Star Wars | O estilo de Poe Dameron e Maz Kanata

 

<<As roupas de Rey e Finn | O vestuário de Leia, Han e Luke>>

Rey e Finn são os principais heróis de Star Wars: O Despertar da Força, mas, a acompanhá-los nas suas aventuras, está um elenco de personagens tão memoráveis como Poe Dameron e Maz Kanata, cujo estilo não desaponta.

Han Solo é o eterno homem com mais charme de todo o universo Star Wars, mas Poe Dameron, interpretado pelo carismático Oscar Isaac, oferece-lhe forte competição. Dameron é o melhor piloto da Resistência e o seu visual reflete tanto o seu heroísmo como o seu inegável estilo.

Star Wars O Despertar da Força

Este herói rebelde tem dois principais figurinos em O Despertar da Força, sendo que o primeiro é de particular relevância devido ao casaco de cabedal que Dameron enverga e que, após os dois se despenharem no planeta deserto em que Rey habita, Finn acaba por incorporar na sua indumentária. Logo no início, Poe nos aparece como uma imagem de um herói arquétipo, atraente e corajoso, com um leve toque de rebelião, ao estilo dos melhores estrelas do cinema de décadas passadas.

Lê Também: Oscar Isaac é vilão em X-Men: Apocalypse

O seu segundo figurino é muito mais interessante, consistindo no uniforme de piloto da Resistência, um equipamento criado com base no figurino que Luke Skywalker enverga no primeiro filme da saga aquando do vitorioso ataque dos rebeldes à primeira Death Star. Para além de estabelecer uma forte ligação entre Poe e os heróis lendários de Star Wars, o cor-de-laranja do seu fato também serve para reforçar o laço de amizade entre este piloto e o mais adorável dróide alguma vez concebido para os filmes desta saga, BB-8, o leal companheiro de Poe Dameron.

Lê Também:
Lucasfilm revela novo jogo de Star Wars pela Ubisoft Massive

Star Wars O Despertar da Força

Star wars O Despertar da Força

Alguns dos poucos adereços a voltarem de filmes anteriores foram, aliás, alguns dos capacetes usados pelos restantes pilotos da Resistência, num gesto de homenagem ao sucesso e legado inestimável da trilogia original.

Como já tinha sido referido numa página anterior, Michael Kaplan decidiu intensificar o contraste visual entre as duas fações em guerra neste novo episódio de Star Wars, escolhendo para a Resistência uma paleta cromática de beges, laranjas, verdes e outras tonalidades calorosas, em contraste com a frieza da Primeira Ordem. Em termos de silhuetas e materiais, o figurinista de O Despertar da Força concebeu para as forças heroicas um visual construído à base de fibras naturais, materiais de aspeto confortável, modesto e relativamente suave quando comparado com a rigidez e as linhas retilíneas dos seus inimigos.

Star Wars O Despertar da Força

Pode não ser uma parte oficial da Resistência, mas há que admitir que Maz Kanata (Lupita Nyong’o) é uma presença de considerável heroísmo. De estatura diminuta e intensa personalidade, esta alienígena quase parece ter o seu visual desenvolvido como uma espécie de homenagem a Iris Apfeld, uma formidável fashionista nova-iorquina. A indumentária de Maz é caracterizada por grandes lentes arredondadas, um colar que lhe adorna o pescoço, e uma imensa coleção de pulseiras e anéis que lhe conferem uma certa excentricidade amigável.

Lê Também:
Moon Knight, da Marvel Studios, conta com Ethan Hawke

Vê Ainda: Novo poster do filme The Jungle Book

Menos claros de um ponto de vista moral e ético são os habitantes do bar de Kanata, uma multidão bastante heterogénea onde o figurinista se parece ter divertido na criação de visuais bizarros e inventivos. Para grandes fãs da saga, seus livros, cartoons e materiais promocionais, algumas destas criaturas são deliciosas referências a outras partes do universo Star Wars.

Star Wars O Despertar da Força

Star Wars O despertar da Força

Mas os heróis de O Despertar da Força não são todos estreantes no cinema, sendo que é bom relembrar os heróis lendários da trilogia original. Mas, para isso, há que prosseguir para a próxima página.

 

<<As roupas de Rey e Finn | O vestuário de Leia, Han e Luke>>

 

Cláudio Alves

Licenciado em Teatro, ramo Design de Cena, pela Escola Superior de Teatro e Cinema. Ocasional figurinista, apaixonado por escrita e desenho. Um cinéfilo devoto que participou no Young Critics Workshop do Festival de Cinema de Gante em 2016. Já teve textos publicados também no blogue da FILMIN e na publicação belga Photogénie.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *