um filme em que os seus diálogos são completamente cantados.

Vencedor da Palma de Ouro no Festival de Cannes de 1964, “Os Chapéus-de-Chuva de Cherburgo” é um dos mais belos filmes do cinema francês, por vezes demasiado romântico para alguns jovens de hoje (o drama musical inspira-se em “Romeu e Julieta”), sendo a obra indicada para os estudantes de Canto e Ciências Musicais neste regresso às aulas.

Curiosamente Catherine Deneuve, a protagonista do filme, foi dobrada por uma cantora, algo que aconteceu em outros projetos do cinema dessa época como no caso de Nathalie Wood em “West Side Story”. No elenco estão também Nino Castelnuovo, Anne Vernon, Marc Michel e Ellen Farmer. Um filme incrível que chegou a influenciar “La La Land: Melodia do Amor”, de Damien Chazelle.



“Geração Fast Food” | Curso – Ciências da Nutrição

regresso às aulas
Fast Food Nation © Fox Searchlight

Um dos melhores filmes para o regresso às aulas é dirigido pelo aclamado cineasta de “Boyhood: Momentos de Uma Vida”.

Em “Geração Fast Food”, apresenta uma crítica feroz às cadeias de Fast Food mais conhecidas do mundo, e inspirado num “best-seller” provocador e incendiário, “Fast Food Nation”, o novo filme de Richard Linklater, segue a vida de The Big One, o mais recente hambúrguer da cadeia de “fast food” Mickey”s, que está à beira de se tornar no produto mais bem sucedido de sempre. Desde a sua criação até ao momento em que é vendido, a história de um simples hambúrguer cruza-se com a de uma série de pessoas que, quando percebem de que é feito e o que está por trás do The Big One, decidem impedir que a América se torne numa Nação Fast Food.




“Miss Sloane – Uma Mulher de Armas” (2016) | Cursos – Comunicação Estratégica ou Ciência Política

Miss Sloane
Miss Sloane © EuropaCorp

Elizabeth Sloane é uma poderosa lobista capaz de qualquer coisa para atingir os seus objetivos, mesmo quando isso signifique ultrapassar alguns limites. No Capitólio norte-americano, os  seus esquemas são montados e as jogadas fazem-se sempre para ganhar.

Quando ela, determinada a encontrar um modo de alterar uma lei de controlo de armas, encontra o mais poderoso oponente da sua carreira, vai perceber que terá de modificar a sua estratégia. Enquanto se ajusta ao novo desafio, descobre que, desta vez, a vitória pode ter um custo demasiado elevado…

Um “thriller” político especialmente dirigido aos que entendem da matéria, foi realizado por John Madden (“A Paixão de Shakespeare”, “O Capitão Corelli”, “O Exótico Hotel Marigold”), segundo um argumento de Jonathan Perera. Jessica Chastain, Mark Strong, Gugu Mbatha-Raw, Michael Stuhlbarg, Alison Pill, Jake Lacy, John Lithgow e Sam Waterston são as estrelas do filme.



“Linha Fantasma”  (2017) | Curso – Corte e Costura

linha fantasma mark bridges melhores guarda-roupas 2018
Figurinos de Mark Bridges em “Phantom Thread” © NOS Audiovisuais
Se és amante de filmes onde os figurinos são quase uma personagem em si mesmos, então tens que assistir a “Linha Fantasma” (Paul Thomas Anderson, 2017), que acabaria por valer a Mark Bridges o seu segundo Óscar na categoria de Melhor Guarda-Roupa, depois do filme “O Artista”.
Em “Linha Fantasma” somos levados até Londres na década de 1950. Reynolds Woodcock (o brilhante Daniel Day-Lewis) é um estilista conceituado que trabalha em parceria com Cyril, sua irmã, a criar roupas para alguns membros da elite e realeza britânica. Apesar de habituado a viver rodeado por mulheres belíssimas, Reynolds nunca se entregou a ninguém.
A vida desta personagem muda quando conhece Alma (Vicky Krieps), uma jovem empregada de balcão que se torna sua amante e principal fonte de inspiração, numa relação que se tornará complexa, embora bastante intensa. Um filme de época sobre o glamoroso mundo da alta-costura inglesa, que também faz brilhar as personagens que vestem as roupas de Bridges. Uma obra que em si parece ser um peça de roupa: tudo é cosido ao mínimo detalhe.




 “12 Homens em Fúria” (1957) | Curso – Direito

12 Angry Men
12 Angry Men © MGM

Um dos mais célebres dramas sobre a decisão dos juízes transpostos do palco para o cinema. A peça de Reginald Rose é propícia a grandes interpretações, tendo por tema o debate entre os doze membros de um júri que têm de decidir da culpa ou da inocência do acusado. Tudo está centrado na sala em que estão reunidos, mas a câmara de Sidney Lumet e a montagem não deixam sentir o “peso” do palco.

No elenco estão como juízes Henry Fonda, Martin Balsam, Lee J. Cobb, John Fiedler, Jack Klugman, Ed Binns, Jack Warden, Joseph Sweeney, Ed Begley, George Voskovec e Robert Webber.



“Monstros & Companhia” (2001) | Curso – Eletricidade & Eletrotecnia

Monstros e Companhia
Monsters, Inc. © Disney-Pixar

Eles são grandes, feios e maus e o seu trabalho é assustar crianças humanas… Mas não se trata de um passatempo. É um emprego a “full-time” do qual depende um mundo inteiro.

É que a fonte de energia de Monstropolis, que fica numa espécie de dimensão paralela à Terra, são os gritos que os “assustadores” conseguem arrancar todas as noites aos pequenotes – uma tarefa cada vez mais difícil, uma vez que as crianças humanas já estão demasiado habituadas à violência… -, entrando-lhes nos quartos pelas portas dos armários.

O que elas não sabem é que a única coisa capaz de assustar verdadeiramente um monstro é precisamente uma criança: todos em Monstropolis têm perfeita consciência que uma criança é um ser perigoso, tóxico… letal. Até que James P. Sullivan e Mike Wazowski conhecem a pequena Boo.




“Uma Verdade Inconveniente” (2006) | Curso – Geografia

Uma Verdade Inconveniente
An Inconvenient Truth © Lawrence Bender Productions

A Amazónia está a arder…Todos os dias, e através de todos os meios de comunicação somos bombardeados com uma verdade inconveniente, à qual preferimos fechar os olhos: o aquecimento global.

Neste documentário protagonizado por Al Gore e vencedor do Óscar da Academia, observamos como a Humanidade está a repousar numa bomba relógio. Se a grande maioria dos cientistas mundiais tiverem razão, temos apenas 10 anos para evitar uma grande catástrofe, a qual pode destruir o nosso planeta com condições meteorológicas agressivas, inundações, epidemias e ondas de calor que ultrapassam tudo o que já passámos.

Al Gore não estava enganado e atualmente, em 2019, a Humanidade já esgotou todos os seus recursos.

Do realizador Davis Guggenheim, “Uma Verdade Inconveniente”, ofereceu-nos uma visão apaixonada e inspiradora da cruzada de um homem para parar o progresso mortal do aquecimento global, esclarecendo todas as ideias erradas que se encontram associadas a este problema. Este homem,  antigo Vice-presidente dos EUA, é Al Gore que não estava enganado.

O filme teve também direito a uma sequela titulada “Uma Sequela Inconveniente: A Verdade ao Poder” estreada em 2017.




“Magia ao Luar” (2014) | Curso – Ilusionismo e Magia

Magia ao Luar
Magic in the Moonlight © Gravier Productions, Inc.

Os filmes de Woody Allen são quase um guia de como lidar com o início ou com o fim de uma relação amorosa, mas o cineasta americano atualmente com 83 anos, não deixa de tratar outras questões, como quando mostrou a Magia em vários dos seus filmes, como no caso de “Magia ao Luar”.

Na narrativa sobre introduzidos a Wei Ling Soo (Colin Firth), um dos mais celebrados mágicos da sua época. O que poucos sabem é que por detrás daquela carismática personagem existe Stanley, um inglês de poucas palavras que olha o mundo com cinismo e falta de fé. Certo dia, no final de um espectáculo, é abordado por Howard, amigo de longa data, que lhe pede para ir consigo para a Côte d’Azur (França), para desmascarar uma suposta médium que conquistou a atenção de uma família abastada.

Sophie (a brilhante Emma Stone), a rapariga em questão, instalou-se na mansão dos Catledge porque a matriarca está convencida de que, com a sua ajuda, poderá comunicar com o falecido marido.

Apesar de Stanley a considerar uma fraude desde o primeiro encontro, a verdade é que, para seu assombro, ela demonstra possuir poderes que desafiam todas as explicações científicas. A pouco e pouco, seduzido pela franqueza e encanto de Sophie, aquele homem pragmático descobre um mundo totalmente novo e cheio de mistérios. Assim, ao mesmo tempo que que as certezas de Stanley começam a cair por terra, abrem-se brechas no seu coração…




“O Síndroma da China” (1979) | Cursos – Jornalismo Televisivo ou Engenharia Nuclear

O Síndroma da China
The China Syndrome © Silver Screen Collection

Filme que influenciou a série da HBO “Chernobyl” e que foi um marco na sua época, sobretudo por abordar a temática nuclear, “O Síndroma da China” estrearia a 16 de março de 1979. Precisamente treze dias depois, a 28 de março, por ironia ou mera coincidência, ocorreria o mais grave acidente nuclear na história dos EUA: o acidente de Three Mile Island, na Pensilvânia.

Espelho da realidade e dos perigos e ameaças nucleares, este é o filme perfeito para os estudantes de engenharia nuclear, mas também para os futuros jornalistas televisivos, afinal o filme reflete o papel e o Quarto Poder do Jornalismo.

Aqui seguimos dois repórteres televisivos (interpretados por Jane Fonda e Michael Douglas) que inesperadamente filmam um acidente numa central nuclear, contudo a reportagem é censurada e os responsáveis da central negam qualquer hipótese de perigo. Um engenheiro que entregou toda a sua vida ao trabalho naquela central (Jack Lemmon num dos papéis mais comoventes da sua carreira) vai entretanto descobrir a sinistra verdade.

Por este filme, Jane Fonda e Jack Lemmon seriam nomeados para os Óscares e premiados nos BAFTA. Lemmon foi mesmo consagrado Melhor Ator no Festival de Cannes de 1979, onde o filme foi nomeado para a Palma de Ouro.



“O Estagiário” (2015) | Curso – Marketing Digital / Fase de Estágio

The Intern
The Intern © Warner Bros. Entertainment Inc. / Ratpac-Dune Entertainment

Quem melhor do que Robert De Niro para liderar uma comédia sobre o mundo digital e os estagiários em empresas de marketing online? Jules Ostin (Anne Hathaway) é fundadora e directora executiva de um bem-sucedido site de moda. Quando acede a integrar na sua empresa um programa de sensibilização da comunidade para o bem-estar na terceira idade, não imagina o quanto a sua vida vai ser afectada.

É neste contexto que conhece Ben Whittaker (Robert De Niro) um homem de 70 anos que encontra no estágio sénior criado pela empresa a oportunidade por que sempre esperou para fugir ao tédio e sedentarismo da sua vida de reformado. Embora toda a gente adore Ben e o seu optimismo crónico, Jules demora a deixar-se conquistar pelas suas boas intenções e inegável carisma. E tudo se altera quando vê a sua liderança questionada pelos accionistas da sua própria empresa, que a acham jovem demais para decisões tão importantes…

Com realização e argumento de Nancy Meyers (“Alguém Tem Que Ceder”, “O Amor Não Tira Férias”, “Amar… é Complicado!”), uma comédia sobre segundas oportunidades que conta ainda no elenco com Adam DeVine, Nat Wolff, Christina Scherer, Anders Holm e Zack Pearlman.




“Cuidar dos Vivos” (2016) | Curso – Medicina

cuidar dos vivos european film challenge
Humanismo sintetizado em cinema em “Réparer les vivants” © France 2 Cinéma

És estudante de Medicina e gostarias de assistir à cena de transplante mais metódica e clínica da história do cinema? “Cuidar dos Vivos” é ainda bastante humanista ao mostrar as angústias dos médicos a conversarem com os pais de uma vítima de um acidente, cujo coração pertencerá em breve a outra pessoa.

Depois de uma tarde a surfar com os amigos, Simon, de 19 anos, sofre um acidente. Internado no hospital com um traumatismo craniano grave, depressa o seu estado evolui para morte cerebral. É então que, ainda incapazes de aceitar o trágico desfecho, os pais se vêem obrigados a tomar uma difícil decisão: permitir a doação de órgãos. Mesmo sabendo que nada há a fazer para salvar o filho, aceitar retirar-lhe os órgãos que o mantêm preso à vida revela-se um acto de coragem e abnegação quase insuportável.

Adaptação cinematográfica da obra homónima da francesa Maylis de Kerangal, este um filme dramático com realização de Katell Quillévéré (“Un Poison Violent”, “Suzanne”), segundo um argumento seu e de Gilles Taurand. O elenco inclui Tahar Rahim, Emmanuelle Seigner, Anne Dorval, Bouli Lanners e Kool Shen.



“Lincoln” (2013) | Cursos – Política ou História

Lincoln
Sally Field em “Lincoln” © DreamWorks II Distribution

Abraham Lincoln nasceu a 12 de Fevereiro de 1809, na cidade de Washington. Liderando uma nação instável durante o difícil período da Guerra Civil Americana, era um homem determinado e com ideias precisas sobre governação, algo que foi demonstrando desde a sua eleição, em 1860, até ao seu assassinato, em Abril de 1865.

Com realização de Steven Spielberg e com Daniel Day-Lewis como protagonista (naquele que é talvez o seu melhor trabalho), esta é a adaptação cinematográfica da obra “Team of Rivals: The Political Genius of Abraham Lincoln” escrita, em 2005, por Doris Kearns Goodwin.

Contudo, em vez de retratar toda a vida de Abraham Lincoln, centra-se apenas nos últimos quatro meses da sua vida, com especial enfoque nos seus esforços para a aprovação, pela Câmara dos Representantes, da 13.ª Emenda à Constituição americana, que resultou numa das mais importantes transformações sociais dos EUA: a abolição da escravatura.



“Cinema Paraíso”(1988) | Curso – Projecionista de Cinema

Cinema Paradiso 1988
“Cinema Paradiso” de Giuseppe Tornatore | © Alambique

Sendo que aqui falamos de cinema, não nos poderia faltar um filme recomendado para aqueles que têm o cinema como centro dos seus estudos. “Cinema Paraíso”, vencedor do Óscar de Melhor Filme Estrangeiro é reflexo de uma profissão determinante para a arte cinematográfica alcançar o seu público: o papel do Projecionista.

Salvatore Di Vitta, um reconhecido cineasta italiano, recebe um telefonema inesperado da sua mãe na Sicília, onde nasceu e cresceu, que lhe dá a conhecer a morte de Alfredo, o projeccionista local que deixava Totó – o diminutivo por qual Salvatore era conhecido – ver todos os filmes que passavam pelo Cinema Paraíso. De alguma forma, Alfredo ocupou o papel de pai de Totó, desaparecido durante a II Guerra, e ofereceu-lhe um mundo de magia que era o seu acolhedor refúgio naqueles dias e que, mais tarde, viria a ser o seu próprio mundo.

Agora, Totó tem de voltar à sua terra natal para enterrar o homem que determinou a sua vida e receber o seu último legado. “Cinema Paraíso”, de Giuseppe Tornatore, é um dos bastiões do cinema italiano: conquistou em Cannes o Prémio Especial do Júri e a Academia de Hollywood escolheu-o como o melhor filme de língua estrangeira. Um filme nostálgico que encerra uma emotiva homenagem à Sétima Arte.



“Nas Nuvens” (2009) | Curso – Psicologia Empresarial

Nas Nuvens
Up in the Air © Paramount Pictures

Ryan Bingham (George Clooney) é um quarentão empedernido, misantropo e com fobia ao compromisso. A sua especialidade é despedir pessoas, reformulando as necessidades empresariais com vista à maximização de recursos. Por isso, está sempre a viajar em trabalho (com uma bagagem minimalista que leva para todo o lado), facto que aproveita para saciar a sua compulsão em coleccionar milhas aéreas. Porém, quando está prestes a atingir o objectivo das dez milhões de milhas como cliente regular, o patrão decide aplicar a Ryan o seu próprio conceito de maximização de recursos e mudar o método de trabalho, fazendo-o cumprir as suas funções através de vídeo-conferência.

A ideia de estar confinado a um escritório seria a mais aterradora de toda a sua carreira, não fosse algo ter mudado: Ryan acabou de conhecer Alex Goran (Vera Farmiga) e agora a perspectiva de assentar e começar uma família parece muito menos assustadora.

Baseado no romance homónimo de Walter Kirn, é a terceira longa-metragem de Jason Reitman, depois de “Obrigado por Fumar” (2005) e “Juno” (2008) e é o filme perfeito para aqueles que querem aprender a despedir pessoas, mas sem perder o seu lado humano.



“O Talentoso Tom Ripley” (1999) | Curso – Psiquiatria

the talented mr ripley matt damon
“The Talented Mr. Ripley” © Paramount Pictures

Realizar filmes sobre as mentes dos assassínios não é tarefa fácil, mas Anthony Minghella conseguiu. Adaptado de um romance de Patricia Highsmith de 1950, “O Talentoso Sr. Ripley” apresenta Matt Damon como Tom Ripley, um homem pobre que quer ascender socialmente. É contratado pelo pai milionário de Dickie Greenleaf (Jude Law) – um bon vivant que se encontra em Itália a tirar férias vitalícias à custa da família – para trazer o filho de volta.

À chegada a Itália, Ripley conhece Dickie e a sua namorada, Marge Sherwood (Gwyneth Paltrow), a quem revela os planos do pai, conquistando a confiança deles e tornando-se numa espécie de agente duplo.

Os romances de Patricia Highsmith, famosa escritora americana de policiais falecida em 1995, foram adaptados ao cinema por realizadores conceituados como Hitchcock (“Strangers on a Train”, 1951), Claude Chabrol (“O Grito do Mocho”, 1987) ou Wim Wenders que realizou “O Amigo Americano”, em 1977, adaptação de “Ripley”s Game” e que é a continuação do romance “O Talentoso Sr. Ripley”. Uma nota para a participação do compositor e pianista português Bernardo Sassetti.



“Uma Boa Companhia” (2004) | Curso – Publicidade

Uma Boa Companhia
In Good Company © Universal Studios

Neste filme, sobre os complicados relações profissionais que, por vezes, misturam com as relações familiares, Dan Foreman (Dennis Quaid) é um bom marido, um pai dedicado e um excelente profissional. Mas agora terá de enfrentar uma última prova. Quando a empresa em que trabalha é comprada por um grande grupo económico, Carter, um jovem com metade da sua idade, torna-se seu chefe. E tudo se complica quando Dan descobre que Carter namora com a sua filha (Scarlett Johansson).




“Que Teria Acontecido a Baby Jane?” (1962) | Curso – Representação

top 10 scream queens bette davis baby jane
A ideia de uma estrela de Hollywood a implodir sobre si mesma em “Que Teria Acontecido a Baby Jane?”, © Warner Bros.

Esqueçam as telenovelas que passam na televisão portuguesa. “Que Teria Acontecido a Baby Jane?” é a nossa escolha para os estudantes de Representação. Neste filme que mistura thriller, terror e drama psicológico, contam-se excelentes interpretações de duas estrelas maiores de Hollywood: Bette Davis (Baby Jane) e Joan Crawford (Blanche),

O realizador Robert Aldrich filma a história de duas irmãs que vivem juntas, depois de ambas, em distintas épocas, terem sido estrelas de cinema. Blanche, a mais nova, sofreu um acidente que a confinou a uma cadeira de rodas. Jane toma conta dela, alternando o papel de enfermeira devotada com atitudes de puro sadismo.

O filme tornou-se rapidamente num objecto de culto, que retrata implacavelmente o fim da Idade de Ouro dos grandes estúdios de Hollywood. “Que Teria Acontecido a Baby Jane?” foi nomeado, em 1963, para cinco Óscares, ganhando apenas na categoria de melhor guarda-roupa.




“Il se passe quelque chose” (2018) | Curso Indicado Turismo

regresso às aulas
Il se passe quelque chose © CNC

Filmar determinados locais europeus, sem uma perspetiva demasiado turística ou estrangeiro é tarefa difícil, sobretudo quando o cineasta é de origem norte-americana. Tal situação não acontece com Woody Allen habituado a filmar Espanha, Inglaterra, Itália e França e também não acontece com a realizadora Anne Alix, que recentemente lançou um filme filmando o olhar dos estrangeiros sobre o seu país: a França.

Em “Il se passe quelque chose” (2019), que ainda não estreou em Portugal, mas que tivemos oportunidade de assistir no Atlántida Film Fest (o maior festival de cinema online patrocinado pela Filmin) seguimos duas mulheres estrangeiras, que se cruzam numa área esquecida da Provença, numa obra onde a comunicação é chave.

Irma (Bojena Horackova) é uma mulher búlgara que passa a vida sem propósito e com tendências suicidas, até que se cruza com Dolores, uma mulher espanhola de espírito livre que está escrevendo um guia de turismo “gay-friendly” sobre Provença. A dupla faz-se à estrada, e espera encontrar um lugar charmoso e pitoresco, mas acabam encontrando um povo complexo, que está a lutar para sobreviver.

O filme assemelha-se muito a “Thelma & Louise” (Ridley Scott, 1991) e até ao mais recentemente “La Pazza Gioia” (Paolo Virzi, 2016). Esta é a obra indicada para aqueles que procuram olhar a cidade com olhos mais humanos e menos por um espaço dominado pelo poder do capitalismo.



“Bolt” (2006) | Curso – Veterinário

regresso às aulas
Bolt © Disney

Muitos cães e gatos e outros animais domésticos têm tido direito a presença no grande ecrã, seja em filmes de imagem real, como em filmes de animação. Se no ano passado o nosso destaque foi para “Marley & Eu” para os estudantes de medicina veterinária, este ano destacamos um dos filmes de animação da Walt Disney Pictures.

Para Bolt todos os dias são preenchidos com perigo, aventura e mistério. Pelo menos, à frente das câmaras, já que Bolt é um supercão, estrela de uma série televisiva de sucesso. Mas, quando Bolt é enviado por engano para Nova Iorque, bem longe dos seus seguros estúdios de Hollywood, conhece a maior aventura da sua vida.

Armado apenas com a convicção de que os seus poderes e actos heróicos são reais, e com a ajuda de dois curiosos companheiros de viagem – o gato abandonado Mitten e o hamster Rhino, dentro de uma bola de plástico e obcecado por televisão -, Bolt tenta regressar para a sua dona, ao mesmo tempo que percebe que, às vezes, não são necessários super-poderes para se ser um super-herói.

Um dos mais recentes filmes sobre animais domésticos a estrear nas salas de cinema portuguesas foi “A Vida Secreta dos Nossos Bichos 2”.




“Sideways”(2004) | Curso – Viticultura e Enologia

Sideways
Sideways © Fox Searchlight

“Sideways” é um filme certo para o curso de Viticultura e Enologia e para aquele estudante que para além de apreciador de um bom vinho, seja também apreciador de bom cinema.

Realizado pelo conceituado cineasta americano Alexander Payne (“Nebraska”), a obra segue dois amigos numa viagem pela costa da Califórnia, explorando as vicissitudes do amor e da amizade e a guerra constante entre duas castas de vinhos: Pinot e Cabernet. A aventura dos dois amigos começa quando Miles (Paul Giamatti), recém-divorciado e aspirante a romancista, com uma fixação em vinhos, decide combinar com o seu velho amigo Jack (Thomas Haden Church), uma viagem de despedida de solteiro pela região vinícola de Santa Barbara. Jack procura nessa viagem o seu último sabor de liberdade.

Miles só quer não ficar mais deprimido e saborear a perfeição numa garrafa de vinho Pinot. Já Jack fica satisfeito com uma garrafa baratinha de Merlot. As únicas coisas que têm em comum são as suas ambições falhadas e a juventude a extinguir-se. O filme levou para casa o Óscar de Melhor Argumento Adaptado para Alexander Payne e Jim Taylor, uma vez baseado no romance de Rex Pickett. 



“Joy” (2015) | Filme para empreendedores

regresso às aulas
“Joy” © Twentieth Century Fox

Para terminar a nossa lista dos Melhores Filmes para o Regresso às Aulas 2019 queremos destacar obras que espelham duas situações muito comuns na sociedade: o empreendorismo e, por sua vez, a dificuldade de muitos jovens têm em encontrar um caminho.

Para o primeiro caso, o do empreendorismo destacamos “Joy”, de David O. Russell, um filme sobre uma mulher criativa e decidida, que procura conciliar a vida de mãe solteira com a de inventora. Um dia descobre algo inovador que lhe abre as portas para o sucesso. Porém, ao mesmo tempo que ganha notoriedade e se transforma numa das mais bem-sucedidas empresárias dos EUA, vê-se obrigada a enfrentar a traição, a falsidade e a falta de generosidade dos que lhe são próximos. Mas também percebe que existe sempre alguém que, sejam quais forem as circunstâncias, nunca deixará de estar do seu lado…

Com assinatura de David O. Russell (“Guia para um Final Feliz”, “Golpada Americana”), uma comédia dramática sobre como conduzir uma empresa familiar no implacável mundo dos negócios. O argumento baseia-se na verdadeira história de Joy Mangano, a mulher que se tornou milionária ao inventar a esfregona. O elenco, de luxo, conta com a participação de Jennifer Lawrence, Robert De Niro, Bradley Cooper, Isabella Rossellini, Édgar Ramírez e Dascha Polanco, entre outros.




“Lady Bird” (2017) | Filme para aqueles à procura de rumo

regresso às aulas
Saoirse Ronan em “Lady Bird” (2017) |©A24

“Lady Bird”, filme de estreia da atriz Greta Gerwig como realizadora, é um marco da cinematografia contemporâneo em muito por representar uma juventude demasiado agitada na sua relação com o quotidiano e, igualmente, na sua relação com o ambiente familiar.

Apesar de Christine “Lady Bird” McPherson (a três vezes nomeada ao Óscar Saiorse Ronan) lutar contra isso, é exatamente igual à sua extremamente apaixonada, profundamente opinativa e muito teimosa mãe (a nomeada ao Óscar Laurie Metcalf), que trabalha incansavelmente como enfermeira para sustentar a sua família depois do pai ter perdido o emprego. Uma história passada em Sacramento, Califórnia, em 2002, no meio de um cenário de rápida mudança da economia americana.

Este não é só um dos melhores filmes para o regresso às aulas, é também um marco para os jovens que estão à procura do seu caminho, numa época em que é difícil encontrar um emprego ou definir ‘aquilo que queremos ser quando formos grandes’.

Diz-nos qual é o filme que acreditas ser mais indicado para ti!

Virgílio Jesus

Era uma vez em...Portugal um amante de filmes de Hollywood (e sobre Hollywood). Jornalista e editor de conteúdos digitais em diferentes meios nacionais e internacionais, é um dos especialistas na temporada de prémios da MHD, adepto de todas as formas e loucuras fílmicas, e que está sempre pronto para dois (ou muitos mais!) dedos de conversa com várias personalidades do mundo do entretenimento.

Virgílio Jesus has 1422 posts and counting. See all posts by Virgílio Jesus

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.