Pulp em "A Film About Life, Death, and Supermarkets" (por Florian Habicht)

10 melhores álbuns de Britpop

Retratando o restrito período e espaço da cena do Britpop, reunimos os dez álbuns essenciais para compreender o género.

1 de 11

A história da música popular já assistiu várias vezes ao surgimento e desaparecimento de géneros musicais. Embora seja comum enquadrar o fenómeno entre influenciadores e influenciados, o motor que propulsiona o nascimento, vida e morte de um género é sempre difícil de inventariar, em especial quando as três fases se desenrolam num reduzido espaço, tanto geográfico como temporal. A cena do Britpop surgiu em Inglaterra e considera-se que se tenha estendido de 1993 a 1997. Contudo as definições espácio-temporais raramente são satisfatórias, uma vez que acabam por deixar de fora algumas das obras significativas do género.

Considera-se que o Britpop tenha surgido como a resposta britânica ao grunge americano e ao também britânico shoegaze, que se debruçavam sobre temas mais sombrios. (Curiosamente, esta ligação foi evidenciada de forma clara quando o apogeu comercial do género, os anos de 1994 e 1995, se iniciou com a morte de Kurt Cobain, em abril de 1994.) Paralelamente, o Britpop não teve vergonha de assumir uma abordagem otimista e lúdica a assuntos também relevantes para os jovens britânicos da altura, como a classe trabalhadora, experiências sexuais e o orgulho nacionalista. Mas não era só nas temáticas que o género se apresentava como uma alternativa. As bandas de Britpop conseguiam um equilíbrio entre o indie e a pura atractividade pop. Tinham o glamour que o grunge rejeitava, mas sem cair no domínio da estrela pop distante.

10 melhores álbuns de Britpop
The Stone Roses

Tudo isto trazia à memória a música pop britânica da década de 60, nomeadamente os Beatles. E embora fossem a influência mais óbvia, não foram a única. É difícil imaginar qualquer um dos álbuns desta lista sem o glam rock e o punk rock da década de 70 ou o indie pop dos anos 80. Os Stone Roses são também um nome importante para a génese, cujo álbum de estreia é tanto considerado uma das maiores influências do género como também um dos melhores do cânone do Britpop por muitos (Spoiler alert: nós incluídos). Não só os Stone Roses mas também os Happy Mondays e toda a restante cena de Madchester foi central neste nascimento, bem como outras bandas britânicas emblemáticas, nomeadamente The Smiths, The Kinks e XTC.

Numa lista tão reduzida quanto esta que propomos, todos os álbuns parecem concorrer por um lugar bem alto e torna-se difícil chegar a um consenso, visto que depois de reconhecida a qualidade e importância para o movimento, a ordenação destes discos nasce da fusão das sensibilidades dos vários votantes. Dizendo isto, mais do que uma ordenação vinculativa, esta lista procura retratar um período e um espaço muito restrito, apresentando aqueles que foram os registos mais influentes e merecedores da atenção de qualquer um. Incluímos alguns dos álbuns que perfizeram o apogeu do britpop mas contamos também com outros que acabam por estar nos limites do espaço temporal que lhe é atribuído, o que de certa forma nos permitiu acompanhar a evolução que se deu durante estes anos. Para todos aqueles cujo contacto com o britpop se resume à banda sonora do Trainspotting, aqui fica o desafio de conhecer o que de icónico nele se fez e a promessa de que, não só reconhecerão algumas das faixas, como descobrirão outras ainda melhores.

Lê Também:
Melhores Álbuns da Década 2010-2019
1 de 11

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *