© MOTELX

MOTELX ’21 | After Blue, em análise

A secção central do MOTELX, “Serviço de Quarto”, apresenta novamente, nesta 15ª edição, a decorrer entre 7 e 13 de setembro no Cinema São Jorge, uma selecção de filmes eclética e empolgante. “After Blue”, uma produção francesa extraterrestre e extrassensorial prova-nos que o Festival de Cinema de Terror de Lisboa é capaz de se elevar bem acima deste único género. 

Lê Também:
A Volta ao Mundo em 80 Filmes

“After Blue”, uma narrativa que casa o fantástico e a ficção científica, transporta-nos para um universo sensorial excecional, excêntrico e distinto de tudo o que alguma vez conhecemos.

Esta distopia ambiental feminista e erótica, resultado de uma colagem alucinante de influências ricas, transporta-nos para um futuro distante. O planeta terra foi recentemente destruído pela ganância humana e esta raça mudou-se agora para “After Blue”, um planeta selvagem numa galáxia longínqua. A nova colonização humana faz-se apenas com mulheres, recorrendo a inseminação artificial, tendo os homens perecido de uma estranha comorbidade -pêlos que crescem para dentro.

Desde o primeiro instante somos absorvidos para uma galáxia intoxicante. O grande, gigante mérito do filme passa por simular um novo e refrescante universo fantástico. Esta equipa, liderada por Bertrand Mandico, que escreve e realiza, conseguiu com cerca de 2.5 milhões de euros criar uma atmosfera própria e cativante. Parte disso passou pelo uso (e abuso, no bom sentido) de filtros neon nas luzes e pela utilização recorrente de máquinas de fumo – criando uma ambiência bem curiosa, quase nostálgica, pouca comum nas obras fantásticas do século XXI.

Quanto à trama, tudo começa quando a adolescente Roxy (Paula Luna) liberta uma criminosa imperiosa que se encontrava enterrada na areia, pronta a cumprir um pesado castigo para a vida.  Vendo-se livre, esta infame criminosa, que dá pelo nickname de Kate Bush (Agata Buzek) começa a espalhar o terror vila onde Roxy e a sua mãe vivem. Uma vez que Roxy é responsável pela sua libertação, ela e a sua mãe, a cabeleireira da pequena povoação, são exiladas e forçadas a encontrar Kate e matá-la. Só aí poderão levar a casa. Aqui começa a sua aventura espacial com clara inspiração dos clássicos western (aqui em ácidos).

Juntas percorrem um paraíso árido e desesperante, lutando para se alimentarem e manterem a sanidade intacta. Neste planeta misterioso e repleto de contradições, Roxy e Zora (a sua mãe) encontrarão, durante a sua demanda por Kate Bush, inúmeras personagens carismáticas e excêntricas, as quais enriquecerão a sua jornada. Aqui, a beleza, fealdade e crueldade serão recorrentes  moedas de troca de igual valor.

Somos convidados para este universo paralelo rico, sempre pautado por uma banda sonora techno dominante e orientada pela natureza subtilmente cruel dos contos de fada que nos foram narrados enquanto crescemos. Pelo caminho, Roxy e Zora entrarão em contacto com facetas da sua sexualidade que desconheciam, num filme que nunca deixa de exaltar a mulher e a sua sensualidade.

“After Blue”, obra nomeada a Melhor Filme no Festival de Locarno em 2021 e vencedora de um Prémio da Crítica nesse mesmo evento, chega ao MOTELX’21 e encanta com a sua excêntrica sensualidade e singularidade. Houvesse algo a dizer contra esta obra, seria apenas que as suas mais de duas horas de duração se esticam ligeiramente. Por diversas vezes consideramos que a narrativa está prestes a dar-se por concluída, apenas para prosseguir. Com um terceiro ato mais arrastado, “After Blue” não deixa de ser uma encantadora anormalidade nesta 15ª edição do MOTELX

TRAILER | AFTER BLUE, DE  BERTRAND MANDICO, NO SERVIÇO DE QUARTO DO MOTELX ’21 

After Blue, em análise

Movie title: After Blue

Movie description: Num futuro distante, algures num planeta selvagem de outra galáxia, a adolescente Roxy liberta uma criminosa que estava enterrada na areia. Uma vez livre, começa a espalhar novamente o medo, o terror, e a morte. Roxy e a sua mãe são consideradas responsáveis e exiladas da comunidade, condenadas a encontrar a criminosa que libertaram. E assim iniciam uma viagem através dos territórios fantásticos e espectrais de um paraíso árido e sujo.

Date published: 10 de September de 2021

Director(s): Bertrand Mandico

Actor(s): Elina Löwensohn, Paula Luna, Vimala Pons

Genre: Fantasia, Ficção Científica, 2021, 127 min

  • Maggie Silva - 80
80

CONCLUSÃO:

“After Blue” é um épico fantástico, distópico. Um western extraterrestre e extraordinário, uma viagem a um novo mundo onde a figura feminina impera.

O MELHOR: A atmosfera cativante.

As interpretações centrais, com destaque para Zora (Elina Löwensohn) e para a excêntrica e pecaminosa Stenberg (Vimala Pons).

O PIOR: A extensão excessiva.

A natureza repetitiva e arrastada de um terceiro ato que peca no campo da edição.

Sending
User Review
4 (2 votes)
Comments Rating 5 (1 review)

Maggie Silva

Comunicadora de profissão e por natureza. Dependente de cultura pop, cinema indie e vítima da incessante necessidade de descobrir novas paixões. Campeã suprema do binge watch, sempre disposta a partilhar dois dedos de conversa sobre o último fenómeno a atacar o pequeno ou grande ecrã.

Maggie Silva has 345 posts and counting. See all posts by Maggie Silva

Leave a Reply

Sending