"Everybody's Talking about Jamie" (2021) | © 2020 20th Century Studios. All Rights Reserved.

Todos Falam Sobre o Jamie | Jonathan Butterell em entrevista exclusiva

O cineasta Jonathan Butterell falou com a MHD sobre o seu trabalho em “Todos Falam Sobre o Jamie”, o novo musical da Prime Video. 

Chegamos finalmente à nossa última entrevista com os nomes responsáveis pelo musical “Todos Falam Sobre o Jamie” que estará disponível a partir do dia 17 de setembro na plataforma de streaming Prime Video. Para a conclusão em grande deste especial, conversámos – sempre a convite da plataforma – com o realizador Jonathan Butterell, sobre a longa-metragem que marca a sua estreia na realização.

Jonathan Butterell, apesar de estrear-se agora no cinema, não é estranho aos musicais e ele mesmo esteve responsável por encenar a peça de “Todos Falam Sobre o Jamie”. Inspirando-se na história verídica de Jamie Campbell, Butterell aproveita-se para contar também parte da sua história e incorporação em Jamie parte da sua identidade. Este é um filme sobre a aceitação, um dos melhores projetos dos últimos tempos que os espectadores poderão ver em casa sobre o facto de uma pessoa aceitar-se a si mesma. Jonathan Butterell posicionou a narrativa em Sheffield, a sua cidade natal, onde ser diferente significava muitas vezes ser alvo de crítica ou de espanto pelos vizinhos. Para o seu filme, Butterell leva-nos às origens, a muitas das pessoas que contactou ao longo do seu crescimento.

Todos Falam Sobre o Jamie | Trailer do filme de Jonathan Butterell

Independentemente de quem sejas, independentemente do lugar que queiras ocupar no mundo podemos criar um mundo em que seja seguro expressar-se na plenitude. Jonathan Butterell

Jonathan Butterell pareceu-nos uma pessoa extremamente segura de si, e enquanto realizador isso nota-se. Em “Todos Falam Sobre o Jamie” temos uma história sobre alguém que procura o seu lugar no mundo e as sequências dirigidas por Jonathan Butterell são maravilhosas, mostrando tanto o seu talento como coreógrafo como o seu lado mais imaginativo e fantástico como ser humano. Se numa sequência somos convidados a sorrir, noutras seremos convidados a pensar na temática LGBTQ+, na relação entre pais heterossexuais e dominados por uma cultura patriarcal, e filhos assumidamente homossexuais que continuam e continuarão a lutar pelos direitos na sociedade. “Todos Falam Sobre o Jamie” é um filme com muita alma que precisa ser descoberto por todos nós. Só filmes assim, honestos, conseguem apelar à união. Vejamos agora o que tem Jonathan Butterell a dizer sobre o projeto.

Jonathan Butterell

MHD: Olá Jonathan. Muito obrigado por esta entrevista. É um prazer conhecê-lo.

Jonathan Butterell: Olá, tudo bem? O prazer é meu.

MHD: Como primeira pergunta gostaríamos de saber o quão diferente é realizar um musical para o palco e um musical para o grande ecrã, uma vez que o Jonathan tem essa experiência, precisamente com esta história. 

Jonathan Butterell: Eu acho que realmente tem a ver com o sentido de escala, e no palco a história tem uma relação muito diferente para com o seu público. É imediato, o público está lá, está presente. No ecrã, eu simplesmente tive que imaginar essa dimensão de escala, tentar colocar o enredo num plano maior. Eu nasci na comunidade Sheffield, onde filmámos “Todos Falam Sobre o Jamie” e ter essa agitação sobre a procura da escala foi extraordinário. Pensar no que fizemos todos juntos deixa-me emocionado, foi absolutamente maravilhoso.

O cinema permite-nos chegar mais perto de um ser, faz-nos estar ligados intimamente a uma alma, graças ao close-up. Podes obter uma emoção com um simples piscar de olhos, o que pode não acontecer necessariamente no palco. Gosto do minuto íntimo que o cinema nos pode dar, e acabei por brincar com isso. Além disso, o orçamento permitiu-me fazer algo mais ousado, sobretudo nos números musicais. Aí eu fui capaz de deixar a minha imaginação fluir e voar e portanto foi incrível.

Jonathan Butterell
“Todos Falam Sobre o Jamie” © 20th Century Studios / Prime Video

MHD: Qual foi o seu momento preferido ao rodar o filme? Existe alguma sequência que gostaria de destacar? 

Jonathan Butterell: É difícil para mim definir “o momento”. Eu amei tudo por muitos motivos diferentes. Não me posso esquecer do momento em que o Hugo leva o Jamie de volta para o seu tempo. Essa sequência foi especial para mim, é sobre a conversa entre duas gerações opostas. E eu sou da geração mais velha e o Jamie pertence à nova geração. Eu passei por uma história próxima à do Jamie quando era jovem, e acabei por investigar isso. Sinto que a sequência vai deixar os espectadores emocionados, porque reflete um momento complexo e muito difícil da nossa história.

MHD: O Jonathan falou-nos da questão do orçamento e do facto de ter posicionado a trama em Sheffield, na Inglaterra. Nunca chegou a pensar em “Todos Falam Sobre o Jamie” como um filme americano, com atores americanos?

Jonathan Butterell: Eu nunca faria isso porque não é o meu mundo. Os americanos não são a minha gente. Eu não saberia como começar a fazer um filme na América. Claro que a minha imaginação não poderia estar ao nível de um filme de Hollywood, ou até de um grande vídeo pop da Madonna. Quis simplesmente contar a história desta forma, porque quis prestar homenagem às minhas origens.

Richard E. Grant
Max Harwood e Richard E. Grant em “Todos Falam Sobre o Jamie” © 20th Century Studios / Prime Video

Venho de uma comunidade real, de uma classe trabalhadora, uma comunidade que não é particularmente rica. Trata-se de uma comunidade que eu conhecia muito bem, e eu queria falar do Jamie, um rapaz queer e do seu papel naquele mundo, no meu mundo. Era importante que eu soubesse dar a autenticidade importante à trama. Deixemos a história filmada em Hollywood para outra pessoa.

MHD: 2021 parece ser um ano forte para musicais, além deste filme, haverá muitos novos musicais a estrear durante este ano. Por que acha que isso está a acontecer agora? Terá a aposta dos estúdios em musicais ter alguma coisa haver com a pandemia e do facto dos espectadores procurarem um escape? 

Jonathan Butterell: Não acho que seja por causa da pandemia, porque, obviamente, todos esses musicais, que estão a ser lançados agora, começaram a ser filmados muito antes de nós sabermos da existência da COVID-19. Eu acho que um musical permite contar uma história de uma maneira diferente. Permite que a própria música seja algo que empurra a história. Espero que com “Todos Falam Sobre o Jamie” a música tenha algum impacto no mundo. Que traga alguma frescura e animação!

A ideia de utilizarmos música pop passou do facto de ser um género que ouvimos em praticamente todo o lado, no carro e nas rádios de casa. Eu queria aproveitar a música para alcançar o coração das pessoas. Em momentos como este, sabemos que a música chega mais rápido ao nosso interior, mais do que qualquer outra coisa. A música fala connosco, e eu adorei brincar com a ideia de que a música faz parte da narrativa, faz parte do Jamie.

MHD: Obrigado por nos falar tão apaixonadamente deste seu filme. Acredita que “Todos Falam Sobre o Jamie” vai destacar-se e unir o público? Será este um filme para recordar sobre a aceitação?

Jonathan Butterell: Eu só posso esperar que isso aconteça, porque obviamente não poderei controlar a forma como as pessoas responderão ao filme. “Todos Falam Sobre o Jamie” conta efetivamente uma história muito importante, uma história que poderia ser de qualquer um. Esta é uma história de alguém que quer entender o seu lugar no mundo e, a sua procura, é feita de maneira aberta e livre. Eu espero que isso passe além do visionamento do filme.

Jonathan Butterell
“Todos Falam Sobre o Jamie” © 20th Century Studios / Prime Video

Independentemente de quem sejas, independentemente do lugar que queiras ocupar no mundo podemos criar um mundo em que seja seguro expressar-se na plenitude. Isso é irrelevante caso sejas gay, hetero, negro, branco, gay, o que seja. Todos nós precisamos fazer um mundo no qual sejamos salvos para sermos plena e exclusivamente nós mesmos.

MHD: Palavras mágicas que deveriam fazer parte do vocabulário de todos. Obrigado por esta entrevista Jonathan e sucesso com o filme. 

Jonathan Butterell: Muito obrigado. Foi um prazer falar convosco. Cuidem-se!

Virgílio Jesus

Era uma vez em...Portugal um amante de filmes de Hollywood (e sobre Hollywood). Jornalista e editor de conteúdos digitais em diferentes meios nacionais e internacionais, é um dos especialistas na temporada de prémios da MHD, adepto de todas as formas e loucuras fílmicas, e que está sempre pronto para dois (ou muitos mais!) dedos de conversa com várias personalidades do mundo do entretenimento.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *