Nerve (©Margarida Ribeiro)

Ano novo, novo Nerve

Ao encerrar o ano, Nerve foi convidado e anfitrião no Musicbox e veio “visitar p’ra crescer e multiplicar buzz”.

Ano novo, vida nova? Para Nerve parece que sim. A “Lenda” está a tornar-se realidade, e a última aparição registada foi no passado dia 29 de Dezembro do ano que já lá vai. O relógio batia as onze horas da noite em ponto. As portas ainda estavam por abrir, e a fila estendia-se pela Rua Cor-de-Rosa, a perder de vista. O evento era mais uma sessão de poesia cantada, e a julgar pela composição da casa, o fenómeno Nerve vem a reunir, cada vez mais, gentes de todos os reinos.

Lê Também:
O Melhor Hip-Hop de 2018

Cerca de meia hora passada, quando Notwan subiu ao palco para dar o “Pontapé de Boas-Vindas”. A atmosfera do Musicbox fez-se sentir densa, através dos instrumentais injectados por Notwan, como que a anestesiar a plateia para a operação que se seguia. O nome de Nerve começava a ser proclamado pelos pacientes mais impacientes, pelo que, entoando “Bagaço” em coro com o público, Notwan preparava a sala para dar início à tragédia.

Notwan (©Margarida Ribeiro)
Notwan (©Margarida Ribeiro)

Finalmente, o “Sacana Nervoso” deu a cara, e entrou com fome de palco, mais incisivo que nunca. Apresentações feitas (“Quem? Eu? Não sabeis? Uma lenda”), e devidos cumprimentos e saudações (“Boa noite, como está? Passou bem? Bem, obrigado. Cá estamos. Como vai o trabalho?”), o “Monstro Social” serviu como entrada Trabalho & Conhaque ou A Vida Não Presta & Ninguém Merece a Tua Confiança. Depois de alguns pratos deste couvert, acompanhado pelo “Conhaque” apurado por Nathanael Sousa, chegou a eleição do chef: duas das três faixas do EP Água do Bongo, a primeira com o mesmo nome, e a segunda, “Pobre de Mim”. Poucos sabiam os ingredientes destas duas.

Nesta altura, a comunidade de “Plâncton” já se encontrava confortavelmente instalada no alinhamento planeado. Era hora do prato principal, o EP Auto-Sabotagem. Ironicamente, num Musicbox esgotado (até ao último metro quadrado deste pequeno estabelecimento), Nerve deu início a esta cena com a fala “Dá para ver que acabei de chegar/Deserto”. Neste momento, poucos eram os que não sabiam os refrões das faixas denunciadas pelo “Chibo”.

Nerve (© Margarida Ribeiro)
Nerve (© Margarida Ribeiro)

No meio disto tudo, Notwan, que se manteve sempre em segundo plano, auxiliando o protagonista da noite, e proporcionando ainda uns quantos “bate-bocas” com o “senhor mistério”, respondendo este ao estilo de Anthony Jeselnik, voltou a brilhar, desta vez de saxofone nas mãos, dando vida ao solo final da “Loba”, que curiosamente havia sido declamada exactamente há um ano atrás (apenas um dia de diferença), a capella, no mesmo Musicbox esgotado.

Assim, Nerve terminou (pensávamos nós) com “Breu”, desligando a luz e fechando a porta. No entanto, a pedido de inúmeras almas desesperadas por mais, voltou com uma expressão no rosto que se traduzia por “Surpresa Cabr…”. Faltava desejar o ano novo, com a mensagem positiva inerente à faixa “Subtítulo”: “Nada faz sentido, nada vale a pena/Eu esclareço esta como se esclarece a uma criança/A vida não presta e ninguém merece a tua confiança.”

Nerve (© Margarida Ribeiro)
Nerve (© Margarida Ribeiro)

Ainda houve tempo para apresentar pela primeira vez ao vivo a recém-nascida “Lápide”, que nos foi dada como presente na véspera do dia de Natal (“É tão grande, a coincidência”), e pela segunda (em Lisboa, pelo menos, tendo sido a primeira na apresentação oficial do EP, no Lux Frágil) a música produzida por Stereossauro, naquilo que é uma autêntica lição de como escrever, cantar e produzir hip-hop. Esta só chega no início deste ano, mas contem com ouro, incenso e mirra da parte de “apenas” dois Reis Magos.

Para aqueles que não tiveram a oportunidade de presenciar este evento, nada temam. Adivinha-se um 2019 com réplicas ainda mais intensas que o tremor sentido com epicentro no Musicbox. Ninguém se magoou desta vez, mas todos saímos com a mesma conclusão a que Nerve chegou: “Eu não estou OK”.

NERVE | MUSICBOX 29 DEZEMBRO 2018

Ano novo, novo Nerve
  • Paulo Pena - 90
90

Um resumo

Nerve apresenta o EP Auto-Sabotagem no Musicbox, sábado, dia 29 de dezembro, às 23.30, com Notwan encarregue do warm-up.

Texto de Paulo Pena
Fotografias de Margarida Ribeiro

Sending
User Review
3 (1 vote)
Comments Rating 0 (0 reviews)

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Sending