TOP 10 Personagens Harry Potter | 10. Luna Lovegood

Como J.K. Rolling referiu uma vez, Luna Lovegood representa o oposto de Hermione – ela é sonhadora, cabeça no ar, e capaz de pensar em 10 coisas impossíveis antes de tomar o pequeno almoço. 


<< Início | 9. Minerva McGonagall >>


Conhecida pela sua singularidade, que mistura não só uma mente de aparentes devaneios como escolhas de guarda-roupa extremamente peculiares, Luna Lovegood é provavelmente a personagem mais sensível do universo de Harry Potter. Criada apenas pelo seu pai a partir dos 9 anos, a feiticeira de cabelos loiros e olhar distante tem uma habilidade especial no mundo da magia e um talento nato em lidar com feitiços e realizar duelos, simbolizando uma verdadeira e irrefutável Ravenclaw.

Lê Também:
15 coisas que possivelmente não sabias sobre Grindelwald

O seu nome – Luna – sugere uma referência à lua e consequentemente à loucura, que o seu segundo nome logo se apressa em esclarecer que tem uma origem benévola e humanitária. Lovegood é uma personagem generosa que não se cansa de aconselhar aqueles com a mente mais fechada de que existe todo um mundo a descobrir, se ao menos o quisermos ver. Luna acredita em todas as pessoas, criaturas e demais seres, cultivando o sentimento de que nunca estamos sozinhos no mundo.

luna lovegood

Tendo como hobbie afastar Nargles – criaturas que infestam azevinho e conseguem ser ladrões eficazes – com o seu colar de cortiça e Butterbeer e brincos em formato de rabanete, Luna é uma jovem leal, amiga e filha devota. Vagueando pela natureza de Hogwarts com a sua aura lírica, Lovegood pode ser encontrada com acessórios tão carismáticos como um grande chapéu com a face de um leão, e mesmo assim fornecer as mais subtis e simples dicas sobre toda a nossa existência.

“Things we loose have a way of coming back to us in the end, if not always in the way we expect.”

luna1


<< Início | 9. Minerva McGonagall >>


 

Maria João Bilro

Sou doida por cinema - tenho um grave problema em aceitar que a minha vida não é um indie, mas tento fechar os olhos a esse pormenor e continuo a usar óculos escuros à noite e a dançar músicas dos anos 60 de forma (muito) estranha no meio da rua. Licenciada em Ciências da Comunicação, com formação em Realização e Fotografia.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *