Julien Baker (foto de Nolan Knight)

O outonal single “Tokyo” de Julien Baker está agora disponível

“Tokyo” é uma maravilha de melancolia emo, e vem acompanhada do lado B, “Sucker Punch”. Este single de Julien Baker pode finalmente ser ouvido por todos.

O single “Tokyo”/”Sucker Punch” é a contribuição de Julien Baker para o Volume 4 da Sub Pop Singles Club (SP1301) e foi lançado o ano passado em formato de vinil. A versão digital foi divulgada hoje, pelo que já pode ser ouvida nos vários serviços de streaming.

Desde que lançou o seu segundo álbum em 2017, Turn Out the Lights, Julien Baker tem estado bastante ocupada. Em 2018, lançou o EP boygenius, como parte do supergrupo do mesmo nome, e contribuiu para o reavivar do Club de Singles da Sub Pop com a dupla de canções “Tokyo” e “Sucker Punch”, agora finalmente disponíveis nas plataformas digitais.

Já este ano, Julien Baker revelou um outro single duplo, “Red Door”/“Conversation Piece”, lançado exclusivamente para o Record Store Day de 2019, e contribuiu ainda com um cover da canção “The Modern Leper”, dos Frightened Rabbit, incluído no álbum de tributo Tiny Changes: A Celebration Of The Midnight Organ Fight.

Lê Também:
Mês em Música | Playlist de Setembro 2019

Em “Tokyo”, uma melodia nostálgica sobrevoa um baixo propulsivo, com a doçura das notas da voz a sofrer aqui e acolá uma ligeira e inesperada mudança de direcção. A libertação emotiva da voz a que Julien Baker nos tem vindo a habituar vai sendo atrasada pelos outros instrumentos, como o piano ou a bateria, acabando por nunca chegar realmente a acontecer. A canção é uma conjugação da sensibilidade emo de Baker com um baixo pós-punk e uma inteligência de composição que a converte num exemplo mais complexo e interessante do que algumas das suas canções mais pop, promissor de um futuro grande álbum.

JULIEN BAKER | “TOKYO”

JULIEN BAKER | “SUCKER PUNCH”

Maria Pacheco de Amorim

Literatura, cinema, música e teoria da arte. Todas estas coisas me interessam, algumas delas ensino. Sou bastante omnívora nos meus gostos, mas não tanto que alguma vez vejam "Justin Bieber" escrito num texto meu (para além deste).

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *