Óscares 2020

Óscares 2020 | Academia altera regras e categorias

A Academia de Artes e Ciências Cinematográficas de Hollywood fez mudanças interessantes nas regras e nas categorias dos Óscares. 

A Academia de Hollywood mudou algumas regras e categorias dos Óscares durante a última reunião da Academy Board of Governors, o Conselho de Governadores. As mudanças serão imediatamente aplicadas na 92ª cerimónia de entrega das estatuetas douradas, ou seja, no próximo ano. Uma das grandes notícias é que as alterações foram feitas sem a presença de Steven Spielberg, cineasta contra a Netflix, o que pode significar que as possíveis nomeações de futuros projetos da Netflix aos Óscares continuam sendo possível. Falamos obviamente da fase de Óscares pós-“Roma”.

No entanto, e como esperado, a Academia manteve uma regra estabelecida em 2012, a Regra Dois sobre elegibilidade. Para ser elegível aos Óscares, um filme deverá ser exibido durante sete dias num cinema comercial no condado de Los Angeles, com pelo menos três exibições por dia com entrada paga. Os filmes lançados em medias não-cinematográficos no primeiro dia da sua pré-temporada classificatória em Los Angeles, ou depois, continuam elegíveis para serem qualificados.

Lê Também:
72º Festival de Cannes | Onde Estás Tarantino?

Óscares 2020: Conhece todas as mudanças da Academia

Óscares
John Bailey, Presidente da Academia

Isto quer dizer que a Academia aceita filmes de plataformas de streaming serem nomeados à categoria de Melhor Filme, e obviamente a qualquer outra categoria. Tudo resulta do sucesso de “Roma” (Alfonso Cuarón, 2018), filme que venceu 3 Óscares – Melhor Realizador, Melhor Fotografia e Melhor Filme Estrangeiro. Muitos foram os cineastas e jovens talentos do cinema independente que saíram em defesa da Netflix, daí que a proposta mudança de Steven Spielberg não tenha sido aceite pela Academia. A Academia parece ter feito a escolha certa, em muito porque Steven Spielberg estava contra a Netflix, mas não contra a plataforma de streaming da Apple, foram muitos, incluindo fãs, os que acusaram o cineasta de hipocrisia.

Entretanto o Presidente da Academia John Bailey justificou as mudanças.

Apoiamos a experiência cinematográfica como integral à arte dos filmes, e isso pesou bastante na nossa discussão. As nossas regras atuais requerem a exibição teatral, e também permitem uma seleção maior de filmes ser submetida para consideração nos Óscares. Decidimos estudar mais profundamente as mudanças decorrentes na nossa indústria e manter as discussões com os nossos membros a respeito destas questões.

As alterações nas regras da Academia verificaram-se diretamente em categorias dos Óscares, como a de Melhor Filme Estrangeiro, que passará agora a ser designado Melhor Filme Internacional (Best International Picture), outra mudança do pós-“Roma”. O vencedor do Óscar Alfonso Cuarón afirmou mesmo que quando assistia a filmes em espanhol no México, eles não eram considerados “estrangeiros”. Os diretores da categoria Larry Karaszewski e Diane Weyermann, explicaram a alteração.

Notamos que a referência a estrangeiro está já ultrapassada dentro da comunidade cinematográfica global. Acreditamos que Melhor Filme Internacional representa melhor a categoria, e promove uma visão positiva e inclusiva do cinema e da sétima arte como uma experiência universal.

No entanto, não se alteram quaisquer regras, processos de submissão ou requisitos de elegibilidade na categoria de Melhor Filme Internacional. Um filme internacional é definido como uma longa-metragem produzida fora dos Estados Unidos da América, com uma faixa de diálogo predominantemente não inglesa. Os filmes de animação e documentais são também permitidos e cada país tem permissão para enviar uma seleção oficial.

Na categoria de Melhor Filme de Animação também se verificam algumas mudanças. A nova regra discrimina que já não é necessário o lançamento nos cinemas de oito possíveis concorrentes para a categoria ser ativada. De facto, esta decisão é necessária na Academia uma vez que existem naturalmente imensos filmes de animação lançados durante um ano.

A Academia tenta também tornar a votação mais fácil para este Óscar. Ou seja, as votações para nomeados estarão automaticamente disponíveis para todos os membros das categorias de Melhor Curta-Metragem de Animação e Melhor Filme de Animação. Por sua vez nestas categorias, os filmes podem ser qualificados em cinemas na cidade de Nova Iorque e/ou no condado de Los Angeles, para se qualificar para a submissão. Outros membros votantes ativos da Academia podem decidir se participam nas nomeações à categoria.

homem aranha
“Homem-Aranha: No Universo Aranha”, último vencedor do Óscar de Melhor Filme de Animação

Seguimos com outras alterações nos Óscares 2020, desta vez na categoria de Melhor Maquilhagem e Cabelos. O número de nomeados deixa de ser três, e cresce finalmente para cinco. A lista de pré-nomeados aumenta igualmente de sete para dez.

De lembrar que as regras da Academia para os Óscares são avaliadas e analisadas todos os anos pelos comités e membros das categorias individualmente. A comissão dos prémios e eventos analisa todas as mudanças ou sugestões antes de apresentar as recomendações ao Conselho de Governadores, que as aprova.

A 92ª edição dos Óscares da Academia acontecerá no próximo dia 9 de fevereiro de 2020. A transmissão em direto nos Estados Unidos da América será garantida, como habitual, pela ABC Television Network.

O que pensas das novas alterações?

Virgílio Jesus

Era uma vez em...Portugal um amante de filmes de Hollywood (e sobre Hollywood). Jornalista e editor de conteúdos digitais em diferentes meios nacionais e internacionais, é um dos especialistas na temporada de prémios da MHD, adepto de todas as formas e loucuras fílmicas, e que está sempre pronto para dois (ou muitos mais!) dedos de conversa com várias personalidades do mundo do entretenimento.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *